Abrir menu principal
Penélope
Informação geral
Origem Bahia
País  Brasil
Gênero(s) Rock alternativo
Período em atividade 1995 - 2004
Gravadora(s) Sony Music
Som Livre
Integrantes Érika Martins
Constança Scofield
Fifi
Luisão Pereira
Chuck Ciuffo
Ex-integrantes Priscilla Lollata
Josane Noronha
Érika Nande
Jandira Fernandes
Eneida Gonzaga

Penélope foi uma banda brasileira de rock, com origem na cidade de Salvador-BA.

Índice

HistóriaEditar

Em 1995, em Salvador, a vocalista Érika Martins, voltando de uma temporada na Alemanha - onde se deparou com uma cena de rock feminino muito forte - teve a ideia de formar uma banda de meninas com cara de menina. Assim nasceu a Penélope Charmosa, banda com nome inspirado em uma personagem de desenho animado. A fim de dar uma pitada feminina e romântica à postura do rock que consideravam masculinizada, agregaram Constança Scofield (flauta e teclados) e Josane Noronha (violão), que formavam a Lucy (antiga banda acústica) e também convidaram o baterista Mário Jorge, ex-Úteros em Fúria (banda de rock de Salvador, entre 1992 e 1994) e Jandira Fernandes (baixo).[1]

A primeira gravação feita foi "Pink Ploc", gravada e mixada por André Rossi. Logo depois, a Penélope teve sua formação alterada, com a entrada de Eneida Gonzaga no baixo e Luisão, na guitarra. Depois de participar de diversos pequenos festivais, o grupo teve seu primeiro grande momento no Festival Abril Pro Rock, em 1997, sendo apontada como a grande surpresa do festival e sendo contratado pela Sony Music pouco depois. Erika Nande, ex-Rabo de Saia, assumiu o baixo, apenas um mês antes da gravação do primeiro disco. "Mi Casa, Su Casa" foi gravado em três meses, no Rio, produzido por Tom Capone e Antoine Midani, que incluíram, inclusive, um arranjo de cordas de Eumir Deodato, em "O Ponto".

O primeiro sucesso da banda foi "Holiday". Para evitar problemas judiciais com a empresa Hanna-Barbera, que produz os desenhos animados Corrida Maluca e Os Apuros de Penélope Charmosa e não autorizou a utilização do nome da personagem, em 1999 a banda passou a se chamar apenas Penélope.[2]

Os dois primeiros discos foram lançados pela gravadora Sony Music do Brasil. Em 2003, a banda lançou o seu terceiro e último disco pela gravadora Som Livre, "Rock, Meu Amor" já com a baixista Fifi no lugar de Erika Nande.

A banda anunciou sua separação no início de 2004.[3]

Érika Martins partiu para sua carreira solo. Lançou 2 discos autorais ("Érika Martins", em 2009 e "Modinhas", em 2014) e uma coletânea comemorativa de 10 anos de carreira "Curriculum" em 2010, com sucessos que gravou com Penélope, em carreira solo, em projetos especiais e em discos de outros artistas como "A Mais Pedida" com o grupo Raimundos e "INBETWEEN Days" no disco solo do cantor Herbert Vianna - O Som do Sim .

DiscografiaEditar

VideoclipeEditar

Prêmios e IndicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado Ref.
2000 MTV Video Music Brasil Videoclipe de Artista Revelação Namorinho de Portão Indicado [4]
Direção de Arte em Videoclipe Indicado
Escolha da Audiência Holiday Indicado
Prêmio Multishow de Música Brasileira Revelação - Grupo Musical Indicado
2004 2º Prêmio TIM de Música Melhor Grupo Indicado [5]

Referências

  1. whiplash.net/ Entrevista - Banda Penélope
  2. cliquemusic.com.br/ Histórico - Banda Penélope
  3. universomusical.com.br/ Vítimas de uma indústria decadente
  4. mundomtv.com/ VMB 2000
  5. folha.uol.com.br/ Conheça os finalistas do 2º Prêmio TIM de Música

Ligações externasEditar