Pergaminho Sharrer

fragmento de pergaminho medieval que contém sete canções por D. Dinis, rei de Portugal

O Pergaminho Sharrer é um fragmento de pergaminho medieval que contém partes de sete cantigas de amor de Dom Dinis, rei de Portugal, com poesias em língua galaico-portuguesa e notação musical.[1]

O Pergaminho Sharrer

O pergaminho foi descoberto em 1990 nos arquivos da Torre do Tombo de Lisboa pelo pesquisador Harvey L. Sharrer, da Universidade da Califórnia. Até então a única outra fonte de música profana galaico-portuguesa com notação era o Pergaminho Vindel, que traz sete canções do trovador Martim Codax, sendo que as outras fontes possuem a poesia, mas não a música.

As composições estão em estado fragmentário devido à deterioração do pergaminho e não trazem autoria, mas são as mesmas encontradas em coletâneas de poesia como o Cancioneiro da Biblioteca Nacional e o Cancioneiro da Vaticana, onde são atribuídas ao rei.

As canções são:

  • ''Pois que vos Deus, amigo, quer guisar''
  • A tal estado me adusse, senhor
  • O que vos nunca cuidei a dizer
  • Que mui grão prazer que eu hei, senhor
  • Senhor fremosa, no posso eu osmar
  • Não sei como me salva a minha senhor
  • Quis bem amigos, e quero e querrei

ReferênciasEditar

  1. Sharrer, Harvey L. (1991). «The Discovery of Seven cantigas d'amor by Dom Dinis with Musical Notation». Hispania (2): 459–461. ISSN 0018-2133. doi:10.2307/344862. Consultado em 29 de novembro de 2020 

ReferênciasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Textos originais no Wikisource
  Categoria no Commons
  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.