Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo asteróide, veja 2944 Peyo.
Peyo
Nascimento 25 de junho de 1928
Schaerbeek
Morte 24 de dezembro de 1992 (64 anos)
Cidade de Bruxelas
Cidadania Bélgica
Cônjuge Nine Culliford
Filho(s) Thierry Culliford
Alma mater Academia Real de Belas-Artes de Bruxelas
Ocupação artista de história em quadrinhos, roteirista, cartunista
Empregador Jornal Spirou
Magnum opus Os Smurfs, Johan e Peewit
Movimento estético Escola Marcinelle
Causa da morte ataque cardíaco
Assinatura
Peyo-signature.png

Pierre Culliford, mais conhecido por Peyo (Schaerbeek, 25 de junho de 1928 - Bruxelas, 24 de dezembro de 1992), foi um cartunista e roteirista belga.[1][2] Foi o criador de Les Schtroumpfs, Johan et Pirlouit, Poussy, Benoît Brisefer e Jacky et Célestin.[3][4]

Índice

Biografia de PeyoEditar

Peyo, nasceu em 25 de junho de 1928, em Schaerbeek, filho de pai inglês e mãe belga.

BiografiaEditar

Devido a morte prematura de seu pai, Peyo teve que começar a ganhar a vida em uma idade jovem. Seu primeiro emprego foi como projecionista de cinema no cinema: o pequeno 'Le Mirano'.

Talento e trabalhoEditar

Para o seu próximo trabalho Peyo quase tornou-se assistente de um dentista. Felizmente, ele foi contratado por um estúdio de desenhos animados em vez onde conheceu e trabalhou com alguns dos mais influentes da Europa, artistas de quadrinhos, como Franquin (Marsupilami) e Morris (Lucky Luke). Foi durante um desenho animado chamado "Le cadeau à la fée" (O presente para a Fada) que pequenass criaturinhas azuis com chapéus fez uma aparição! Infelizmente o estúdio fecha e Pierre Culliford decide se mudar em quadrinhos.

Início nos quadrinhosEditar

Quando ele decidiu se tornar um artista em tempo integral em quadrinhos, Peyo, que ainda estava assinando seu trabalho com seu nome completo, decidiu que precisava de um pseudônimo. Ele se inspirou em seu apelido de infância 'Pierrot', ou, como um de seus primos mais jovens (que não poderia pronunciar o 'r') chamou-o, Pe-yot.

Começo e Sucesso na SpirouEditar

Depois de várias tentativas sem sucesso com O Pirata do Quadrinhos (Capitão Coky), Peyo decidiu desenhar histórias com base na Idade Média. Ele publica tiras em diversos jornais. Ele desenhou algumas tiras para Le Soir o jornal diário belga e depois para a revista "Spirou".

Johan e PeewitEditar

Johan e Peewit logo se tornaram um enorme sucesso e um dos principais personagens da revista.

A Primeira Aparição dos SmurfsEditar

Para o nono lançamento de Johan e Peewit, Peyo precisava de um grupo de "bagunceirinhos" para construir uma flauta mágica. Ele se lembra de uma refeição que teve com seu amigo Franquin, quando ele queria perguntar a Franquin para passar-lhe o sal. Mas ele não podia se lembrar da palavra que ele diz: "Passe-me o ... uhm ... o Schtroumpf!". Franquin entrega-o e responde: "Aqui está o Schtroumpf! Uma vez que você strunfado com ele você pode Strunf de volta para mim." E assim o nome e o idioma dos pequenos arteiros foram inventados. E de repente na página 38 do livro apareceu de trás de uma pedra um Schtroumpf! Foi a primeira aparição dos Schtroumpfs (Smurfs)!

MerchandisingEditar

Departamentos de publicidade rapidamente viram o potencial do fenômeno Smurf, a Kellogg, a Côte d'Or e BN foram algumas das primeiras empresas a navegar na incrível e cada vez mais popular onda Smurfs.

Mas é provavelmente as figuras de PVC dos pequenos seres azuis, vendido pela primeira vez por Bully e depois por Schleich, que teve o maior sucesso.

Longa-metragem, Hanna-Barbera e Desenho AnimadoEditar

Os Smurfs foram vistos pela primeira vez na televisão belga em uma série de curtas-metragens animados, feitos por TVA Dupuis, o estúdio de animação de televisão de Charles Dupuis (o pai espiritual da revista Robbedoes). Um par de anos mais tarde, em 1975, o estúdio Belvision belga produziu um longa-metragem baseado em "A Flauta Mágica", que realmente desencadeou o sucesso Smurfs. O filme foi lançado na Bélgica, França e Holanda.

Em 1981, Os Smurfs estreou na NBC, graças aos famosos cartoons produzidos pelos estúdios Hanna-Barbera.

MorteEditar

Peyo veio a falecer em 24 de dezembro de 1992.

Referências

  1. «Estatuetas dos Smurfs homenageiam criador dos personagens no gramado da Torre Eiffel». AFP. Band.com.br. 25 de junho de 2011. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  2. Javier Albisu (15 de julho de 2011). «Paris expõe 1ª grande retrospectiva sobre criador dos 'Smurfs'». Estadão. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  3. «Peyo: biografía y obra» (em espanhol). AlohaCriticón. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  4. Eurico de Barros (6 de agosto de 2011). «Muito mais do que os estrumpfes». Diário de Notícias. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  Este artigo sobre um(a) desenhista ou ilustrador(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.