Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPhallaceae
Classificação científica
Reino: Fungi
Filo: Basidiomycota
Classe: Agaricomycetes
Ordem: Phallales
Família: Phallaceae
Corda (1842)
Género-tipo
Phallus
Junius ex L. (1753)

Phallaceae é uma família de fungos. Pertencentes à ordem fúngica Phallales, estas espécies têm uma distribuição mundial, mas são especialmente prevalentes nas regiões tropicais. São conhecidos pelas suas massas de esporos pegajosas e malcheirosas, ou glebas, situadas na extremidade de caules chamados receptáculos. A estrutura característica do corpo frutífero – um único receptáculo não ramificado com uma gleba unida externamente na parte superior – distingue Phallaceae de outras famílias de Phallales. A massa de esporos tipicamente tem odor de carniça ou de fezes, e atrai moscas e outros insectos que ajudam a dispersar os esporos. Embora exista uma grande diversidade de formas das estruturas corporais entre os vários géneros, todas as espécies de Phallaceae iniciam o seu desenvolvimento como estruturas ovais ou redondas conhecidas como ovos.

Índice

DescriçãoEditar

As espécies de Phallaceae são gasteróides – com esporos produzidos internamente. Os corpos frutíferos surgem na forma de uma estrutura gelatinosa, esférica ou oval que pode estar completa ou parcialmente enterrada no solo. O perídio, a camada exterior do ovo, é branco, ou avermelhado, com duas ou três camadas. A camada exterior é delgada enquanto a interior é mais grossa, gelatinosa e contínua. Quando a maturidade é atingida o perídio abre e permanece como uma volva na base do receptáculo.[1]

 
Ovo de Phallus impudicus bissectado.

A porção fértil do corpo frutífero é muitas vezes sustentada por um caule largo e carnudo ou esponjoso (como em Phallales), o qual pode ser cilíndrico, em forma de estrela ou reticulado. Podem ter cores vivas, por vezes com uma membrana com aspecto de rede ou véu cobrindo e protegendo os esporos. A substância contentora dos esporos, a gleba, é tipicamente gelatinosa, frequentemente com odor fétido e deliquescente (tornando-se líquida devido à absorção de água). A gleba forma-se na face exterior do chapéu ou na parte superior do receptáculo.

Os basídios são pequenos e estreitos, fusiformes, de curta duração (evanescentes), com 4 a 8 esterigmas. Os esporos têm forma geralmente elipsóide ou cilíndrica e são hialinos ou de cor castanha clara, lisos, com paredes mais ou menos lisas e truncados na base.[2]

GénerosEditar

Galeria de imagensEditar

Referências

  1. Jülich W. (1982). Higher taxa of Basidiomycetes. Bibliotheca Mycologia 85. Cramer, Vaduz. 485 pp.
  2. Cannon PF, Kirk PM. (2007). Fungal families of the world. Wallingford: CABI. p. 270–1. ISBN 0-85199-827-5 

Obras citadasEditar

  • Ellis JB, Ellis MB. (1990). Fungi without gills (hymenomycetes and gasteromycetes): an identification handbook. London: Chapman and Hall. ISBN 0-412-36970-2 
  • Miller HR, Miller OK. (1988). Gasteromycetes: morphological and developmental features, with keys to the orders, families, and genera. Eureka, Calif: Mad River Press. p. 80. ISBN 0-916422-74-7 

Ligações externasEditar