Phrynops

gênero de tartaruga

Às vezes chamados de sapos barbudos, mas mais conhecido pelo nome científico de Phrynops, esse gênero de tartarugas costuma ser uma espécie de lixeira para as tartarugas sul-americanas de pescoço curto da família Chelidae.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaPhrynops
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Testudines
Família: Chelidae
Gênero: Phrynops
Wagler 1830[1]
Espécie-tipo
Emys geoffroana
Schweigger, 1812
Espécies
ver texto
Sinónimos
  • Spatulemys Gray 1872:463
  • Parahydraspis † Wieland 1923:2 (Miocene, Argentina) sinonímia de Gasparini et al. 1996.

O gênero é amplamente distribuído na América do Sul encontrado no Orinoco ao Amazonas e São Francisco ao Paraná e bacias fluviais adjacentes da Colômbia, Venezuela, Guianas, Brasil, Paraguai, Uruguai e nordeste da Argentina (Iverson, 1992).[2]

Essas grandes tartarugas de rio geralmente alcançam a termorregulação por meio do frade em área. Para melhor atingir seu objetivo, eles tendem a aumentar seu tempo de sol durante o meio-dia durante os invernos para compensar o frio. Outros fatores, como ingestão de alimentos e reprodução subaquática, também influenciam a maneira como controlam a temperatura do corpo. Embora essa seja a principal forma de manter a temperatura corporal, a ingestão alimentar e as taxas de reprodução também influenciam no assunto.

EspéciesEditar

Espécies vivas e fósseis atualmente reconhecidas[3]

Referências

  1. Wagler, J. 1830. Natürliches System der Amphibien, mit vorangehender Classification der Säugthiere und Vögel. Ein Beitrag zur vergleichenden Zoologie. Munich, Stuttgart, and Tübingen: J.G. Cotta. vi + 354 pp. + 9 plates. (in German and Latin).
  2. lverson, J.B. 1992. Revised Checklist with Distribution Maps of the Turtles of the World. Richmond, Indiana: Privately Printed. 363 pp.
  3. Phrynops, The Reptile Database
  4. Schweigger, Augustus F. 1812. "Prodromus monographiae Cheloniorum ". Königsberger Archiv für Naturwissenschaft und Mathematik 1:271–368, 406–462.
  5. Duméril, André Marie Constant, and Bibron, Gabriel. 1835. Erpétologie Générale ou Histoire Naturelle Complète des Reptiles. Tome Second. Paris: Roret. 680 pp.
  6. Peters, Wilhem Carl Hartwig. 1870. "Über Platemys tuberosa, eine neue Art von Schildkröte aus British-Guiana ". Monatsber. königl. Akad. Wiss. Berlin. 1870 (Mai): 311-313.
  7. Rhodin, Anders G.J., and Mittermeier, Russell A. 1983. Description of Phrynops williamsi, a new species of chelid turtle of the South American P. geoffroanus complex. pp. 58-73. In: Rhodin, A.G.J., and Miyata, K. (Editors). 1983. Advances in Herpetology and Evolutionary Biology. Essays in Honor of Ernest E. Williams. Cambridge, Massachusetts: Museum of Comparative Zoology.
  8. Wieland, George R. 1923. A new Parana pleurodiran. American Journal of Science (5) v: 1-14.
  9. Phrynops at Fossilworks.org

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre tartarugas, integrado no Projeto Anfíbios e Répteis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.