Abrir menu principal
Pedra Coração de Boi, no alto do cume de 2257 metros. Ao fundo pode-se observar os Três Picos.

Pico da Caledônia é uma das maiores elevações da Serra do Mar e que fica situado entre as cidades de Nova Friburgo e Cachoeiras de Macacu, na divisa entre os dois municípios, inserido no Parque Estadual dos Três Picos.

Índice

TurismoEditar

 
Vista da cidade de Nova Friburgo de cima do Pico da Caledônia

Com 2.257 metros de altitude,[1] possui uma das mais belas vistas de Nova Friburgo e de outras localidades próximas podendo-se até visualizar a Baía da Guanabara e uma parte da cidade do Rio de Janeiro, Região Serrana, Grande Rio (São Gonçalo, Niterói, Itaboraí), Baixada Fluminense (Guapimirim, Magé e Nova Iguaçu), Região dos Lagos como Maricá, Araruama, Cabo Frio em dias mais claros. Pela última carta escala 1:25.000 do IBGE, a altitude do Pico da Caledônia foi atualizada, contendo dois cumes de 2234 metros e 2255 metros, respetivamente o cume sul e o cume norte, e entre eles se distribuem as torres de telecomunicações. A altitude de 2219 metros se refere a antiga carta 1:50.000 do IBGE.

Sendo uma das maiores montanhas do estado do Rio de Janeiro e com uma localização privilegiada, possui torres de transmissão de rádio, responsáveis pelas comunicações da Petrobrás, possibilitando o envio de dados desde a Bacia de Campos até Brasília sem encontrar nenhuma montanha de maior altitude obstruindo as ondas.Possui também uma rampa de asa delta para prática de voo livre.O local também dispõe de pousadas e camping próximos ao cume.

Horário de visitaçãoEditar

 
Esta seção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
 
Portaria próximo às escadas do cume do Pico da Caledônia.

Importante esclarecer que o Pico da Caledônia é aberto para visitação em horários restritos pela Petrobras e que o seu acesso é feito através de uma estrada bem íngreme a partir do bairro Cascatinha, em Nova Friburgo. O horário de visitas esta entre às 7h00 ate às 16h00, de terça a domingo, e não é permitido subir as escadas com chuva. Subida é gratuita.É Necessário a presença de um cidadão com idade igual ou superior a 18 anos e é obrigatória a identificação.

Meio Ambiente,Geografia e GeologiaEditar

Devido à sua importância para o meio ambiente, considerando a existência de muitas nascentes de água e a presença de animais silvestres, foi criada no seu entorno uma área de proteção ambiental pelo município de Nova Friburgo, conhecida como APA do Caledônia.A vegetação predominante é a Floresta Ombrófila Densa Altomontana encontrada somente no alto das montanhas da Serra do Mar, é condicionada por situações ambientais muito singulares,que lhe conferem estrutura e florística exclusivas, em 1984 foram encontradas 12 famílias de hepáticas distribuídas em 16 gêneros e 21 espécies, das quais 2 são citadas pela primeira vez para o Estado e 3 para o Brasil, porém é possível que essa diversidade tenha diminuído devido à grandes incêndios ocorridos em 2007 e 2011.[2]O Maciço da Caledônia além de seu pico principal, possui outros cumes com altitudes superiores a 2000 e 2100 metros, fazendo parte do trecho da Serra do Mar denominado de Serra da Boa Vista, divisor de águas entre a cidade de Nova Friburgo, a região rural de São Lourenço e a nascente do Rio Macacu.Esta região foi formada no período do Cambriano ou Câmbrico é o período da era Paleozoica do éon Fanerozoico que está compreendido entre 542 milhões e 488 milhões de anos atrás aproximadamente, por isso que essa montanha é formada por rochas muito resistentes.

ClimaEditar

 
Esta seção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
 
Geada aos arredores do Parque Estadual dos Três Picos em agosto de 2011.

A temperatura no topo pode ficar de 8 até 11 graus a menos que o centro de Nova Friburgo, o clima é classificado como Tropical de Altitude tipo Cwb ou literalmente um Clima Oceânico tipo Cwb pela classificação climática de Köppen, é o lugar mais frio da Região Serrana do Rio de Janeiro, superando os relatos de geadas das cidades próximas como Teresópolis e Petrópolis, nessas cidades a geada é comum no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, não existe uma estação meteorológica no Caledônia por isso não tem provas oficias, o que se tem de dados climáticos é apenas rumores e algumas análises acadêmicas. A geada é comum todos os anos, entre os meses de maio a setembro. Nas madrugadas de julho não é difícil as temperaturas chegarem entre 0 e -5°C e ocorrer geadas, no dia 8 de agosto de 2014, a temperatura mínima pode ter chegado a -9°C, pois nesta data a temperatura bateu 1 grau negativo em Salinas (região rural de Friburgo), e nos pontos acima de 2 mil metros na região costuma ficar 8 graus mais frio que Salinas, pois a estação meteorológica nesta localidade está em apenas 1065 metros. No verão a temperatura pode variar em torno de 9°C durante a noite e 22°C durante o dia. Há rumores de queda de neve na região segundo moradores do local em invernos rigorosos, porém jamais foi confirmada, mas é possível, meteorologistas da Climatempo não descartam possibilidades de tal eventualidade por causa da altitude elevada, o que dificulta o fenômeno é a baixa umidade do inverno da Região Sudeste do Brasil. É também o 3° ponto mais frio do Sudeste do Brasil perdendo apenas para alguns trechos da Serra da Mantiqueira e para a Serra do Caparaó, podendo ficar mais de uma semana registrando temperaturas negativas, principalmente durante as madrugadas de inverno.O índice pluviométrico fica em torno de 1500 mm anual.

Desastre aéreo de 1964Editar

 
Esta seção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na noite do dia 4 de setembro de 1964, o avião Vickers Viscount, prefixo PP-SRR, da Vasp, bateu na Pedra do R, no Pico da Caledônia, matando os 39 ocupantes (34 passageiros e 5 tripulantes). O aparelho fazia o percurso Vitória-Rio.Vários relatos confirmam que pessoas subiram a pedra não só para ajudar ou ver a cena. Muitos foram até o Caledônia com a intenção de furtar os pertences dos passageiros. Outros carregaram partes do avião como lembrança do ocorrido, o que acabou levando as Forças Armadas a fecharem o local, impedindo que a população subisse.

 
Ponto onde o avião da Vasp se chocou-se no Pico da Caledônia em 1964.Imagem editada pelo jornal local ( A Voz da Serra).

Além da Marinha, quem participou do resgate foi a Força Aérea Brasileira (FAB), com alguns membros tendo enfrentado o duro caminho através das matas e uma outra equipe que conseguiu o acesso mais facilitado, através dos helicópteros.Nunca ficou exatamente confirmado o que levou o avião a chocar-se com o Caledônia. Segundo dados do Aviation Safety Work — portal americano sobre acidentes aéreos — a aeronave decolou da parada em Vitória, no Espírito Santo, às 15h30, e estabeleceu cruzeiro à altitude de 1800 metros.

Por volta das 16h30, a tripulação fez o informe dizendo que estava sobrevoando Rio Bonito, porém, o avião estava sobre Nova Friburgo, a 43 quilômetros de Rio Bonito e a 35 de sua rota original. A aeronave chocou-se no lado oeste do Pico do Caledônia a aproximadamente 1.950 metros de altitude — cerca de 300 metros abaixo do pico da montanha, portanto.

A comissão investigadora divulgaria na época a única conclusão possível: "Colisão com obstáculo localizado 35 km à direita da rota por razões indeterminadas”. O inquérito fora muito prejudicado pelo estado em que ficaram os destroços do acidente, uma vez que o avião foi reduzido a pequenos fragmentos. Também foi prejudicado o reconhecimento dos corpos, que ficaram partidos em pequenos pedaços, sendo possível reconhecer somente oito deles.

Outro motivo que poderia ter causado o acidente foi a opção da tripulação de voar a seis mil pés, indicando um possível problema com a pressurização. A altitude era adequada à rota, porém não ao desvio que acabou sendo feito. Em condições normais, um avião pressurizado como o Viscount voava, geralmente, na altura de 12 mil a 16 mil pés de altitude.

Posteriormente outro desastre aéreo ocorreu no dia 20 de dezembro de 1984, com choque de um avião também no Pico da Caledônia, matando todos seus ocupantes, entre eles o jovem zagueiro Figueiredo, do Flamengo.

Referências