Pierre-Étienne Monnot

escultor francês

Pierre-Étienne Monnot ou Monot (Orchamps-Vennes, 1657 - Roma, 1733) foi um escultor da França, ativo principalmente em Roma.

São Paulo, Basílica de São João de Latrão

Recebeu influência de Domenico Guidi, cujo estilo emulou na tumba de Inocêncio XI, que criou para a Basílica de São Pedro. A obra de Monnot, por sua vez, inspirou Alessandro Algardi a criar a tumba de Leão XI. Tem obras espalhadas pela Alemanha e Roma, sendo um bom exemplo do estilo barroco flamejante.[1] Colaborou com Pierre Le Gros, o Jovem, na grande tumba de Gregório XV na Igreja de Santo Inácio de Loyola, esculpindo duas Famas aladas, monumento que foi considerado por Büchel, Karsten & Zitzlsperger, como o mais notável de seu gênero, e uma influência renovadora para a escultura fúnebre romana posterior.[2]

Referências

  1. Pierre-Etienne Monnot.
  2. Büchel, Daniel; Karsten, Arne & Zitzlsperger, Philipp. Mit Kunst aus der Krise? Pierre Legros' Grabmal für Papst Gregor XV. Ludovisi in der römischen Kirche S. Ignazio. Marburger Jahrbuch für Kunstwissenschaft. Marburg: Philippsuniversität, 2002. Vol. XXIX, pp. 188
  Este artigo sobre um escultor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.