Pierre Marie Auguste Broussonet

político francês

Pierre Marie Auguste Broussonet (Montpellier, 19 de janeiro de 1761 – Montpellier, 27 de julho de 1807) foi um médico e naturalista francês.

Pierre Marie Auguste Broussonet
Nascimento 28 de fevereiro de 1761
Montpellier
Morte 27 de julho de 1807 (46 anos)
Montpellier
Cidadania França
Alma mater
Ocupação botânico, político, zoólogo, naturalista, professor universitário, engenheiro agrônomo, ictiólogo, médico,
Empregador Universidade de Montpellier, École nationale vétérinaire d'Alfort

BiografiaEditar

Depois de uma viagem à Inglaterra, começou a granjear sua reputação, sendo substituto de Daubenton no College de France (1783) e na Escola Veterinária (1784) e como membro da Academia de Ciências (1785). Eleito deputado à assembléia legislativa, foi suspeito de ser um girondino sob a Convenção, viu-se forçado a expatriar-se. De volta à França (1796), foi nomeado professor de botânica em Montpellier. Enriqueceu a ciência com trabalhos notáveis sobre peixes e vários estudos sobre botânica. Ele foi o responsável, ainda, por introduzir em França o primeiro rebanho merino e as cabras angorá. No final de sua vida, Broussonet sofreu um ataque apoplético, perdendo a memória para os nomes próprios e os substantivos. Sua principal obra publicada foi Elenchus plantarum horti Montispeliensis.[1]

Traduziu, ainda, obras como Histoire des découvertes et des voyages faits dans le Nord, de Johann Reinhold Forster.

Referências

  1. Este texto foi extraído da Noveau Larousse Illustré - Grand Dictionnaire universel du XIXe siècle, enciclopédia, ed. 7 vol., Librarie Larousse, Paris, 1866-1877, em domínio público.


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Pierre Marie Auguste Broussonet