Abrir menu principal

Origens da CriaçãoEditar

Assim como “Taxman” e “Think For Yourself,” essa é mais uma crítica social feita por Harrison. Num estilo barroco, quase como canção de crianças, com harpas e cravos e um contraponto com um riff de blues, Harrison esboçou todo seu desgosto com a classe social esnobe, chamando-os de porcos. A canção é também mal-interpretada como sendo anti-autoridade (como a polícia que tem o apelido pejorativo de “porcos”).

LetraEditar

A letra irônica de George traz uma fábula sobre os "Porquinhos." Frases como, "Os porquinhos vivem chafurdando na lama," "com suas camisas brancas engomadas," "eles sempre tem sujeira pra fazer" e "eles vivem suas vidas de porcos," mostram de maneira simbólica comparando-os com a burguesia local de Londres. A mãe de Harrison contribuiu com a frase, "O que eles precisam são umas boas palmadas," e Lennon contribuiu com a frase final, "Agarrando garfos e facas para comerem seu bacon" apesar da idéia original ser "para cortar suas bistecas."

GravaçãoEditar

A canção foi gravada em 19 de setembro em poucas tomadas no Abbey Road Studios. Lennon empolgado com sua expêriencia de colagem de fitas (que mais tarde gerou "Revolution 9") fez uma colagem com grunhidos de porcos e o assistente de produção de Martin, Chris Thomas, gravou a harpa e o cravo. Os arranjos foram um trabalho duplo de Harrison e George Martin. Em alguns trechos sua voz é modificada com sintetizadores. John Lennon participa fazendo os grunhidos de porco.

Os músicosEditar

Curiosidades e referênciasEditar

  • Há uma versão desconhecida da letra que foi deixada de lado na época e só foi executada posteriormente nos shows solo de George Harrison nos anos 90. Essa versão pode ser vista em seu álbum ao vivo, Live in Japan. Segue abaixo:

“Yeah, everywhere there's lots of piggies/Playing piggy pranks” (Sim, todo lugar tem muitos porquinhos/Fazendo malandragem de porcos)

“And you can see them on their trotters/Down at the piggy banks” (E voce pode vê-los em seus cavalos/Descendo para o banco dos porcos)

“Paying piggy thanks/To they pig brother” (Pagando favores de porcos/Para seus aliados porcos)

  • Charles Manson interpretou muito das canções do disco e as usou como explicação para justificar seus crimes. “O que eles precisam é umas boas palmadas” soou como se ele devesse atacar a polícia. Durante os assassinatos, ele mandou seus seguidores usarem facas e garfos para cortar as vítimas como mencionado na canção e também escreveu com sangue das vítimas nas paredes, palavras como: “porcos políticos” e “morte aos porcos.”
  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.