Abrir menu principal
Pilar Barrios
Nascimento 12 de outubro de 1889 (129 anos)
Rocha
Morte 22 de junho de 1974 (84 anos)
Montevidéu
Nacionalidade Uruguaia
Etnia Afro-uruguaio
Cônjuge Maruja Pereyra
Ocupação Escritor, político, poeta

Pilar Barrios (Rocha, 1889-Montevidéu, 1974) foi um ativista, escritor e político afro-uruguaio, fundador e militante do antigo Partido Autóctone Negro (PAN).[1]

Índice

BiografiaEditar

Em sua poesia mostrou uma compreensão do racismo baseado em critérios de classe social, com esperança de mudar essa situação tendo como referência o desenvolvimento de uma consciência racial, a qual chamou de negritud. Barrios era otimista nesse sentido, porque acreditava na igualdade entre as pessoas e as raças, conforme demonstrou em seus poemas.

Um dos seus meios de expressão foi o jornal Nuestra raza, que fundou em 1917 junto com seus irmãos Ventura e María Esperanza Barrios.

 
Capa do jornal Nuestra Raza, número 55 (1938), feita com um fac-símile da folha eleitoral do Partido Autóctone Negro (PAN) do Uruguai.

Em 31 de julho de 1937 se casou com a ativista Maruja Pereyra.[2] Ao publicar Piel negra em 1947, se converteu em um dos únicos poetas negros uruguaios a publicar um livro (a outra foi Virginia Brindis de Salas). Como um dos intelectuais negros mais destacados do Uruguai, Barrios esteve em contato com a intelligentsia negra de todo o mundo, trocando correspondência, por exemplo, com Langston Hughes.[1]

ObrasEditar

  • En la Agraciada (publicado no jornal El civismo)
  • Piel negra (1947)
  • Mis cantos (1949)
  • Campo afuera (1958)

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

  • Jackson, Richard. The shared vision of Langston Hughes and black Hispanic writers. Black American Literature Forum, Vol 15 Núm. 3 pp. 89-92.
  • Roberts, Nicole. Añoranzas negras: la poesía negra uruguaya del siglo XX. Política y Cultura. Outono de 2004, N º' 22 pp. 183-195.