Abrir menu principal
Pinhal Grande
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Pinhal Grande
Bandeira
Brasão de armas de Pinhal Grande
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Pinhal"
Gentílico pinhal-grandense
Localização
Localização de Pinhal Grande no Rio Grande do Sul
Localização de Pinhal Grande no Rio Grande do Sul
Pinhal Grande está localizado em: Brasil
Pinhal Grande
Localização de Pinhal Grande no Brasil
Mapa de Pinhal Grande
Coordenadas 29° 21' S 53° 19' 52" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Municípios limítrofes Júlio de Castilhos, Nova Palma, Estrela Velha e Ibarama
Distância até a capital 320 km
História
Fundação 20 de março de 1992 (27 anos)
Aniversário 20 de Março
Administração
Prefeito(a) Luiz Antonio Burin (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 477,126 km²
População total (est. IBGE/2016[2]) 4 552 hab.
Densidade 9,54 hab./km²
Clima subtropical (Cfa)
Altitude 394 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,678 médio
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 111 522,217 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 24 254,51

Pinhal Grande é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. O município integra a quarta colônia de imigração italiana e hoje é composto por descendentes de italianos, portugueses e espanhóis.[5]

A vegetação nativa, especificamente a mata de pinhais ou araucária (Araucaria angustifolia), deu nome a Pinhal Grande.[5]

HistóriaEditar

A história registra que diversas tribos indígenas viveram nesta região, entre elas os Tapes. Os jesuítas foram os primeiros homens brancos a chegar à região de Pinhal Grande, para catequizar os índios e atuar na criação de gado utilizando-os como mão de obra. O domínio português intensificou a exploração destas terras. Séculos depois, por volta de 1813, o curitibano João Gonçalves Padilha e seu irmão, José Maria Gonçalves Padilha, realizavam o comércio de potros, cavalos e muares entre esta região e São Paulo.[5]

O município de Pinhal Grande foi criado pela lei orgânica municipal nº 9600 de 20 de março de 1992, emancipando-se de Júlio de Castilhos.[5]

PolíticaEditar

 Ver artigo principal: Lista de prefeitos de Pinhal Grande

Presidentes da Câmara de Vereadores:

  • Célio José Garlet, PDT (1993)
  • Antonio Domingos Barbieri, PDS (1994)
  • Darci Ferreira dos Santos, PDT (1995)
  • Pio Scapin, PDS (1996)
  • Célio José Garlet, PDT (1997)
  • Roque João Cargnin, PPB (1998)
  • Euzébio dos Santos, PDT (1999)
  • Nilvo Antonio Lago, PPB (2000)
  • Célio José Garlet, PDT (2001)
  • Euzébio dos Santos, PDT (2002)
  • Darci Ferreira dos Santos, PDT (2003)
  • Ademar Voss PDT, (2004)
  • Célio José Garlet, PDT (2005)
  • Euzébio dos Santos, PDT (2006)
  • Celito Tadeu Cocco, PTB (2007)
  • Ademar Voss, PDT (2008)
  • Pio Scapin, PP (2009)
  • Joanilso Antonio Dalmolin, PT (2010)
  • Laurindo Gabriel Hoppe, PP (2011)
  • Ademar Voss, PSDB (2012)
  • Célio José Garlet, PDT (2013)
  • Ezequiel Piccin, PDT (2014)
  • Adilio José Batistela, PDT (2015)
  • Darci Ferreira dos Santos, PDT (2016)

Uma das medidas previstas na proposta de emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, apresentada no dia 5/11/2019 pelo governo Bolsonaro[6], prevê a extinção de municípios com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria inferior a 10% da receita total. Isto atingiria quase metade das 497 cidades do Estado do RS e Pinhal Grande seria um desses municípios que seriam eliminados.

EconomiaEditar

Destaca-se, em Pinhal Grande, o potencial hidrelétrico fornecido pelo Rio Jacuí que forma a divisa natural do município a seus vizinhos. Em suas fronteiras estão instaladas duas usinas hidrelétricas de grande porte: a Usina Hidrelétrica Itaúba, na divisa com o município de Estrela Velha; e a Usina Hidrelétrica Dona Francisca, na divisa com o município de Dona Francisca.

A economia de Pinhal Grande está baseada nas atividades primárias da agricultura e da pecuária, que se desenvolvem nas mais de 800 propriedades rurais do município. Os principais produtos cultivados são a soja, o milho, o feijão, o fumo, a aveia e a mandioca. Na pecuária, destaca-se a criação de gado bovino. A piscicultura é um setor em desenvolvimento, baseado na criação de jundiás e carpas chinesas. A produção de vinho atinge a cifra de 200 mil garrafas por safra. A fabricação de cachaça e garapa da cana-de-açúcar também se destaca. O setor industrial conta com fábrica de embutido, de esquadrias e de móveis, além da indústria de laticínios Parlacto, que produz queijos e manteigas. No que diz respeito a população, cerca de 70% dela está localizada no campo; os 30% restantes estão concentrados na sede urbana do município.[5]

TurismoEditar

Pinhal Grande possui algumas opções peculiares de turismo, dentre os quais se destacam o ecoturismo por fazendas e destinos conhecidos pela beleza natural. Um destes locais de destaque é a cascata Toca do Tigre a apenas 11 km da cidade.

Outra opção de turismo clássico é a bela igreja matriz da cidade, construída em estilo gótico que mantém sua imponência até os dias atuais. O Moinho Rubim, um moinho de pedras bastante antigo também é destaque, a apenas 1 km do centro da cidade.

Está em construção[7] a rodovia RS 149 que será a primeira ligação asfáltica que o município terá e o conectará por 28,7 km ao município vizinho de Nova Palma, dando acesso a vários municípios da Quarta Colônia e ao pólo educacional e de serviços de Santa Maria.

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 29º20'46" sul e a uma longitude 53º18'24" oeste, estando a uma altitude média de 394 metros. Sua população estimada em 2004 era de 5 031 habitantes.

Possui uma área de 477,39 km², localizada na região do Planalto Médio. O relevo é composto de gramíneas e mata nativa, destacando-se o pinheiro (Aracuaria angustifolia).[5]

HidrografiaEditar

No Rio Jacuí, está a Usina Hidrelétrica Itaúba, considerada a maior usina instalada ao longo desse rio, com quatro geradores e 500 megawatts totais de potência. Localizada na divisa de Pinhal Grande com o município de Estrela Velha, a barragem foi construída entre 1972 e 1978. Sua inauguração oficial ocorreu no dia 9 de novembro de 1978. A usina possui 97 metros de altura e uma área alagada de 13.800 quilômetros quadrados.[5]

A outra hidrelétrica dividida pelo município é a Usina Hidrelétrica Dona Francisca com potência efetiva aproximada de 125 MW. Esta entrou em operação dia 5 de fevereiro de 2001.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 25 de junho de 2017 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. a b c d e f g «Pinhal Grande, RS - História». IBGE. Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  6. «MAPA: quais são os 226 municípios do RS que seriam extintos com aprovação de projeto do governo Bolsonaro». GaúchaZH. 6 de novembro de 2019. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  7. Claudemir Pereira (1 de outubro de 2009). «Inicia pavimentação da RS 149, entre Pinhal Grande e Nova Palma». Claudemir Pereira. Consultado em 29 de novembro de 2014 

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar