Abrir menu principal
Pirâmide de Sefrés
Ruínas da pirâmide
Sefrés
Localização Abusir, Egito
Nome antigo "A Ascensão do Espírito de Sefrés"
Construção c. 2 480 a.C. (5ª Dinastia)
Tipo Pirâmide verdadeira[nota 1]
Material Calcário
Altura 47 m
Base 78,75 m
Volume 96 542 m3
Inclinação 50°11'14
Coordenadas 29° 53' 52" N 31° 12' 12" E
Pirâmide de Sefrés está localizado em: Egito
Pirâmide de Sefrés

Pirâmide de Sefrés ou Sauré (em egípcio: Sahuré) foi a primeira pirâmide construída na necrópole de Abusir, no Egito. A pirâmide foi construída para o enterro de Sefrés, segundo faraó da quinta dinastia c. 2 480 a.C..[2] A pirâmide de Sefrés é parte de um complexo mortuário maior que compreende um templo nas margens do lago Abusir, uma ponte a partir deste templo localizado contra a pirâmide principal e uma pirâmide de culto para o do rei.[3] O complexo era conhecido na antiga egípcia como Ḫˁj-b3 S3ḥ.w Rˁ, "A Ascensão do Espírito Ba de Sefrés".[2]

O complexo de pirâmides de Sefrés foi amplamente escavado no início do século XX por Ludwig Borchardt e agora é reconhecido como um marco na arquitetura do Egito Antigo, um padrão que permaneceria inalterado até o final da sexta dinastia, 300 anos mais tarde.[2][4] O vale e os templos, bem como a calçada do complexo, foram ricamente decorados com mais de 10 mil metros quadrados de relevos finos. O templo também é notável pela variedade de materiais de construção utilizados, como alabastro, basalto, calcário fino e granito vermelho.[2][3][5]

Notas

  1. O termo "pirâmide verdadeira" se refere a pirâmides com a forma geométrica de uma pirâmide. Ou seja, elas possuem uma base quadrada com quatro faces triangulares convergindo em um único ponto no ápice.[1]

Referências

  1. Verner, Miroslav (2001). «Pyramid». In: Redford, Donald B. The Oxford Encyclopedia of Ancient Egypt. 3. Oxford: Oxford University Press. pp. 87, 89. ISBN 978-0-19-510234-5 
  2. a b c d Mark Lehner: The Complete Pyramids. (London:Thames and Hudson Ltd.) ISBN 0-500-05084-8
  3. a b Miroslav Verner, Steven Rendall: The Pyramids: The Mystery, Culture, and Science of Egypt's Great Monuments, p. 313–324 ISBN 0-8021-1703-1
  4. Ludwig Borchardt: Das Grabdenkmal des Königs Sahurā. 2 Bände, J. C. Hinrichs, Leipzig 1910–1913 (Publication of Borchardt's excavations). Copyright-free online version
  5. Rainer Stadelmann: Die agyptischen Pyramiden: Vom Ziegelbau zum Weltwunder (Kulturgeschichte der antiken Welt), p. 164–174

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre o Egito é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.