Abrir menu principal
Pirâmide de Userquerés
Ruínas da pirâmide
Userquerés
Localização Sacará, Egito
Nome antigo "Os Puros Locais de Userquerés"
Construção c. 2 490 a.C. (5ª Dinastia)
Tipo Pirâmide verdadeira[nota 1]
Material Calcário
Altura 49 m
Base 73,5 m
Volume 87 906 m3
Inclinação 53°07'48"
Coordenadas 29° 52' 25" N 31° 13' 08" E
Pirâmide de Userquerés está localizado em: Egito
Pirâmide de Userquerés

O complexo da pirâmide de Userquerés ou Usercafe (em egípcio: Userkaf) foi construído c. 2 490 a.C.[2] para o faraó Userquerés (r. 2494–2487 a.C.), fundador da V dinastia do Egito Antigo (c. 2494–2345 a.C.). Ele está localizado no campo da pirâmide em Sacará, no nordeste da pirâmide de degraus de Djoser (reinou por volta de 2 670 a.C.). Construída em pedra revestida com um núcleo de escombros, a pirâmide está agora arruinada e assemelha-se a uma colina cônica nas areias de Sacara.[2] Por esta razão, é conhecido localmente como Elaram Maarbixe (El-Haram el-Maharbish), o "Montão de Pedra",[3] e foi reconhecido como uma pirâmide real por arqueólogos ocidentais no século XIX.

A pirâmide de Userquerés é parte de um complexo mortuário maior que compreende um templo mortuário, uma capela de oferendas e uma pirâmide de culto, bem como pirâmides separadas e um templo mortuário para a esposa de Userquerés, a rainha Neferetepés.[4] O templo mortuário de Userquerés e a pirâmide de culto estão hoje completamente arruinados e difíceis de reconhecer. A pirâmide da rainha não é nada mais do que um monte de escombros, sendo que sua câmara funerária foi exposta por ladrões.[5]

O complexo é marcadamente diferente daqueles construídos durante a IV dinastia (c. 2613–2494 a.C.) em seu tamanho, arquitetura e localização, estando em Sacara e não em Gizé. Como tal, o complexo da pirâmide de Userquerés poderia ser uma manifestação das mudanças profundas na ideologia da realeza que ocorreu entre as IV e V dinastias,[4] mudanças que podem ter começado durante o reinado do predecessor imediato de Userquerés, Seberquerés.[6] Cerca de 1500 anos após sua construção, o complexo da pirâmide foi restaurado sob o governo de Ramessés II. Em um período muito posterior (664–525 a.C.), foi usado como cemitério.

Notas

  1. O termo "pirâmide verdadeira" se refere a pirâmides com a forma geométrica de uma pirâmide. Ou seja, elas possuem uma base quadrada com quatro faces triangulares convergindo em um único ponto no ápice.[1]

Referências

  1. Verner, Miroslav (2001). «Pyramid». In: Redford, Donald B. The Oxford Encyclopedia of Ancient Egypt. 3. Oxford: Oxford University Press. pp. 87, 89. ISBN 978-0-19-510234-5 
  2. a b Mark Lehner, The Complete Pyramids, Thames & Hudson, ISBN 978-0-500-28547-3, p. 140
  3. Jean-Phillipe Lauer (in French):Saqqarah, Une vie, Entretiens avec Phillipe Flandrin, Petite Bibliotheque Payot 107, 1988, ISBN 2-86930-136-7
  4. a b Audran Labrousse and Jean-Philippe Lauer (in French): Les complexes funéraires d'Ouserkaf et de Néferhétepès, Vol. 1 and 2, IFAO, 2000, ISBN 2-7247-0261-1
  5. Miroslav Verner, Steven Rendall: The Pyramids: The Mystery, Culture, and Science of Egypt's Great Monuments, p. 306, Grove Press, 2002, ISBN 0-8021-3935-3
  6. Ian Shaw, The Oxford History of Ancient Egypt, Oxford University Press, ISBN 0-19-280293-3

Ligações externasEditar