Política da Guiné

Política da Guiné tem lugar num quadro de uma república presidencial, segundo a qual o Presidente da Guiné é simultaneamente chefe de estado e chefe de governo. O poder executivo é exercido pelo governo. O poder legislativo é investido tanto no governo como a Assembleia Nacional.

Guiné
Coat of arms of Guinea.svg

Este artigo é parte da série:
Política e governo da
Guiné



 · Atlas

Desde 23 de dezembro de 2008, em virtude da morte do presidente Lansana Conté, está suspensa a Constituição, assim como toda atividade política e sindical em virtude de golpe de estado aplicado por militares.

De acordo com o porta-voz do Exército, "O governo e as instituições republicanas foram dissolvidos", acrescentou, antes de afirmar que será formado um "conselho consultivo" integrado "por civis e militares", declarou o capitão Musa Dadis Camara.

Antes de tais alterações políticas, a Guiné possuía a seguinte configuração política:

Poder ExecutivoEditar

Chefe de Estado - Presidente Lansana Conté (chefe do governo militar desde 5 de Abril de 1984. Eleito presidente em 19 de Dezembro de 1993)

Chefe de Governo - Primeiro Ministro Lamine Sidime (desde 8 de Março de 1999)

Gabinete - Conselho de Ministros, indicados pelo presidente

Eleições - O presidente era eleito por voto popular para um mandato de 5 anos. O candidato devia receber a maioria dos votos para se tornar presidente.

Poder LegislativoEditar

Representado pela Assembléia Nacional Popular (Assemblée Nationale Populaire) com 114 cadeiras. Seus membros são eleitos por voto direto popular para um mandato de 5 anos

Eleições - A última ocorreu em 18 de Abril de 2005

Poder JudiciárioEditar

Corte de Apelação (Cour d'Appel)


  Guiné
História • Política • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Bandeira • Portal • Imagens