PopPorn Festival é um festival de filmes, arte, workshops e debates ligados à pornografia e sua ligação com a cultura (alta cultura e cultura popular) em geral, que acontece em São Paulo. Criado em 2011 por Suzy Capó[1] e inspirado pelo Pornfilmfestival Berlin[2], o evento, que chega a sua 10a edição em 2020, é hoje organizado por um coletivo queer formado por Tino Monetti, Vera Vasquez, Thiago Roberto, Marcelo D’Ávilla, Ledah Martins e Mayanna Rodrigues[3].

HistóriaEditar

Entre 2010 e 2011, houve um crescimento muito grande na discussão sobre sexo e pornografia, tanto no campo acadêmico como comercial e no cotidiano. Entretanto, ainda não havia um evento que levantasse o debate de forma integrada e pública - e não restrito a segmentos específicos da população. Em 2011, a produtora Suzy Capó - que já participara da produção do Festival MixBrasil - procurou o apoio do criador do Pornfilmfestival Berlin, Jürgen Brünning, e diversas empresas, profissionais e acadêmicos ligados ao tema, para criar uma versão brasileira do festival,[4] que, ao contrário do festival original, não se limitaria a filmes pornográficos, trazendo também debates, workshops, exposições e outros eventos de disciplinas diferentes.

 
Logo atual do PopPorn Festival

A primeira edição do festival aconteceu entre os dias 26 de Maio e 2 de Junho 2011, com eventos espalhados em diversas galerias, cinemas e espaços culturais na cidade de São Paulo, como a Galeria Vermelho, a Matilha Cultural, o Espaço Itaú de Cinema e o Cine Odeon, no Rio de Janeiro, que recebeu uma exibição especial. Os debates tiveram como tema "Pornografia & Feminismo", mediado por Penélope Nova, e "Páginas Picantes: O Ardor da Literatura Sexual", com Vange Leonel. Entre os 16 longas e 24 curtas exibidos, estiveram "O Diabo na Carne de Miss Jones" e "Último Tango em Paris"[5].

Sua segunda edição acontece entre os dias 1 e 3 de Junho de 2012[6]. Ao contrário da primeira edição, os eventos do festival - projeções de filmes, debates, workshops, etc - acontecem em apenas um lugar, a escola Trackers, ao longo de 48 horas ininterruptas. Por causa deste formato - análogo ao formato da Virada Cultural - o evento foi apelidado de Virada Porn.[7] A segunda edição contou com exibição especial de filmes latinos (entre eles, obras do cineasta cubano Jorge Molina), animações e estreia do documentário "A Primeira Vez do Cinema Brasileiro", além da estreia do cabaret de abertura (com o tema "resistência"), de um workshop de sensualidade burlesca por Sweetie Bird e um debate sobre o futuro da pornografia[6][8].

A terceira edição do PopPorn acontece entre os dias 7 e junho de 2013 em São Paulo, mais uma vez no espaço da Trackers. Os destaques da edição foram para a exposição "Com a genitália dos outros não se brinca", com curadoria de Thaís Mayume Maldita, e para a seleção de filmes de Poppy Cox, diretora artística do Bike Smut, com tema de bicicletas. Ainda no tema, a edição contou com a primeira edição da Pedalada dos Bikesexuais, em parceria com a Tag & Juice. Entre os filmes, destaque para "Joven y Alocada", "Uncle Bob", "O Come Tudo" e outros filmes de Pink Eiga, subgênero cinematográfico erótico japonês[9][10].

O quarto festival PopPorn, mais uma vez realizado na Trackers, foi nos dias 6, 7 e 8 de junho de 2014. “Em mais um ano, o festival pretende aglutinar ideias, trabalhos, projetos, práticas, atividades e, sobretudo, pessoas em torno da sexualidade, para transitar entre as fronteiras da indústria do sexo, cultura pop, performance e arte”, informava o site do evento na edição, que contou com uma feira de zines, com a exposição "Vulva Liberta", com workshops de fotografia erótica, shibari e filmes faça-você-mesmo, além de debates sobre os temas "Sexo e Tecnologia", "Sexualidade na Gravidez" e "Ideologia e Corpo. Entre os filmes, foco no Brasil com exibição de um documentário sobre Cassandra Rios e o longa "Histórias Que Nossas Babás Não Contavam". Nas performances, destaque para "The Lap Dance Is Present", por Marcelo D'Avilla, "Nerdlesque", por Sweetie Bird e "Butoh Gaysha", de Rafael Amambahy[11][8].


A quinta edição do festival, realizada entre 12 e 14 de junho de 2015[12], foi a primeira sem Suzy Capó após sua morte. Encabeçado por Mayara Medeiros e Roy Loui Di Paul (ambos donos da produtora de alt-porn xplastic), o coletivo pela primeira vez cuidou de todas as partes da programação do festival underground. Com o fechamento da Trackers, o evento ocorreu pela primeira vez no Teatro Cemitério de Automóveis, de Mário Bortolotto, na Rua Augusta. A edição foi uma grande homenagem a Suzy Capó, com performances, instalações artísticas e seus filmes preferidos sendo exibidos no fim de semana do festival, entre eles, "The Raspberry Reich", de Bruce LaBruce, "Mommy Is Coming", de Cheryl Dunye, "Meu Amigo Claudia", de Dácio Pinheiro", e "Nova Dubai", de Gustavo Vinagre. A edição contou ainda com um debate sobre HIV com Jean Wyllys e Lucinha Araújo[13][14].

A sexta edição do evento foi realizada entre os dias 10 e 12 de junho de 2016, pela primeira vez no centro de São Paulo, no Largo do Arouche, no espaço The Sensation. Com forte teor político devido ao recente impeachment de Dilma Rousseff, a edição abordou a ideia de "terrorismo pornô", trazendo temas impactantes como feminismo periférico (em debate mediado por Eliane Dias, empresária do Racionais MC's, com o coletivo negro e queer Batekoo), a sexualidade de pessoas com diversidade funcional e a neutralidade de gênero. O festival contou com o apoio de "embaixadores" como François Sagat, Buck Angel e Caetano Veloso, que fizeram placas de apoio ao evento[15]. Entre os filmes, foram exibidos "Como Gado Em Direção ao Brilho", de Dennis Cooper, o brasileiro "O Animal Sonhado", da Tardo Filmes, e o documentário espanhol "Yes, We F*ck!"[16]. Em 2016, o PopPorn fez seleções especias, curadas e apresentadas por Tino Monetti, em outros festivais internacionais como o Pornfilmfestival Berlim e o International Queer Migrant Film Festival, em Amsterdam[17].

A edição 7 do PopPorn foi a primeira realizada no bairro da Vila Madalena, dentro do espaço Estação Rio Verde, dias 3 e 4 de junho de 2017. Com o tema "Meu Corpo, Minhas Regras", o evento contou com apresentações musicais, performances, workshops e debates, como "Sexo Com Mais de 50", mediado pela antropóloga Carol Parreiras, e "BDSM e Fetiche no Brasil", ministrado pelo jornalista Amauri Stamboroski Jr e pela jornalista Marie Declerq[18][19]. Entre os filmes, mais de 100 obras de 15 países foram selecionadas e exibidas, entre elas, sessões temáticas como "Trabalhadorxs do Sexo", "Feitos Por Mulheres", "Porn Art", Pornologia" e "Vice Apresenta", feita com a media partner do festival, VICE. O grande destaque (e vencedor da edição) foi o francês "Ser Cavalo".

A 8a edição do evento, com o tema "Descubra-se" foi novamente realizada na Estação Rio Verde, nos dias 9 e 10 de junho de 2018. Entre os destaques do ano estiveram a programação de filmes com todos dirigidos por mulheres (entre eles, "Amores Líquidos", "Latifúndio", "O Encontro", "Chega de Fiu-Fiu", "Landlocked" e "Cidade Queer"), com curadoria de May Medeiros e Mayume Maldita, além do retorno da feira de zines, e os clássicos debates e workshops[20].

O PopPorn 9 ocorreu pela primeira vez em agosto, entre os dias 16 e 18 de agosto (aniversário de Suzy Capó), no Espaço Esponja, uma cobertura do centro de São Paulo. Os destaques foram a campanha em vídeo que trouxe 9 "pecados do capital" através de 9 performers: feminicídio, fé, gordofobia, homofobia, transfobia, binarismos, corrupção, racismo e descarte (dos corpos feminismo na pornografia mainstream). O evento teve filmes e documentários renomados como o espanhol "Viver e Outras Ficções", que trata sobre a sexualidade de pessoas com deficiência, o longa nacional "A Rosa Azul de Novalis", de Gustavo Vinagre, e os novos filmes de Bruce LaBruce e Emilie Jouvet[21].

Referências

  1. «Jornalista e produtora cultural Suzy Capó, cofundadora do Festival Mix Brasil, morre em SP». O Globo. 11 de janeiro de 2015. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  2. «PopPorn Festival 2011 promete misturar sexo e cultura pop». 2011. Consultado em 1 de junho de 2012 
  3. Declercq, Marie (12 de agosto de 2019). «A 9ª edição do Festival PopPorn quer trazer uma luz no fim do túnel pro Brasil conservador». Vice. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  4. «PopPorn Festival 2011 promete misturar sexo e cultura pop». 2011. Consultado em 1 de junho de 2012. Inspirado no Pornfilmfestival Berlin, idealizado por Jürgen Brünning, o PopPorn Festival 2011 chega ao Brasil, em São Paulo, a partir da próxima quinta-feira, 26, juntando além de um monte de gente legal produções artísticas bem safadinhas apresentadas em diversos suportes. Tem exibição de filmes, mesas de debates, workshops, exposições e, claro, muita festa. 
  5. «Festival usa arte para discutir pornografia». JT Variedades. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  6. a b «Festival PopPorn faz uma 'virada para adultos' em São Paulo - Cultura». Estadão. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  7. «Festival PopPorn faz uma 'virada para adultos' em São Paulo». 2012. Consultado em 1 de junho de 2012. Na estreia, o PopPorn teve uma programação espalhada por locais diversos, ao longo de uma semana, experiência que não foi satisfatória, deixando o evento “muito solto”, explica Suzy. Desta vez, tudo se concentra em 48h, desde as 22h de sexta-feira, em um só local, a escola de produção audiovisual Trackers, no centro. Ganhou, então, o apelido de Virada Porn. 
  8. a b «EDIÇÕES ANTERIORES – Popporn». Consultado em 26 de setembro de 2019 
  9. Sakaue, Dica de Fabiana. «3ª edição do Festival PopPorn acontece entre os dias 7 e 9 de junho na Trackers». Consultado em 26 de setembro de 2019 
  10. «Festival traz pornografia artística (ou será arte pornográfica?)». BOL. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  11. Tade, Tiago (2 de junho de 2014). «Sexo em SP: festival PopPorn chega a sua 4ª edição». SPressoSP. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  12. Declercq, Marie (20 de maio de 2015). «Os Desafios dos Missionários do Pornô de São Paulo». Vice. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  13. «As boas do final de semana em SP 12.06 | Chicken or Pasta?». chickenorpasta.com.br. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  14. «Três destaques do festival Pop Porn». Trip. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  15. «EDIÇÕES ANTERIORES – Popporn». Consultado em 27 de setembro de 2019 
  16. Nunes, Brunella (30 de maio de 2016). «Festival PopPorn invade São Paulo com temática erótica em filmes, debates e workshops». Hypeness. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  17. «Pop Porn Brasil – Pornfilmfestival Berlin». pornfilmfestivalberlin.de. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  18. «PopPorn Festival 7 - Passeios». Guia Folha. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  19. «Festival PopPorn 2017: debates que celebram a cultura erótica acontece em junho em SP». Revista Glamour. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  20. «Festival PopPorn 2018 acontece neste final de semana em São Paulo e tem debates e filmes; veja a programação». G1. Consultado em 27 de setembro de 2019 
  21. Declercq, Marie (12 de agosto de 2019). «A 9ª edição do Festival PopPorn quer trazer uma luz no fim do túnel pro Brasil conservador». Vice. Consultado em 27 de setembro de 2019 

Ligações externasEditar