Abrir menu principal

Wikipédia β

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Porco (desambiguação).
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Porco é a denominação dada às diferentes espécies de mamíferos bunodontes, artiodáctilos, não ruminantes a que pertence o porco doméstico. Um conjunto de porcos chama-se vara.

Como ler uma caixa taxonómicaPorco
Caititu num zoológico

Caititu num zoológico
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Suidae
Género: Sus

Foi introduzido no Brasil na década de 1550 por Martim Afonso de Souza[1]. Domesticados, os porcos são usados como animais de companhia, ou criados para fim de abate.

Índice

CaracterísticasEditar

Têm 44 dentes, dentre os quais, caninos curvos e incisivos inferiores alongados, formando uma pá; patas curtas com quatro dedos revestidos por cascos, cabeça de perfil triangular e focinho cartilaginoso. Origina-se do javali, porém existente quase em toda parte como animal doméstico, e sua carne é bastante apreciada.[2]

O tempo de gestação das porcas é de 112 dias, aproximadamente, dando depois à luz entre seis e doze crias, a que se chamam leitões, ou bácoros. Um porco livre pode viver cerca de 12 anos.

TaxonomiaEditar

Há duas famílias de porcos

 
Esqueleto de Suíno

ReproduçãoEditar

Em fazendas é muito comum a utilização de artifícios, como a inseminação artificial, para que se obtenha um rebanho com o menor número de indivíduos fisiologicamente deficientes. Com esta seleção artificial é possível se obter uma prole mais resistente a doenças e com porte que torna viável a comercialização de derivados suínos.

A inseminação artificial ou inseminação intrauterina é uma técnica de reprodução medicamente assistida que consiste na retirada artificial do sêmen nas vias genitais da fêmea.[3] Utiliza-se em casos em que os espermatozoides não conseguem atingir as trompas ou simplesmente por escolha do proprietário do animal. Consiste em transferir, para a cavidade uterina, os espermatozoides previamente recolhidos e processados, com a seleção dos espermatozoides morfologicamente mais normais e móveis.

Galeria (anatomia)Editar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «História dos Suínos». www.abcs.org.br. Consultado em 15 de novembro de 2016 
  2. «Do porco tudo se aproveita». Consultado em 09 de março de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 950.
  Este artigo sobre mamíferos é um esboço relacionado ao Projeto Mamíferos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.