Abrir menu principal

Porecatu é um município brasileiro do estado do Paraná situado as margens do Rio Paranapanema. Sua economia é essencialmente baseada na agricultura tendo a cana-de-açúcar como destaque.

Município de Porecatu
Vista parcial de Porecatu, com a represa de Capivara à esquerda

Vista parcial de Porecatu, com a represa de Capivara à esquerda
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 8 de dezembro
Fundação 8 de dezembro de 1941 (77 anos)
Gentílico porecatuense
Prefeito(a) Fábio Luiz Andrade (DEM)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Porecatu
Localização de Porecatu no Paraná
Porecatu está localizado em: Brasil
Porecatu
Localização de Porecatu no Brasil
22° 45' 21" S 51° 22' 44" O22° 45' 21" S 51° 22' 44" O
Unidade federativa Paraná
Mesorregião Norte Central Paranaense IBGE/2008 [1]
Microrregião Porecatu IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Londrina
Municípios limítrofes (N) Taciba e Narandiba, ambas no estado de São Paulo; (S) Florestópolis; (L) Alvorada do Sul; (O) Centenário do Sul
Distância até a capital 485

[2] km

Características geográficas
Área 291,665 km² [3]
População 14 183 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 48,63 hab./km²
Clima Subtropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,785 alto PNUD/2000 [5]
PIB R$ 94 878,739 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 6 608,07 IBGE/2008[6]

HistóriaEditar

OrigensEditar

No início do processo colonizatório brasileiro, o norte paranaense não atraía a atenção dos colonizadores portugueses, mais interessados na busca de metais preciosos e na extração de madeira nobre. Em fases posteriores, o trabalho com a erva-mate passou a ser importante atividade econômica para a então província do Paraná, mas tal atividade concentrou-se no sul e litoral, não contribuindo para a colonização das outras regiões.

 
Vista da igreja matriz

O norte paranaense só passou a atrair a atenção de colonizadores no final do século XIX, quando o chamado Norte Pioneiro, a nordeste do estado, passou a ser colonizado por agricultores vindos dos estados de São Paulo e Minas Gerais, interessados em criar fazendas de café. Até este momento, a menos de algumas diligências de jesuítas catequizadores e exploradores ocasionais, o norte do Paraná era apenas habitada por índios.

O restante da região norte, conhecido como Norte Central Paranaense, começou a ser colonizado a partir da década de 1920, quando foram fundadas as empresas de capital inglês Brasil Plantations Sindycate e Parana Plantations, com o objetivo de colonizar a região e explorá-la economicamente, a parte mais ao norte desta região, que engloba a área do município de Porecatu, é a de colonização mais tardia, tendo se iniciado no final da década de 1930.

A criação destas empresas proporcionou o surgimento de várias cidades da região Norte Central. Por exemplo, a principal cidade da região do norte do estado, Londrina, teve suas origens onde havia sido estabelecida a matriz de uma subsidiária da Parana Plantations Ltd, chamada de Companhia de Terras Norte do Paraná (atual Companhia Melhoramentos).

Até o início da colonização, grande parte, se não a totalidade, das terras da região norte paranaense eram devolutas. Este era o estado dos 500 mil alqueires passados ao controle da Parana Plantations Ltd. quando da sua criação. Aliando-se isto ao fato de que o governo tinha interesse em acelerar o desenvolvimento da região, criou-se uma política de doação de terras e vendas a preços mínimos.

Este foi o caso da região de Porecatu, cujas terras foram loteadas, no início da década de 1940, por decisão do interventor federal para o estado do Paraná Manuel Ribas, juntamente com terras que hoje pertencem aos municípios de Centenário do Sul, Miraselva, Florestópolis, Jaguapitã e Guaraci, totalizando 120 mil hectares.

Um dos grandes adquiridores destas terras foi Ricardo Lunardelli, que por sua vez as dividiu e loteou. Registra-se que Ricardo Lunardelli chegou a região da atual Porecatu, acompanhado de seus filhos Urbano e João, em 8 de dezembro de 1941, data considerada como sendo a de fundação do município.

A fazenda onde se iniciou o povoado era conhecida como Fazenda Canaã. Em 1942 tentou-se dar o nome de Brasília ao povoado, mas na data do primeiro registro oficial do município, foi utilizado o nome Porecatu, escolhido por Ricardo Lunardelli. Porecatu significa na língua Tupi algo como "bonito salto d'água".

Registros oficiaisEditar

O povoamento que viria a se tornar a atual cidade de Porecatu teve seu primeiro registro oficial como distrito do município de Sertanópolis, qualidade outorgada pelo decreto-lei estadual nº 199, de 30 de dezembro de 1943, assinado pelo então interventor federal Manuel Ribas, um dos políticos nomeados por Getúlio Vargas para administrar os estados brasileiros.

Posteriormente, a lei estadual nº 2, de 10 de outubro de 1947, elevou Porecatu à categoria de município, desmembrando-o de Sertanópolis - a instalação propriamente dita do município se deu a 5 de novembro do mesmo ano. Esta mesma lei também deixava sob administração de Porecatu o distrito de Alvorada do Sul.

Em 14 de novembro de 1951, a lei estadual nº 790, sancionada pelo governador Bento Munhoz da Rocha Neto, criou os municípios de Florestópolis e Alvorada do Sul, desmembrando-os da administração de Porecatu.

Outra data importante para o município é a de 14 de janeiro de 1948, quando a lei estadual nº 23 criou a comarca de Porecatu, oficialmente instalada a 27 de janeiro do mesmo ano. Os registros indicam Octávio Bezerra Valente como o primeiro juiz da cidade.

A mesma década de 1940 que assistiu ao nascimento oficial do município, também viu o desenrolar de um violento conflito entre posseiros e policiais chamado de a Guerra de Porecatu.

GeografiaEditar

Localiza as margens do Rio Paranapanema, tendo seus 291,665 km² situados no estado do Paraná, na divisa com o estado de São Paulo. Nos anos 1970, sua área territorial foi parcialmente alagada durante a criação do lago da Usina Hidrelétrica de Capivara .

TransportesEditar

A cidade é servida por duas rodovias estaduais:

Há também o Aeroporto de Porecatu, de administração privada, com uma pista asfaltada de 2100m. Em 16 de agosto de 2000, este aeroporto foi usado por um bando, supostamente comandado por Marcelo Moacir Borelli, para pousar um avião da Vasp que haviam sequestrado. Nesta ação, o bando teria roubado cerca de R$5 milhões de malotes bancários que estavam sendo transportados por uma empresa especializada de Curitiba. [7][8]

DemografiaEditar

A tabela abaixo apresenta a população de Porecatu nos censos e contagens demográficos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE - desde a criação do município.

Ano
1950
1960
1970
1980
1991
1996
2000
2007
2010
Fonte
Censo
Censo
Censo
Censo
Censo
Contagem
Censo
Contagem
Censo
Homens
13.996
11.402
11.714
10.874
8.486
-
7.860
-
-
Mulheres
11.255
9.191
10.563
10.590
8.616
-
8.021
-
-
Total
25.251
20.593
22.277
21.464
17.102
17.281
15.881
14.174
14.149

Na tabela seguinte, é apresentada a variação da população por períodos.

Período Variação
1950 - 1960 -18,45%
1960 - 1970 +8,18%
1970 - 1980 -3,65%
1980 - 1991 -20,32%
1991 - 2000 -7,14%
2000 - 2007 -10,74%

Fonte: IBGE - Resultado de censos, contagens e estimativas.

EconomiaEditar

A economia do município se baseia quase que exclusivamente na agricultura, principalmente na cultura da cana-de-açúcar. Como exemplo desta característica, duas das maiores empregadoras da cidade, a Usina Central Paraná (UCP) e a Cooperativa Agropecuária dos Cafeicultores de Porecatu (Cofercatu), têm suas atividades relacionadas diretamente com a agricultura. A prefeitura do município é a outra grande empregadora.

Problemas sociaisEditar

Como maior empregadora da cidade a Usina Central Paraná (UCP), do grupo Atalla, tem participação fundamental na economia do município. Porém, nos últimos anos, os problemas financeiros do grupo [9] têm tido impacto direto na população da cidade. Durante a safra canavieira do ano de 2008, manifestações e greves foram realizadas após o não pagamento de salários [10][11][12]. Também durante o ano de 2008, fiscalizações do Ministério do Trabalho e Emprego identificaram diversos problemas nas relações trabalhistas da empresa[13].

PolíticaEditar

 Ver artigo principal: Lista de políticos de Porecatu

Filhos ilustresEditar

EsporteEditar

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «Distâncias entre a cidade de Curitiba e todas as cidades do interior paranaense». EmSampa. Consultado em 22 de setembro de 2017 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. - Seqüestro relâmpago
  8. - Vigilante do aeroporto de Porecatu (PR) foi rendido e ameaçado pelos sequestradores
  9. - Artigo sobre os problemas financeiros da Usina Central Paraná nos últimos anos
  10. - Vídeo da RPC TV sobre as greves na UCP em 2008
  11. - Artigo sobre as greves na UCP em 2008
  12. - Artigo sobre as greves na UCP em 2008
  13. - Artigo sobre problemas nas relações trabalhistas do grupo Atalla
  14. http://www.rsssfbrasil.com//tablesfq/pr1967l2.htm

Ligações externasEditar