Portal:Benim/Artigo selecionado

Artigo selecionado/1

Portal:Benim/Artigo selecionado/1

Royaume du Danhomè 1894-pt.svg

O Reino do Daomé foi um reino africano (localizado na área do atual país de Benim) que existiu entre 1600 e 1904, quando o último rei, Beanzim, foi derrotado pelos franceses e os país foi anexado ao império colonial francês. Daomé desenvolveu-se no platô de Abomei entre os fons no início do século XVII e tornou-se uma potência regional no XVIII conquistando as principais cidades da costa atlântica.

Durante grande parte dos séculos XVIII e XIX, o Reino do Daomé foi um estado regional importante, acabando com o estatuto de tributário do Império de Oió. O Reino do Daomé era uma importante potência regional que possuía uma economia doméstica organizada baseada na conquista e no trabalho escravo, comércio internacional significativo com europeus, administração centralizada, sistemas tributários e forças armadas organizadas. Notáveis no reino eram obras de arte significativas, uma unidade militar feminina chamada de Ahosi por observadores europeus e as práticas religiosas elaboradas de Vodum com o grande festival da Alfândega anual do Daomé, que envolvia sacrifício humano em larga escala.

Artigo selecionado/2

Portal:Benim/Artigo selecionado/2

Abomey 2006 1.jpg

Abomei ou Abomé é uma cidade do departamento Zou do Benim, antigamente a capital do antigo Reino de Daomé. Tem uma população de 92 266 (Censos de 2013). O reino foi estabelecido em 1625. Os palácios reais de Abomei são um grupo de estruturas de argila construídas pelo povo Fon entre meados dos séculos 17 e 19. Um dos mais famosos e historicamente significativos sítios tradicionais na África Ocidental, os palácios formam um dos Património Mundial da UNESCO.

A cidade era rodeada por uma muralha de argila com uma circunferência estimada em seis milhas, atravessada por seis portões, e protegida por uma vala de cinco pés de profundidade, preenchida com um denso crescimento da espinhosa acácia, a habitual defesa das fortalezas da África Ocidental. Dentro das muralhas aldeias foram separadas por áreas, vários palácios reais, um mercado local e uma grande praça que continham as barracas. Em novembro de 1892, Beanzim, o último rei independente que reinou o Daomé, sendo derrotado por forças coloniais francesas, ateou fogo em Abomei e fugiu em direção ao norte.