Abrir menu principal

Portal:Galiza/Artigo do mês/7

Torres de Altamira, Espanha.

As Torres de Altamira localizam-se na aldeia de Torres, município de Brión, na província da Corunha, comunidade autónoma da Galiza, na Espanha.

Erguidas no alto de um monte, em meio a magnífica paisagem natural, do seu sítio descortina-se todo o Vale da Mahía. As torres, monumento mais significativo do município em nossos dias, constituem-se no remanescente de um castelo medieval, que onde se originou a Casa dos Moscoso, poderosa família da nobreza que teve papel de destaque na região à época.




Portal:Galiza/Artigo do mês/6

Maquete que reproduz o Balneum e as Letrinae

A Vila romana de Cambre é um sítio arqueológico localizado na vila de Cambre e integrado na Rede galega de patrimônio arqueológico, na Corunha, comunidade autónoma da Galiza (Espanha).

Por mor de umas obras encontraram-se em 1998 os restos do qual no tempo da Galécia romana foi uma villae rural, que pode datar-se entre os séculos II e IV. Assentada em um dos diferentes níveis do terraço fluvial. Tal localização deveria-se às boas condições do terreno para a exploração agrícola.



Portal:Galiza/Artigo do mês/5

Construções do setor oeste

O Castro de San Cibrao de Las, também conhecido como "A Ciudá", Lambrica, Lansbrica, Lanobrica é um dos povoados castrejos em processo de escavação de maior tamanho entre os localizados no território da atual Galiza. Do resultado dos estudos arqueológicos pode-se definir um período de ocupação continuada desde o século II a.C. até o século II d.C., e com possíveis ocupações esporádicas mais tardias. Pelo seu tamanho pode ser comparado com o de Santa Trega e com as Citânias do norte de Portugal, povoamentos castrejos que se caracterizam pelo seu avançado estado de romanização e pelas suas grandes dimensões. Entre os expoentes mais significativos podem-se citar a Citânia de Briteiros, Castro de Mozinho e o de Sanfins.



Portal:Galiza/Artigo do mês/4

Fachada da igreja e capela

San Pedro de Ansemil é a igreja paroquial de Ansemil, no concelho pontevedrense de Silleda, na Galiza (Espanha). Conforma o conjunto uma igreja românica de planta basilical com três naves e três absides, à qual lhe uniu uma capela gótica que serviu para soterrar os cadaleitos da família dos condes de Deza. Em nossos dias conservam-se duas construções: uma igreja românica e acaroada ao seu muro sul uma capela gótica. A primeira foi o resultado da reforma de uma construção anterior pré-românica, e deveu terminar-se ao redor de 1171. No decorativo destacam-se seus capitéis e sobretudo os cachorros exteriores caracterizados por uma grande variedade morfológica e plasticidade.



Portal:Galiza/Artigo do mês/3

Queimada a arder.

A queimada é uma bebida alcoólica típica da Galiza. Existe um esconjuro para pronunciar quando a elaboração, o qual, segundo a lenda, protegeria contra feitiços e mantém afastados, de quem a bebe, os espíritos e demais seres malvados.

Os seus ingredientes principais são a aguardente e o açúcar, aos que geralmente é adicionada também casca de limão ou laranja. Também podem ser adicionados alguns grãos de café sem moer, pedaços de maçã e uvas , os quais se acrescentam de forma independente segundo a tradição da zona.



Portal:Galiza/Artigo do mês/2

Muralha de Lugo, Espanha: Vista da Muralha.

A muralha romana de Lugo rodeia a zona histórica da cidade de Lugo na província homónima, na Galiza.

A antiga cidade romana de Lucus Augusti, fundada por Paulo Fábio Máximo em nome do imperador Augusto em 13 a.C. com a finalidade de anexar definitivamente o nordeste da Península Ibérica ao Império Romano, foi dotada de um muro de defesa que perdurou, com escassas reformas, até aos tempos atuais.

A muralha, com um comprimento de mais de dois quilómetros, delimita a zona histórica da urbe galega. Construída como separação e defesa, transformou-se num elemento integrador entre a antiga Lucus e a que se desenvolveu ao redor dela. Suas dez portas realizam a função de ligar uma parte da cidade com a outra, e o seu adarve tornou-se uma rua, percorrida pelos viandantes autóctones e visitantes. Passou, portanto, de ser um obstáculo para sua evolução e crescimento a ser um monumento integrado na estrutura urbana e fonte de riqueza turística.

A muralha romana foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2000 e está irmanada desde 6 de Outubro de 2007 com a Muralha da China de Qinhuangdao.



Portal:Galiza/Artigo do mês/1

Castelo da Rocha Forte, Espanha: detalhe das canalizações para o exterior.

O Castelo da Rocha Forte, localiza-se perto do concelho de Santiago de Compostela, na Galiza.

Construído por volta de 1240 e pertencente ao arcebispado Compostelano, tornou-se durante o século XV num símbolo odiado e temido pelos camponeses da região. Deste jeito, com a eclosão da Grande Revolta Irmandinha em 1466, converteu-se num um dos primeiros objetivos dos Irmandinhos na região, sendo atacado por mais de 11.000 pessoas e completamente arrasado.