Portal:Mississippi

Bandeira do Mississippi

Portal de Mississippi

The Magnolia State

Editar
 Flag of Mississippi.svg  O Portal de Mississippi
Localização de Mississippi

O Mississippi ou Mississípi[1] é um dos 50 estados dos Estados Unidos, localizado na região sudeste do país. Historicamente caracterizou-se pela predominância de fazendas, pequenas cidades e a dependência da agropecuária. Atualmente, porém, possui uma economia relativamente diversificada, com uma indústria de manufatura e turismo em crescimento.

A origem do nome deve-se ao rio Mississippi, que corre ao longo da sua divisa oeste. Mississippi é uma palavra de origem algonquina (mais especificamente, a língua Ojibwe) que significa "grandes águas" ou "pai das águas". Atualmente também é conhecido pelos títulos de "Estado da magnólia" e "Estado da hospitalidade".

O Mississippi foi inicialmente colonizado pelos espanhóis, mas anexado pelo Reino Unido, sob os termos do Tratado de Paris. Com a independência das Treze Colônias, a região passou a fazer parte dos recém-criados Estados Unidos. O Território do Mississippi foi criado em 1798 e elevado à categoria de estado em 10 de dezembro de 1817. O Mississippi prosperou economicamente, tendo sido por décadas um dos estados mais ricos do país. Separou-se dos Estados Unidos em 1861, juntando-se aos Estados Confederados da América, tendo sido um dos mais afetados pela guerra civil, que arruinou sua economia e cujos efeitos socioeconômicos podem ser vistos até aos dias atuais.

Sumários temáticos

Editar
 Flag of Mississippi.svg  Artigos destacados

Andrew Wood (Columbus, 8 de janeiro de 1966Seattle, 19 de março de 1990) foi o vocalista da banda Mother Love Bone, e anteriormente do Malfunkshun. Ele morreu de uma overdose de heroína adicionada a uma hemorragia cerebral logo antes do lançamento do álbum début do Mother Love Bone, Apple. Ele viveu na Bainbridge Island em Washington a maior parte de sua juventude, formando Malfunkshun quando adolescente com seu irmão Kevin Wood. O único material lançado durante a existência do Malfunkshun foi na compilação Deep Six (C/Z Records).

Após sua morte, a banda Temple of the Dog foi criada por seu amigo Chris Cornell para homenagear Wood lançando um álbum homônimo em 1991. A banda contava com membros do Soundgarden e Mother Love Bone, que depois viria se tornar a banda Pearl Jam. O álbum Temple of the Dog vendeu mais de um milhão de cópias.


Editar
 Messagebox info.png  História de Mississippi

Até 1954, as instituições de ensino do Mississippi eram segregadas. Neste ano, a Suprema Corte dos Estados Unidos ordenou a dessegregação de todas as instituições de ensino em nos Estados onde a segregação entre brancos e negros existia. O processo de integração racial nas escolas do Estado foi muito lento e gradual, e um dos mais violentos do país. Em 1962, duas pessoas morreram em um motim popular, quando James Merendith tornou-se o primeiro negro a ser admitido na Universidade de Mississippi. Em 1964, três membros do Movimento dos Direitos Civis que promoviam a filiação eleitoral de negros no Estado foram assassinados. Foi somente neste ano que as primeiras escolas públicas do Estado seriam integradas, dez anos após a ordem da Suprema Corte. Em 1969, boa parte das escolas do Estado ainda estava segregada; a Suprema Corte, tendo considerado este processo como lento e ineficiente no Mississippi, ordenou a imediata dessegregação nessas escolas, o que ocorreu em dezembro do mesmo ano.

Apesar da industrialização sofrida durante e após a Segunda Guerra Mundial, a indústria de manufatura do Mississippi ainda era muito fraca, e o Estado ainda era muito dependente da agropecuária. Muitos trabalhadores rurais, por sua vez, ficaram desempregados com a crescente mecanização nas fazendas, que diminuiu a demanda por mão de obra no setor agropecuário. O Mississippi criou durante as décadas de 1950 e 1960 diversas medidas para tentar estimular maior industrialização do Estado. Em 1954, trabalhadores passaram a não ser mais obrigados a afiliar-se aos sindicatos. Em 1960, o Mississippi diminuiu drasticamente os impostos para estabelecimentos industriais instalados no Estado. Ao final da década de 1960, mais pessoas trabalhavam no setor de manufatura do que no setor agropecuário. O processo de industrialização e de diversificação da economia continua no Mississippi até os dias atuais.

Vista da destruição causada pelo Furacão Katrina em Biloxi.

Em 17 de agosto, o Furacão Camille atingiu o litoral do Mississippi, matando 248 pessoas e causando um prejuízo de 1,5 bilhão de dólares na região. Em 29 de agosto de 2005, o Furacão Katrina causou uma destruição ainda maior ao longo dos 71 quilômetros de litoral junto ao Golfo do México.

Em anos recentes, além da industrialização, o Mississippi tem-se destacado por seu conservadorismo político e poucos conflitos raciais. Em 1990, o Estado permitiu a construção de cassinos fluviais. A legalização de tais cassinos aumentou a receita anual do governo, porém tais ganhos foram drasticamente reduzidos com o furacão Katrina, que destruiu muitos destes cassinos fluviais. Cidades que possuíam cassinos como uma fonte primária de renda incluem Gulfport e Biloxi, no litoral do Estado no Golfo do México, e Tunica, Greenville, Vicksburg e Natchez. Antes do Furacão Katrina, o Mississippi possuía a segunda maior indústria de cassinos do país, atrás somente de Nevada, e à frente da Nova Jérsei, tendo sido ultrapassada pela última após o furacão.

Em 17 de outubro de 2005, o governador Harley Barbour assinou uma lei que permite a reconstrução de cassinos em terra nos condados de Hancock e Harrison, desde que não estejam localizados mais de 800 metros do litoral - sendo que no condado de Harrison, tais cassinos podem ser construídos ao longo da Highway 90, uma rodovia federal.

Política

Editar
 Messagebox info.png  Política de Mississippi

Hiram Rhodes Revels (Fayetteville, 27 de setembro de 1822 - Aberdeen, 16 de janeiro de 1901) foi o primeiro afro-americano a servir no Senado dos Estados Unidos. Ele representou o estado do Mississipi em 1870-1871, durante o período conhecido como Reconstrução, após a Guerra Civil Americana (1861-1865). Até ao momento, Revels foi um dos nove afro-americanos que já serviram no Senado americano.

Revels nasceu livre, em Fayetteville (Carolina do Norte), filho de um mulato e possivelmente de uma escrava emancipada. Ele foi educado por um homem negro. Em 1838, foi viver com o irmão, Elias B. Revels, em Lincolnton, Carolina do Norte, onde trabalhou como barbeiro na barbearia do irmão. Elias morreu em 1841 e sua viúva, Mary Revels, passou a barbearia para o nome de Hiram antes de se casar novamente.

Ele estudou num seminário para negros em Ohio. Foi ordenado ministro em 1845. Frequentou o Union County Quaker Seminary em Indiana e, entre 1856-57, o Knox College, em Galesburg, Illinois. Como ministro da African Methodist Episcopal Church (Igreja Metodista Episcopal Africana), Revels pregou em Indiana, Illinois, Ohio, Tennessee, Missouri, Kansas, e Maryland durante a década de 1850. "Na época, eu encontrei grande oposição", ele se lembrou mais tarde, "Fui preso no Missouri em 1854 por pregar o Evangelho aos negros". Mais tarde, ele se fixaria em Baltimore, Maryland, onde abriu uma escola particular.

Como capelão, Revels ajudou a criar dois regimentos negros para a União durante a Guerra Civil Americana, em Maryland e no Missouri. Participou da Batalha de Vicksburg no Mississipi.

Geografia

Editar
 Messagebox info.png  Geografia de Mississippi
Mapa do Mississippi e de seus 82 condados.

O Mississippi limita-se ao norte com o Tennessee, a leste com o Alabama, ao sul com o Golfo do México, e a oeste com a Louisiana e o Arkansas.

Com um pouco mais de 125 mil quilômetros quadrados,[2] é o 32º maior estado americano em área do país. O litoral do Mississippi possui 71 quilômetros de extensão ao longo do Golfo do México. Contando-se todas as regiões banhadas pelo mar - baías, estuários e ilhas oceânicas - este número salta para 578 quilômetros. O litoral do Estado, por ser muito plano e de baixa altitude, é muito vulnerável a variações de maré, tempestades tropicais e outros fatores geográficos que possam provocar um aumento do nível do mar. Por isto mesmo, grandes diques protegem regiões densamente povoadas próximas ao litoral. O maior destes diques possui 40 quilômetros de comprimento - o mais longo do gênero no país.

O rio Mississippi é o rio mais importante do Estado, compondo toda a fronteira oeste com o Arkansas, e muito da fronteira com a Luisiana. O rio Mississippi transborda com muita facilidade, tornando suas margens muito vulneráveis a inundações. Regiões mais densamente povoadas próximas ao rio também são protegidas por diques. A bacia hidrográfica do rio Mississippi cobre todo o oeste e o centro-norte do Estado. Já rios localizados na região leste do Mississippi desembocam diretamente no Golfo do México.

Florestas cobrem cerca de 55% do Estado, que caracteriza-se por sua baixa altitude. Nenhum ponto do Estado ultrapassa a altitude de 250 metros acima do nível do mar.

O Mississippi pode ser dividido em três distintas regiões geográficas:

  • As Planícies Aluviais cobrem uma estreita faixa de terra localizada ao longo do rio Mississippi. Esta região é extremamente plana, com muito poucos acidentes geográficos. É extremamente vulnerável às enchentes do rio. Tais enchentes, apesar de causarem muitos danos aos centros urbanos, por outro lado depositam grandes quantidades de sedimentos nesta região, tornando o solo extremamente fértil e ideal para a agricultura;
  • As Planícies Ocidentais da Costa do Golfo ocupam a maior parte do restante do Estado, sendo a maior das três regiões geográficas. Esta região caracteriza-se pelo seu terreno relativamente pouco acidentado, coberto de elevações achatadas e pequenos morros de baixa altitude, e um solo relativamente fértil. O maior destes morros, o Tennessee River Hills, é o ponto mais alto do Estado, com seus 246 metros de altitude. Boa parte das Planícies Ocidentais são cobertas por florestas;
  • O Cinturão Negro é uma estreita faixa de terra localizada na região leste do Mississippi. É uma região de pradarias, plano e com um solo pobre, em comparação com o restante do Estado.


Editar
 Messagebox info.png  Clima de Mississippi

O Mississippi possui um clima subtropical, com verões longos e quentes, e invernos curtos.

No inverno, a temperatura diminui à medida que se viaja em direção ao norte. A temperatura média no inverno é de 8°C. A temperatura média da região sul é de 10 °C, e no norte de 5 °C. No geral, a temperatura mínima no inverno é em média de 3 °C, e a máxima de em média 15 °C. Temperaturas raramente caem abaixo de 10 °C negativos. A temperatura mais baixa já registrada no Mississippi foi de -28 °C, registrada em Corinth, em 30 de janeiro de 1966.

No verão, a temperatura média aumenta à medida que se viaja em direção ao oeste, embora a variação seja mínima entre uma região e outra do Estado. A temperatura média no verão é de 27 °C. A temperatura média da região oeste do Estado é de 28 °C, e no leste, de 26 °C. No geral, a temperatura mínima no verão é em média de 21 °C, e a máxima de em média 34 °C. A temperatura mais alta já registrada foi de 46 °C, em Holly Springs em 29 de julho de 1930.

A taxa de precipitação média anual diminui à medida que se viaja em direção ao norte, variando entre 130 centímetros no noroeste do Estado a mais de 165 centímetros anuais no sul. Neve é um fenômeno raro no Mississippi, ocorrendo primariamente no norte do Estado. Porém, geadas e chuva de granizo são relativamente comuns. Tais fenômenos climáticos causam milhões de dólares em prejuízos por ano para o setor agrário. Furacões e tornados também são uma ocorrência comum no Estado.

Cultura

Editar
 Flag of Mississippi.svg  Biografia selecionada
Página 'Wright brothers' não encontrada
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Educação em Mississippi

As primeiras escolas do Mississippi foram fundadas durante o início do século XIX. A nova Constituição estadual de 1869 instituiu um sistema de escolas públicas, um conselho de educação, e tornou obrigatória a educação das crianças, por pelo menos quatro meses do ano. A instituição de um sistema de escolas públicas - administradas por distritos escolares causou a criação de impostos, que fizeram com que a maioria da população do Mississippi inicialmente se opusesse à nova medida - uma vez que o estado passava por uma grande recessão econômica e enfrentava a destruição causada pela Guerra Civil Americana, que havia terminado quatro anos antes, em 1865. Porém, na medida em que as condições econômicas melhoraram, o sistema de escolas públicas do estado passou a receber maior aprovação da população. Durante o início do século XX, o estado fundiu diversos distritos escolares rurais entre si, em uma tentativa de diminuir as dificuldades financeiras de tais distritos, que possuíam poucos recursos.

Atualmente, todas as instituições educacionais no Mississippi precisam seguir regras e padrões ditadas pelo Conselho Estadual de Educação. Este conselho controla diretamente o sistema de escolas públicas do estado, que está dividido em diferentes distritos escolares. O conselho é composto por nove membros - cinco escolhidos pelo governador, dois pelo tenente-governador e dois pelo legislativo do estado - para mandatos de até quatro anos de duração. Estes nove membros indicam um nono membro, que atuará como super-intendente de educação. Cada cidade primária (city), diversas cidades secundárias (towns) e cada condado, é servida por um distrito escolar. Nas cidades, a responsabilidade de administração do sistema escolar público são dos distritos municipais, enquanto que em regiões menos densamente habitadas, esta responsabilidade é dos distritos escolares operando em todo o condado em geral. O Mississippi permite a operação de escolas charter - escolas públicas independentes, que não são administradas por distritos escolares, mas que dependem de verbas públicas para operarem. Atendimento escolar é compulsório para todas as crianças e adolescentes com mais de seis anos de idade, até a conclusão do segundo grau ou até os dezesseis anos de idade.

Em 1999, as escolas públicas do Mississippi atenderam cerca de 500,7 mil estudantes, empregando aproximadamente 30,7 mil professores. Escolas privadas atenderam cerca de 51,4 mil estudantes, empregando aproximadamente 3,9 mil professores. O sistema de escolas públicas consumiu cerca de 2,293 bilhões de dólares, e o gasto das escolas públicas foi de aproximadamente 4,9 mil dólares por estudante. Cerca de 81,2% dos habitantes com mais de 25 anos de idade possuem um diploma de segundo grau.

A primeira biblioteca pública do Mississippi foi fundada em Port Gibson, em 1818. A mais antiga ainda em operação é a biblioteca estadual, em Jackson, fundada em 1838. Atualmente, o Mississippi possui cerca de 230 bibliotecas públicas, administradas por 49 sistemas de bibliotecas públicas diferentes.

A primeira instituição de educação superior do Mississippi, a Faculdade Jefferson, foi fundada em 1811. A instituição de educação superior mais antiga ainda em operação é a Faculdade Mississippi, fundada em Clinton, em 1826, com o nome de Faculdade Hampstead. A Universidade do Mississippi é a instituição pública de educação superior mais antiga do estado, tendo sido fundada em 1846. O Mississippi não possui um sistema público de educação superior, embora administre diversas faculdades e universidades espalhadas pelo estado: são 41 instituições de educação superior, dos quais 26 são públicas e 15 são privadas.
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Transportes e comunicações

Jackson é o principal centro rodoviário, ferroviário e aeroportuário do estado, enquanto o principal centro portuário do Mississippi é Gulfport, localizado no litoral do estado com o Golfo do México. Em 2002, o Mississippi possuía 1 102 quilômetros de ferrovias. Em 2003, o estado possuía 119 260 quilômetros de vias públicas, dos quais 1 539 quilômetros eram rodovias interestaduais, considerados parte do sistema federal rodoviário dos Estados Unidos.

O primeiro jornal do estado, o Mississippi Gazette, foi publicado pela primeira vez em 1799, em Natchez. Atualmente, são publicados cerca de 115 jornais, dos quais 20 são diários. São impressos no Mississippi cerca de 35 periódicos. A primeira estação de rádio foi fundada em 1925, em Hattiesburg. A primeira estação de televisão foi fundada em 1952, em Jackson. Atualmente, o Mississippi possui 153 estações de rádio - das quais 68 são AM e 85 são FM - e 21 estações de televisão.
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Demografia de Mississippi
Crescimento populacional
Censo Pop.
18007 600
181031 306311,9%
182075 448141,0%
1830136 62181,1%
1840375 651175,0%
1850606 52661,5%
1860791 30530,5%
1870827 9224,6%
18801 131 59736,7%
18901 289 60014,0%
19001 551 27020,3%
19101 797 11415,8%
19201 790 618−0,4%
19302 009 82112,2%
19402 183 7968,7%
19502 178 914−0,2%
19602 178 141−0,0%
19702 216 9121,8%
19802 520 63813,7%
19902 573 2162,1%
20002 844 65810,5%
20102 967 2974,3%
20202 961 279−0,2%
Fonte: US Census
Pirâmide etária do Mississippi.

O censo americano de 2000 estimou a população do Mississippi em 2 884 658 habitantes, um crescimento de 12,1% em relação à população do Estado em 1990, de 2 573 216 habitantes. Uma estimativa realizada em 2005 estima a população em 2 925 426 habitantes, um crescimento de 13,5% em relação à população do Estado em 1990, de 2,7% em relação à população do Estado em 2000, e de 0,7% em relação à população estimada em 2004.

O crescimento populacional natural entre 2000 e 2005 foi de 80 733 habitantes - 228 849 nascimentos menos 148.116 óbitos - o crescimento populacional causado pela imigração foi de 10 653 habitantes, enquanto a migração interestadual resultou na perda de 10.578 habitantes. Entre 2000 e 2005, a população cresceu em 40 768 habitantes, e entre 2004 e 2005, em 20 320 habitantes.
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Desportos em Mississippi
Lusia "Lucy" Harris-Stewart (nascida Lusia Harris; Minter City, 10 de fevereiro de 195518 de janeiro de 2022) foi uma basquetebolista estadunidense. Harris é considerada uma das pioneiras no basquetebol feminino. Ela jogou pela Universidade Delta State e conquistou três títulos nacionais consecutivos da Association for Intercollegiate Athletics for Women (AIAW), o antecessor da National Collegiate Athletic Association (NCAA), entre 1975 e 1977. Em nível internacional ela representou os Estados Unidos e conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1976, no qual foi o primeiro torneio olímpico de basquetebol feminino. Jogou profissionalmente no Houston Angels na Women's Professional Basketball League (WBL) e foi a primeira e única mulher a ser escolhida no draft da National Basketball Association (NBA), uma liga profissional masculina de basquetebol. Por seus méritos, Harris foi introduzida no Naismith Memorial Basketball Hall of Fame e Women's Basketball Hall of Fame.
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Categorias
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Tópicos
  • Árvore: Magnólia
  • Bebida: Leite
  • Borboleta: Papilio troilus
  • Cognomes:
    • Magnolia State
    • Hospitality State (não oficial)
  • Concha: Ostra
  • Dança: Quadrilha
  • Flor :Magnólia
  • Inseto: Abelha
  • Lema: Virtute et Armis (do latim: Por valor e armas)
  • Mamífero aquático: Golfinho-comum
  • Mamíferos terrestres: Raposa vermelha e Odocoileus virginianus
  • Música: Go, Mississippi (Vá, Mississippi), adotado em 1962
  • Pássaro: Mimus polyglottos
  • Pássaro aquático: Aix sponsa
  • Pedra: Madeira petrificada
  • Peixe: Micropterus salmoides
Editar
 Flag of Mississippi.svg  Portais relacionados




Territórios fronteiriços

Aqueles listados em negrito itálico são Portais em destaque.


Editar
 Flag of Mississippi.svg  Wikimedia


  1. Correia, Paulo (Direção-Geral da Tradução – Comissão Europeia) (Verão de 2015). «Os estados dos Estados Unidos da América» (PDF). «a folha» – Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 48). ISSN 1830-7809. Consultado em 24 de setembro de 2015 
  2. «United States Summary: 2010 Population and Housing Unit Counts» (PDF). census.gov. Departamento do Censo dos Estados Unidos (setembro de 2012). Consultado em 9 de maio de 2021 

Purgar cache do servidor