Portal:Moçambique


Portal Moçambique


Portal Vaticano
Portal Vaticano
Este portal pretende reunir informações sobre os mais variados temas relacionados com Moçambique.
Igreja de Santo António Palácio dos Capitães-Generais Rio Limpopo Beira


 ver · editar Moçambique
Mapa de localização.

Moçambique, oficialmente designado como República de Moçambique, é um país localizado no sudeste do Continente Africano, banhado pelo Oceano Índico a leste e que faz fronteira com a Tanzânia ao norte; Malawi e Zâmbia a noroeste; Zimbabwe a oeste e Essuatíni e África do Sul a sudoeste. A capital e maior cidade do país é Maputo, anteriormente chamada de Lourenço Marques, durante o domínio português.

O território era uma antiga província ultramarina portuguesa. Foi colonizado a partir do século XVI. Existiram na região diversos reinos bantos, sendo o mais conhecido , o Império Mwenemutapa. Moçambique alcançou a independência em 25 de Junho de 1975, sendo instituído um regime socialista de partido único. Entre 1976 e 1992, o país foi fustigado por uma guerra civil que causou cerca de 900 mil mortos e feridos.

O país tem um enorme potencial agrícola, porém o seu aproveitamento é muito limitado pela proliferação de minas terrestres não desactivadas. As praias paradisíacas e zonas propícias ao mergulho nos seus mais de dois mil quilómetros de litoral, bem como os parques nacionais e reservas naturais no interior do país, têm vindo a ser aproveitados para o turismo. Moçambique é uma república presidencialista multipartidária desde 1994.

Moçambique conta com cerca de quatro dezenas de línguas nacionais, entre as quais o macua e o tsonga. O português, único idioma oficial, é usado por 40% dos moçambicanos, mas apenas 6,5% o tem como língua materna.

 ver · editar Artigo destacado aleatório
Panorama de Beira.

Beira é uma cidade de Moçambique, capital da província de Sofala. Tem o estatuto de cidade desde 20 de Agosto de 1907 e, do ponto de vista administrativo, é um município com governo local eleito. Desde dezembro de 2013, Beira é um distrito, uma unidade local do governo central, dirigido por um administrador. A cidade é hoje a quarta maior de Moçambique, atrás de Matola, Maputo e Nampula, contando com uma população de 533 825 habitantes, de acordo com o Censo de 2017.

A cidade da Beira foi originalmente desenvolvida pela Companhia de Moçambique, no século XIX, e depois diretamente pelo governo colonial português, entre 1942 e 1975, ano em que Moçambique obteve sua independência de Portugal. Atualmente a cidade se encontra modernizada, embora ainda mantenha algumas áreas degradadas e problemáticas, como é o caso do Grande Hotel da Beira. Depois de Maputo, Beira possui o segundo maior porto marítimo para o transporte internacional de cargas de para Moçambique. Em março de 2019, o Ciclone Idai devastou Beira, destruindo 90% da cidade.


 ver · editar História
Gravura da Ilha de Moçambique (1598).

A história de Moçambique encontra-se documentada pelo menos a partir do século X, quando um estudioso viajante árabe, conhecido porAlmaçudi, descreveu uma importante actividade comercial entre as nações da região do Golfo Pérsico e os "Zanjes" (os negros) da "Bilade as Sofala", que incluía grande parte da costa norte e centro do actual Moçambique.

No entanto, vários achados arqueológicos permitem caracterizar a "pré-história" de Moçambique por muitos séculos antes, mesmo antes da escrita. Provavelmente o evento mais importante dessa pré-história teria sido a fixação, nesta região, dos povos bantu que, não só eram agricultores, mas introduziram aqui a metalurgia do ferro, entre os séculos I a IV.

A partir do século XVI, teve início a colonização portuguesa, porém, só em 1885, com a partilha de África pelas potências europeias durante a Conferência de Berlim, que a região se transformou numa ocupação militar, ou seja, na submissão total dos estados ali existentes, que levou, nos inícios do século XX a uma verdadeira administração colonial. Depois de uma guerra de libertação que durou cerca de dez anos, Moçambique tornou-se independente em 25 de Junho de 1975.

 ver · editar Imagem aleatória
Vista aérea de Maputo.
 ver · editar Categorias
 ver · editar Como colaborar
Colabore!
Colabore!

Agradecemos o seu interesse por ampliar e melhorar os artigos relacionados com Moçambique na Wikipédia! Abaixo algumas coisas que esperam a sua colaboração.


 ver · editar Você sabia
  • ...que o principal alimento do país é a mandioca?
  • ...que a estimativa é de que 50% da população tenha menos de 15 anos de idade?
  • ...que Moçambique e Ruanda são os únicos países membros da Commonwealth (Comunidade Britânica) que nunca foram colonizados pelos britânicos?
  • ...que o país é o único a ter uma arma moderna na bandeira, símbolo da luta armada contra o colonialismo: uma AK-47?


 ver · editar Biografia selecionada

Marcelino dos Santos (Lumbo, 20 de maio de 1929 - Maputo, 11 de fevereiro de 2020) foi um político e poeta moçambicano e membro fundador da Frente de Libertação de Moçambique, onde chegou a vice-presidente. Depois da independência de Moçambique, Marcelino dos Santos foi o primeiro Ministro da Planificação e Desenvolvimento, cargo que deixou em 1977 com a constituição do primeiro parlamento do país. Também foi presidente da Assembleia da República de Moçambique, entre 1986 e 1994, última função institucional que ocupou, apesar de ter continuado na vida política.

Com os pseudónimos Kalungano e Lilinho Micaia, tem poemas publicados no Brado Africano e em duas antologias publicadas pela Casa dos Estudantes do Império, em Lisboa. Com o seu nome oficial, teve um único livro publicado pela Associação dos Escritores Moçambicanos, em 1987, intitulado “Canto do Amor Natural".


 ver · editar Predefinições
 ver · editar Wikimedia