Abrir menu principal
Austrália Portland 
  Cidade  
Rua Bentinck, vista em direção ao norte.
Rua Bentinck, vista em direção ao norte.
Portland está localizado em: Austrália
Portland
Localização de Portland na Austrália
Coordenadas 38° 20' S 141° 36' E
Estado Flag of Victoria (Australia).svg Vitória
População
 - Total 9 601
Informações

Portland (em inglês: /ˈpɔrtlənd/[1]) é uma cidade no estado australiano de Vitória, sendo a mais antiga localidade europeia no estado. É também o principal centro urbano no Shire de Glenelg, localizando-se na baía homônima.

Índice

HistóriaEditar

A baía foi nomeada em 1800 pelo navegador britânico James Grant, que na embarcação Lady Nelson ao longo da costa vitoriana: "eu também distingui a baía pelo nome de Baía de Portland, em homenagem a Sua Excelência, o Duque de Portland," escreveu Grant. A baía, a única de águas profundas entre Adelaide e Melbourne, oferece uma ancoragem protegida em meio ao mar frequentemente revolto do Estreito de Bass.

Em 1834, Edward Henty e sua família, que migraram da Inglaterra para a Austrália Ocidental em 1829 e dali para a Terra de Van Diemen transportaram parte de seu gado ao longo do Estreito em busca de melhores pastagens. Após uma viagem de 34 dias, o Thistle chegou à baía de Portland Bay em 19 de novembro de 1834. Edward Henty, com apenas 24 anos de idade, usando um arado construído por ele mesmo, foi o primeiro homem branco a realizar a agricultura em Vitória.[2] A próxima viagem do Thistle trouxe o irmão de Edward, Francis, além de gado e suprimentos e num pequeno espaço de tempo casas foram erguidas e cercas, levantadas.[3][4]

Na entrada de seu diário em 3 de dezembro de 1834, Henty escreveu:

Na entrada de 5 de dezembro, escreveu Henty[5]:

Em Portland os Hentys foram "descobertos" pelo explorador Thomas Mitchell in 1836. A ocupação era ilegal, considerando-se que à epoca, a política do British Colonial Office era a de contenção dos assentamentos coloniais na Austrália dentro de limites geográficos. Em 1838, leilões de terras fora autorizados por Sydney e Charles Tyers fez o levantamento para estabelecer a localidade de Portland em 1839. Uma agência de correios foi aberta em 4 de dezembro de 1841, a terceira aberta na região de Port Phillip após Melbourne e Geelong.[6]

Por volta de 1842 uma igreja presbiteriana foram fundadas pelo reverendo Rev. Alexander Laurie (c. 1817–1854),[7] que mais tarde gerenciou o Portland Herald. Seus dois filhos e sua viúva fundaram mais tarde The Border Watch, em Mount Gambier, na Austrália Meridional.

História IndígenaEditar

 
Rua Bentinck vista a partir da Rua Gawler.

Os Gunditjmara são os tradicionais ocupantes do sudoeste de Vitória, onde Portland agora se localiza. Enquanto os Hentys chegavam à costa de Portland em 19 de novembro de 1834, Melbourne estava sendo fundada em 1835 por John Batman. A partir do assentamento formado em torno de Melbourne, conhecido como distrito de Port Phillip, obteve status administrativo antes da separação de Nova Gales do Sul e a declaração da Colônia de Vitória em 1851.

Outro incidente foi o massacre de Convincing Ground, ocorrido na baía de Portland em 1833 ou 1834, em função de uma disputa por uma baleia arrojada entre baleeiros e o clã Kilcarer gundidj do povo Gunditjmara.[8]

O povo Gunditjmara permanece na região: são reconhecidos nos estudos científicos por seu pioneirismo na aquicultura no lago Condah. Resquícios físicos, tais como represas e armadilhas para peixes, ao sul de Hamilton. Diferentemente de vários grupos aborígenes, os Gunditjmara eram um grupo sedentário, que vivia em pequenas cabanas circulares de pedra. Os ancestrais dos Gunditjmara viviam em vila compostas por casas com paredes de pedra à prova d'água de um metro de altura, em meio a armadilhas para enguias e reservatórios para aquicultura no lago Condah, em apenas um hectare da fazenda Allambie, arqueólogos descobriram vestígios de 160 casas.[9]

Em 30 de março de 2007, o povo Gunditjmara foi reconhecido judicialmente como proprietário de quase 140 000 hectares de Terras da Coroa e águas na região de Portland.[10] Em 27 de julho de 2011, junto com o povo do Maar Ocidental, os Gunditjmara foram reconhecidos como detentores nativos de quase 4 000 hectares de Terras da Coroa na região de Yambuk, incluindo a Ilha de Lady Julia Percy, intitulada por eles como Deen Maar.[11]

Elevação a cidadeEditar

Portland foi proclamada como cidade em 28 de outubro de 1985, na presença de Suas Altezas, o Príncipe e a Princesa de Gales. Em 2015, Portland abrigava 10 700 habitantes.[12]

EconomiaEditar

PortoEditar

 
Baía, quebra-mar e baía de Portland.
 
Marina na baía de Portland.

O porto de Portland recebeu auxílio através de fundos no valor de 18 milhões de dólares australianos, para melhorar o acesso ao porto ao tráfego marítimo de maior tonelagem, através da adoção de um plano para o desenvolvimento da estrutura portuária.[13]

Portland AluminiumEditar

A empresa Alcoa é a maior exportadora em Vitória. E em Portland há uma fundição de alumínio, gerenciada pela Alcoa desde 1987, entre a Alcoa World Alumina and Chemicals e a Portland Aluminium (uma joint venture entre Alcoa, CITIC e Marubeni).

Composição acionária Portland Aluminium:

  • Alcoa (55%)
  • CITIC (22,5%)
  • Marubeni (22,5%)

TransporteEditar

RodoviárioEditar

Portland está a 362 km a oeste de Melbourne através da Princes Highway. Conecta-se a Hamilton através da Henty Highway.

FerroviárioEditar

Portland é servida pela ferrovia de bitola padrão que a liga a Maroona, um ramal da Western standard gauge line. Até 1995 a linha tinha bitola larga, tendo sido aberta em 19 de dezembro de 1877.[14]

O então ministro dos transportes Peter Batchelor promoveu a abertura de um viaduto na Rua Cliff, construído pela VicRoads em outubro de 2006.[15] O governo comprometeu-se com o projeto em maio de 2003 e o trabalho começou em 2005.[16] O viaduto permite o acesso contínuo do tráfego rodoviário e ferroviário ao porto, com o transporte de commodities, tais como grãos, fertilizantes, etc.

ComunidadeEditar

Arte e culturaEditar

 
Trabalho artístico em mosaico apoiado pelos programas de arte comunitários.

Portland possui uma diversidade cultural vibrante, com muitos artistas dos mais variados segmentos, muitos deles sob o apoio da CEMA Inc. (Council for Encouragement of Music and the Arts, "Conselho para o Encorajamento da Música e das Artes") ou a associada The Arts Company. O Centro de Arte de Portland, na esquina das ruas Glenelg e Bentinck, possui galeria e teatro, onde performances variadas são realizadas com regularidade.[17]

EsporteEditar

A cidade possui um time de futebol australiano competindo na Liga Hampden, tendo ganhado alguns campeonatos. Portland também possui um time de futebol, os Portland Panthers, que jogam a maioria de suas partidas contra o Mount Gambier Sides. Os golfistas jogam no campo do Portland Golf Club na Rua Madeira Packet.[18]

ClimaEditar

O clima de Portland é o mediterrâneo (Csb na classificação climática de Köppen)

Dados climatológicos para Portland, Vitória
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 42,3 40,6 40,9 33,9 27,8 20,8 21,1 24,4 28,3 36,0 38,9 41,7 42,3
Temperatura máxima média (°C) 21,8 21,9 20,7 18,4 16,1 14,1 13,6 14,4 15,8 17,3 18,8 20,5 17,8
Temperatura mínima média (°C) 12,7 13,1 12,0 10,3 8,7 7,5 6,5 6,9 7,8 8,9 10,3 11,6 9,7
Temperatura mínima recorde (°C) 4,4 3,3 2,0 1,1 -0,6 -2,2 -2,8 -1,7 -0,3 0,6 2,2 3,3 -2,8
Precipitação (mm) 35,5 32,7 42,4 64,1 88,2 99,6 108,6 107,4 85,2 68,6 52,0 45,2 827,1
Dias com precipitação 8,6 7,8 11,3 14,6 18,4 19,5 21,0 20,9 18,3 15,9 12,6 10,9 179,8
Fonte: [19] 16 de agosto de 2015

Referências

  1. Butler, S., ed. (2009). «Portland». Macquarie Dictionary 5th ed. Sydney: Macquarie Dictionary Publishers Pty Ltd. ISBN 978-18-7642-966-9 
  2. «The History of Portland.». Portland Guardian (1876-1953). Vic.: National Library of Australia. 16 de junho de 1930. p. 4 Edition: EVENING. Consultado em 21 de fevereiro de 2012 
  3. State Library of Victoria. «Images and transcripts of Edward Henty's journal». Consultado em 11 de maio de 2009. Arquivado do original em 2 de junho de 2009 
  4. «PICTURESQUE VICTORIA.». The Argus. Melbourne, Vic. 15 de novembro de 1884. p. 4. Consultado em 7 de novembro de 2011 
  5. «Henty Days.». Portland Guardian (1876-1953). Vic.: National Library of Australia. 13 de janeiro de 1927. p. 4 Edition: EVENING. Consultado em 28 de janeiro de 2012 
  6. Premier Postal History. «Post Office List». Consultado em 11 de abril de 2008 
  7. «Obituary - From the Portland Herald». The Banner (1853-1854). Melbourne, Vic.: National Library of Australia. 28 de fevereiro de 1854. p. 7. Consultado em 30 de junho de 2015 
  8. Ian D. Clark, pp17-22, Scars on the Landscape. A Register of Massacre sites in Western Victoria 1803-1859, Aboriginal Studies Press, 1995 ISBN 0-85575-281-5 Excerpt also published on Museum Victoria website Arquivado em 5 de setembro de 2012, no Wayback Machine., accessed 26 November 2008
  9. The Gunditjmara People with Gib Wettenhall, (2010) The People of Budj Bim: Engineers of aquaculture, builders of stone house settlements and warriors defending country, em Press, Heywood, pp.16-27
  10. Federal Court Judgment at website: http://www.austlii.edu.au/cgi-bin/sinodisp/au/cases/cth/FCA/2007/474.html?stem=0&synonyms=0&query=Lovett
  11. Federal Court of Australia: web source: http://www.austlii.edu.au/cgi-bin/sinodisp/au/cases/cth/FCA/2011/932.html?stem=0&synonyms=0&query=Lovett
  12. «Portland - Live in Victoria». Consultado em 28 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 5 de janeiro de 2016 
  13. [1]
  14. The Centenary of the Opening of the Ararat to Portland Railway Turton, Keith W. Australian Railway Historical Society Bulletin, October/November 1977 pp217-239;241-268
  15. «BATCHELOR IN PORTLAND OPENING NEW RAIL/ROAD GRADE SEPARATION». Media Release: MINISTER FOR PUBLIC TRANSPORT. www.legislation.vic.gov.au. 26 de outubro de 2006. Consultado em 2 de julho de 2008. Arquivado do original em 17 de setembro de 2007 
  16. «WORKS BEGIN ON $15 MILLION CLIFF STREET OVERPASS PROJECT». Media Release: MINISTER FOR PUBLIC TRANSPORT. www.dpc.vic.gov.au. 23 de novembro de 2005. Consultado em 2 de julho de 2008. Arquivado do original em 19 de maio de 2011 
  17. Portland Arts Company. «Portland Arts Company». Portland Arts Company. Consultado em 31 de agosto de 2007. Arquivado do original em 29 de agosto de 2007 
  18. Golf Select. «Portland». Consultado em 11 de maio de 2009 
  19. «Climate statistics for Portland, Victoria» (em inglês). Bureau of Meteorology 

Bibliografia (em inglês)Editar

  • Jan Critchett, (1990), A distant field of murder: Western district frontiers, 1834-1848, Melbourne University Press (Carlton, Vic. and Portland, Or.) ISBN 0-522-84389-1
  • Ian D Clark (1990) Aboriginal languages and clans: An historical atlas of western and central Victoria, 1800-1900, Dept. of Geography & Environmental Science, Monash University (Melbourne), ISBN 0-909685-41-X
  • Ian D Clark (1995), Scars in the landscape: A register of massacre sites in western Victoria, 1803-1859, Australian Institute of Aboriginal and Torres Strait Islander Studies (Canberra), ISBN 0-85575-281-5
  • Ian D Clark (2003) ‘That’s my country belonging to me’ - Aboriginal land tenure and dispossession in nineteenth century Western Victoria, Ballarat Heritage Services, Ballarat.
  • The Gunditjmara People with Gib Wettenhall, (2010) The People of Budj Bim: Engineers of aquaculture, builders of stone house settlements and warriors defending country, em Press, Heywood (Victoria)

Ligações externasEditar