Abrir menu principal

Prémio Pulitzer de Reportagem Local

O Prémio Pulitzer de Reportagem Local é um prémio entregue a um exemplo de "reportagem local que ilumine assuntos ou preocupações significantes."[1][2] Este Prémio Pulitzer foi primeiro entregue em 1948. Tal como a maioria dos Pulitzers o vencedor recebe um prémio de 10.000 dólares americanos.

Índice

HistóriaEditar

O Prémio Pulitzer de Reportagem Local foi primeiro entregue de 1948 até 1952. A partir de 1953, foram criados pelo comité dois prémios de Reportagem Local: o Reportagem Local, Edição Temporal e o Reportagem Local, Sem Edição Temporal.

Em 1964 os Pulitzers de Reportagem Local foram novamente renomeados para "Reportagem Especializada Investigativa Local " e "Local Geral ou Furo de reportagem desportiva". Estes prémios existiram até 1984.

Em 1985, foram criados novos Prémios Pulitzer, o Prémio Pulitzer de Jornalismo Explicativo (mais tarde renomeado para "Reportagem Explicativa"), o Prémio Pulitzer de Reportagem de Notícias Gerais (mais tarde renomeado para "Furo de Reportagem"), o Prémio Pulitzer de Reportagem Investigativa, e o Prémio Pulitzer de Reportagem Especializada. Nenhum destes prémios foi reservado especificamente para a reportagem local. 

Em 2006, o comité do prémio anunciou que o Prémio Pulitzer de Reportagem Especializada iria ser substituído por um Prémio Pulitzer de Reportagem Local recreado.[3] Debbie Cenziper do The Miami Herald foi a primeira repórter a vencer o recreado Pulitzer de Reportagem Local.

O Comité Pulitzer emite uma justificação oficial explicando as razões da atribuição do prémio.

VencedoresEditar

De 1948 a 1952Editar

De 2007 até ao presenteEditar

  • 2007: Debbie Cenziper, Miami Herald, "Por reportagens sobre resíduos, favoritismo e falta de supervisão na agência de habitação de Miami que resultou em despedimentos, investigações e condenações."
  • 2008: David Umhoefer, Milwaukee Journal Sentinel, "Pelas suas histórias de fugas de impostos de pensões de funcionários do county, gerando mudanças e a condenação possível de figuras proeminentes."
  • 2009: (dois vencedores) Redacção do Detroit Free Press, e notavelmente Jim Schaefer e M.L. Elrick, "pela sua revelação de um padrão de mentiras do Presidente de Câmara Municipal Kwame Kilpatrick que incluiu a negação de uma relação sexual com a sua chefe de equipa, conduzindo a uma investigação de perjúrio que eventualmente levou à prisão dos dois funcionários 
  • 2009: (dois vencedores) Ryan Gabrielson e Paul Giblin do East Valley Tribune, "pelo seu uso inteligente dos recursos limitados para revelar, na versão impressa e online, como é que o foco de um sherife popular na fiscalização da emigração pôs em perigo uma investigação de um crime violento e outros aspectos da segurança pública." 
  • 2010: Raquel Rutledge do Milwaukee Journal Sentinel "pelas suas reportagens aguçadas sobre fraudes e abusos num programa de guarda de crianças para pais trabalhadores de baixos rendimentos que extorquiu os contribuintes e pôs em perigo as crianças, resultando num desmantelamento estadual e federal dos fornecedores."
  • 2011: Frank Main, Mark Konkol, e John J. Kim do Chicago Sun-Times, "Pela sua documentação imersiva sobre a violência nas vizinhanças de Chicago, explorando as vidas de vítimas, criminosos e detectives, pois um código generalizado de silêncio impede as soluções."
  • 2012: Sara Ganim e a redacção do The Patriot-News, "Pela revelação corajosa e cobertura hábil do explosivo escândalo sexual de Penn State envolvendo o antigo treinador de futebol americano Jerry Sandusky."
  • 2013: Brad Schrade, Jeremy Olson e Glenn Howatt do Star Tribune, Minneapolis, "Pelas suas reportagens sobre o pico das mortes infantis em creches mal regulamentadas, resultando na acção legislativa para reforçar as regras."[4]
  • 2014: Will Hobson e Michael LaForgia do Tampa Bay Times "pela sua investigação implacável das condições miseráveis que marcaram o habitação para a população substancial sem abrigo da cidade, que levaram a reformas rápidas."[5]
  • 2015: Rob Kuznia, Rebecca Kimitch e Frank Suraci do Daily Breeze "pela sua análise à corrupção alargada num pequeno e preso em dinheiro distrito escolar, que incluíu um uso impressionante do website do jornal."[6]

Referências

  1. 2007 Pulitzer Prize Winners - LOCAL REPORTING, Citation
  2. «The Pulitzer Prizes | Local Reporting». pulitzer.org. Consultado em 13 de abril de 2015 
  3. The Pulitzer Prizes - Entry Forms
  4. «The Pulitzer Prizes | Citation». pulitzer.org. Consultado em 13 de abril de 2015 
  5. «The Pulitzer Prizes | Citation». Pulitzer.org. Abril de 2014. Consultado em 15 de abril de 2014 
  6. «Local Reporting». The Pulitzer Prizes. Consultado em 20 de abril de 2015