Prêmio Wolf de Física

O Prêmio Wolf de Física é concedido anualmente pela Fundação Wolf em Israel. É um dos seis Prêmios Wolf estabelecidos pela fundação e concedido desde 1978; os outros são em Agronomia, Artes, Matemática, Medicina e Química.

Os Prêmios Wolf de Física e Química são frequentemente considerados como os mais prestigiosos prêmios nas áreas depois do Nobel de Física e Nobel de Química.[1][2][3] O prêmio de física ganhou reputação por identificar futuros laureados com o Prêmio Nobel – de 26 prêmios concedidos entre 1978 e 2010, quatorze ganhadores foram laureados com o Prêmio Nobel, dos quais cinco no ano seguinte ao Prêmio Wolf de Física.[2]

LaureadosEditar

Ano Nome País Citação
1978 Chien-Shiung Wu   Estados Unidos /   China por suas explorações da interação fraca, ajudando a estabelecer a forma precisa e a não conservação da paridade para esta força natural.
1979 George Eugene Uhlenbeck   Países Baixos /   Estados Unidos por sua descoberta, juntamente com o falecido Samuel Abraham Goudsmit, do spin do elétron .
Giuseppe Occhialini   Itália por suas contribuições para as descobertas da produção de par do elétron e do píon carregado .
1980 Michael Fisher
Leo Kadanoff
Kenneth Wilson
  Reino Unido
  Estados Unidos
  Estados Unidos
por desenvolvimentos pioneiros que culminaram na teoria geral do comportamento crítico nas transições entre as diferentes fases termodinâmicas da matéria .
1981 Freeman Dyson
Gerardus 't Hooft
Victor Weisskopf
  Reino Unido /   Estados Unidos
  Países Baixos
  Áustria /   Estados Unidos
por suas contribuições notáveis ​​para a física teórica, especialmente no desenvolvimento e aplicação da teoria quântica de campos.
1982 Leon Max Lederman
Martin Lewis Perl
  Estados Unidos
  Estados Unidos
por sua descoberta experimental de novas partículas inesperadas, estabelecendo uma terceira geração de quarks e Léptons.
1983/84 Erwin Hahn   Estados Unidos por sua descoberta de ecos de spin nuclear e pelo fenômeno da transparência auto-induzida.
Peter Hirsch   Reino Unido por seu desenvolvimento da utilização do microscópio eletrônico de transmissão como um instrumento universal para estudar a estrutura da matéria cristalina.
Theodore Harold Maiman   Estados Unidos pela realização do primeiro laser operacional, o laser de rubi pulsado de três níveis .
1985 Conyers Herring
Philippe Nozières
  Estados Unidos
  França
por suas principais contribuições para a teoria fundamental dos sólidos, especialmente do comportamento dos elétrons nos metais.
1986 Mitchell Feigenbaum   Estados Unidos por seus estudos teóricos pioneiros demonstrando o caráter universal dos sistemas não lineares, o que tornou possível o estudo sistemático do caos.
Albert Libchaber   França /   Estados Unidos por sua brilhante demonstração experimental da transição para turbulência e caos em sistemas dinâmicos.
1987 Herbert Friedman   Estados Unidos por investigações pioneiras em raios X solares .
Bruno Rossi
Riccardo Giacconi
  Itália /   Estados Unidos
  Itália /   Estados Unidos
pela descoberta de fontes extra-solares de raios-X e a elucidação de seus processos físicos.
1988 Roger Penrose
Stephen Hawking
  Reino Unido
  Reino Unido
por seu brilhante desenvolvimento da teoria da relatividade geral, na qual mostraram a necessidade de singularidades cosmológicas e elucidaram a física dos buracos negros. Neste trabalho, eles ampliaram muito nossa compreensão da origem e derradeiro destino do universo.
1989 Não houve premiação
1990 Pierre-Gilles de Gennes
David Thouless
  França
  Reino Unido /   Estados Unidos
por uma ampla variedade de contribuições pioneiras à nossa compreensão da organização de sistemas complexos de matéria condensada, de Gennes especialmente por seu trabalho sobre matéria macromolecular e cristais líquidos e Thouless por seu trabalho em sistemas desordenados e de baixa dimensão.
1991 Maurice Goldhaber
Valentine Telegdi
  Estados Unidos
  Suíça /   Estados Unidos
por suas contribuições seminais separadas para a física nuclear e de partículas, particularmente aquelas relativas às interações fracas envolvendo léptons.
1992 Joseph Hooton Taylor   Estados Unidos por sua descoberta de um pulsar de rádio orbital e sua exploração para verificar a teoria da relatividade geral com alta precisão.
1993 Benoît Mandelbrot   França /   Estados Unidos por reconhecer a ocorrência generalizada de fractais e desenvolver ferramentas matemáticas para descrevê-los, ele mudou nossa visão da natureza.
1994/95 Vitaly Ginzburg   Rússia por suas contribuições para a teoria da supercondutividade e para a teoria dos processos de alta energia na astrofísica.
Yoichiro Nambu   Japão /   Estados Unidos por sua contribuição para a teoria das partículas elementares, incluindo o reconhecimento do papel desempenhado pela quebra espontânea de simetria em analogia com a teoria da supercondutividade, e a descoberta da simetria de cor das interações fortes.
1995/96 Não houve premiação
1996/97 John Archibald Wheeler   Estados Unidos por suas contribuições seminais para a física dos buracos negros, para a gravitação quântica e para as teorias de espalhamento nuclear e fissão nuclear.
1998 Yakir Aharonov
Michael Berry
  Israel
  Reino Unido
pela descoberta de fases topológicas e geométricas quânticas, especificamente o efeito Aharonov-Bohm, a fase Berry e sua incorporação em muitos campos da física.
1999 Dan Shechtman   Israel pela descoberta experimental de quase-cristais, sólidos não periódicos de ordem de longo alcance, que inspiraram a exploração de um novo estado fundamental da matéria.
2000 Raymond Davis Jr.
Masatoshi Koshiba
  Estados Unidos
  Japão
por suas observações pioneiras de fenômenos astronômicos pela detecção de neutrinos, criando assim o campo emergente da astronomia de neutrinos.
2001 Não houve premiação
2002/03 Bertrand Halperin
Anthony Leggett
  Estados Unidos
  Reino Unido /   Estados Unidos
por principais insights sobre a ampla gama de física da matéria condensada: Leggett sobre a superfluidez do isótopo leve de hélio e fenômenos quânticos macroscópicos; e Halperin sobre a fusão bidimensional, sistemas desordenados e elétrons com interação forte.
2004 Robert Brout
François Englert
Peter Higgs
  Bélgica
  Bélgica
  Reino Unido
pelo trabalho pioneiro que levou ao insight da geração de massa sempre que uma simetria de calibre local é realizada de forma assimétrica no universo das partículas subatômicas.
2005 Daniel Kleppner   Estados Unidos por trabalhos inovadores em física atômica de sistemas hidrogênicos, incluindo pesquisas sobre o maser de hidrogênio, átomos de Rydberg e condensado de Bose-Einstein.
2006/07 Albert Fert
Peter Grünberg
  França
  Alemanha
pela descoberta independente do fenômeno da magnetorresistência gigante (MRG), lançando assim um novo campo de pesquisa e aplicações conhecido como spintrônica, que utiliza o spin do elétron para armazenar e transportar informações.
2008 Não houve premiação
2009 Não houve premiação
2010 John Clauser
Alain Aspect
Anton Zeilinger
  Estados Unidos
  França
  Áustria
por suas contribuições conceituais e experimentais fundamentais para os fundamentos da física quântica, especificamente uma série cada vez mais sofisticada de testes das desigualdades de Bell, ou extensões delas, usando estados quânticos emaranhados.
2011 Maximilian Haider
Harald Rose
Knut Urban
  Áustria
  Alemanha
  Alemanha
pelo desenvolvimento da microscopia eletrônica com correção de aberração, permitindo a observação de átomos individuais com precisão picométrica, revolucionando assim a ciência dos materiais.
2012 Jacob David Bekenstein   Israel por seu trabalho sobre buracos negros.[4]
2013 Peter Zoller
Juan Ignacio Cirac Sasturain
  França
  Espanha
por contribuições teóricas inovadoras para processamento de informações quânticas, óptica quântica e física dos gases quânticos.
2014 Não houve premiação
2015 James Bjorken   Estados Unidos por prever a escala em espalhamento inelástico profundo, levando à identificação dos constituintes pontuais do núcleo. Ele deu uma contribuição crucial para elucidar a natureza da força forte.
Robert Kirshner   Estados Unidos por criar o grupo, o ambiente e as direções que permitiram que seus alunos de pós-graduação e pós-doutorados descobrissem a aceleração da expansão do universo.
2016 Yoseph Imry   Israel por seu trabalho em física mesoscópica - um ramo da física que estuda objetos que são menores do que objetos macroscópicos (visíveis a olho nu), mas maiores do que átomos.
2017 Michel Mayor
Didier Queloz
  Suíça
  Suíça
pela descoberta de um planeta extrasolar orbitando em torno de uma estrela semelhante ao sol.
2018 Charles Henry Bennett
Gilles Brassard
  Estados Unidos
  Canadá
por seu trabalho colaborativo no campo em rápida expansão da ciência da informação quântica.
2019 Não houve premiação
2020 Rafi Bistritzer
Pablo Jarillo-Herrero
Allan Hugh MacDonald
  Israel
  Espanha
  Canadá
por trabalho teórico e experimental pioneiro sobre grafeno de dupla camada torcida.
2021 Giorgio Parisi   Itália por descobertas inovadoras em sistemas desordenados, física de partículas e física estatística.[5]

Referências

  1. Physicsworld.com: Wolf prize goes to particle theorists
  2. a b Harris, Margaret (novembro de 2010). «Gongs away». Bristol. Physics World. 23 (11): 46–47 
  3. Basolo, F: "From Coello to Inorganic Chemistry: A Lifetime of Reactions", page 65, Springer, 2002
  4. Institute for Advanced Study - Wolf Prize 2012 Arquivado 2012-01-22 no Wayback Machine
  5. Giorgio Parisi - Wolf Prize Laureate in Physics 2021