Abrir menu principal

O Prêmio do Jubileu da UEFA foi uma premiação criada pela União Europeia das Associações de Futebol (UEFA) para celebrar seus 50 anos. A UEFA pediu para que cada federação afiliada a ela elegesse seu melhor jogador dos últimos 50 anos. A lista foi divulgada em novembro de 2003.

Ainda não separadas, Sérvia e Montenegro tiveram um único eleito, Džajić. Se Montenegro já fosse independente, provavelmente sua associação escolheria entre Predrag Mijatović e Dejan Savićević, astros da Seleção Iugoslava dos anos 1990. Regiões separatistas não totalmente reconhecidas, não sendo afiliadas à UEFA, também não participaram, como Kosovo e Chipre do Norte.

Houve não-europeus que faturaram o prêmio: o argentino Di Stéfano e o marroquino de nascimento Fontaine, além dos cazaques Yarovenko e Kvochkin - ver Nota (já que, geograficamente, seus países pertencem à Ásia, mas uma parte do território cazaque localiza-se na Europa) - e do grego Chatzipanagis (nascido no Uzbequistão). Também nascido na ex-União Soviética, mas nos limites da Rússia europeia, é o israelense Spiegler.

NotaEditar

Sergey Kvochkin e Pat Jennings foram anunciados à imprensa em 2003, mas os artigos do cazaque e do norte-irlandês vencedores do prêmio divulgados no site da UEFA, em 2004, foram de Yevgeniy Yarovenko e George Best, respectivamente.