Praça da República (Recife)

praça em Recife

A Praça da República é uma importante praça situada no bairro de Santo Antônio, no Recife, Pernambuco, Brasil.

Praça da República
Praça da República (Recife)
Vista da Praça da República no Recife.
Localização Santo Antônio, Recife
Tipo Público
Administração Prefeitura do Recife
Coordenadas -8.06081° S, -34.87762° W

Localiza-se no extremo norte do bairro, na Ilha de Antônio Vaz, sendo margeada noroeste, norte e nordeste pelo ponto de junção dos rios Capibaribe e Beberibe.

Na Praça da República estão edificados:[1][2]

Nove estátuas de deusas greco-romanas, produzidas em 1863 pela fundição francesa JJ Ducel et Fils e assinadas pelo escultor Eugène-Louis Lequesne, ali estão como guardiãs do lugar.[3] São elas:

  • Ceres, a Deusa da fertilidade;
  • Diana, Deusa da Caça (duas esculturas);
  • Flora, Deusa das Flores;
  • Juno, rainha dos deuses do Olimpo, protetora das mulheres e o casamento;
  • Minerva, Deusa das artes e Ciências;
  • Níobe, Vesta e Têmis, que são consideradas as Deusas da justiça.

Ali também se encontra um centenário baobá que — acredita-se — foi fonte de inspiração a Antoine de Saint-Exupéry, ao escrever O Pequeno Príncipe.[4]

História editar

 
Baobá da Praça da República.
Ao fundo, vê-se o Palácio do Campo das Princesas.
 
A Praça da República está localizada na Ilha de Antônio Vaz (foto).

A Praça da república já teve várias denominações.

O conde Maurício de Nassau construiu ali o Palácio de Friburgo, ou Palácio das Torres.[5] Com sua destruição, no século XVIII, o local passou a ser denominado:

  • Campo do Palácio Velho.

Depois, quando a tesouraria da Capitania de Pernambuco ali se instalou, onde antes era o Palácio das Torres, passou a ser chamado:

  • Campo do Erário.

Durante a Revolução de 1817, passou a ser denominado:

  • Campo da Honra.
Foi ali, sob esta denominação, que foram executados:[3]

Com a construção do Palácio do Governo, mudou a denominação para:

  • Largo do Palácio.

Esta denominação mudou, com a visita de Dom Pedro II, para

  • Campo das Pincesas.

Finalmente, com a Proclamação da República, tomou a atual denominação.

Referências

  1. *O mais antigo jardim público do Recife
  2. Overmundo
  3. a b FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife. Recife: Governo do Estado de Pernambuco - Secretaria de Educação e Cultura, 1977. Il.
  4. Saint-Exupéry
  5. Fundação Joaquim Nabuco