Abrir menu principal

Peste antonina

(Redirecionado de Praga Antonina)
"O anjo da morte indo até a porta de Roma", por Jules-Élie Delaunay.

A peste antonina ou peste dos Antoninos foi uma epidemia que iniciou-se no ano 165, atingindo Roma em 166. Perdurou até 180, afetando todo o mundo Romano e além. Seu nome deriva da família que governava a região na época. Esta epidemia tinha como sintomas febre, erupções cutâneas e diarreia, de acordo com Cláudio Galeno. Esta doença pode ter causado a morte dos imperadores Lúcio Vero e Marco Aurélio, nos anos de 169 e 180, respectivamente.[1]

De acordo com o historiador romano Dião Cássio, no auge, a praga matava mais de 2 000 pessoas por dia na cidade de Roma, com uma taxa de mortalidade de 25% dentre os adoecidos.[2] Estudos modernos estimam o total de mortos em mais de 5 milhões de pessoas,[3] com algumas cidades perdendo até um-terço de suas populações. Em particular, o exército romano foi bem enfraquecido pela peste, com milhares de soldados adoecendo e morrendo, especialmente no leste.[4]

Fontes antigas concordam que a epidemia apareceu primeiramente durante o cerco romano a cidade de Selêucia, durante o inverno de 165–166.[5] Amiano Marcelino reportou que a peste rapidamente se espalhou para a Gália Romana e entre as legiões ao longo do rio Reno. Eutrópio afirmou que a praga se alastrou por todo o Império.[6]

O historiador australiano Rafe de Crespigny especula que a praga pode ter se originado na China, durante a Dinastia Han, antes do ano 166 da era Cristã, segundo relatos feitos em registros chineses históricos. A peste afetou profundamente a cultura e literatura romanas, e pode ter afetado as relações indo-romanas no Oceano Índico.[7][8]

Referências

  1. Ujvari, Stefan Cunha. Senac, ed. A Historia e Suas Epidemias. [S.l.: s.n.] 
  2. Dio Cassius, LXXII 14.3–4.
  3. "Past pandemics that ravaged Europe", BBC News, 7 de novembro de 2005
  4. Plague in the Ancient World
  5. Martin Sicker, (2000). "The Struggle over the Euphrates Frontier". The Pre-Islamic Middle East. (Greenwood) 2000:p.169 ISBN 0-275-96890-1.
  6. Eutropius XXXI, 6.24.
  7. Rafe de Crespigny. (2007). A Biographical Dictionary of Later Han to the Three Kingdoms (23-220 AD). Leiden: Koninklijke Brill, pp 514-515, ISBN 978-90-04-15605-0.
  8. Bruun, Christer, "The Antonine Plague and the 'Third-Century Crisis'," in Olivier Hekster, Gerda de Kleijn, Danielle Slootjes (ed.), Crises and the Roman Empire: Proceedings of the Seventh Workshop of the International Network Impact of Empire, Nijmegen, June 20–24, 2006. Leiden/Boston: Brill, 2007 (Impacto do Império, 7), 201–218.
  Este artigo sobre epidemias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.