Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Real, veja Real.

Praia Real é uma praia brasileira do estado do Rio Grande do Sul.

É um dos balneários que compõem os 23 quilômetros de orla marítima de Torres, município que faz divisa com Santa Catarina e que tem como vias de acesso a BR-101 (para quem vem do norte ou do sul) e a RS-389, esta última conhecida como Estrada do Mar (para quem vem do sul).

Comparando-se distâncias deste balneário com as capitais mais próximas e tomando-se como ponto de partida o centro de Torres, a distância é de 197 quilômetros de Porto Alegre e 280 quilômetros de Florianópolis.

Saiba Mais ...Editar

Tem cerca de 80 moradores com residência fixa. Sua população triplica na época de veraneio.

Contém diversas pousadas, mercado, Clube, restaurante, igreja e pracinhas. No verão a área de banho é monitorada por salva-vidas. Durante o ano são feitas Ações de limpeza da praia, organizadas pelos surfistas locais.

Tem extensão aproximada de 2 quilômetros de orla marítima e largura de areia da praia de 70 metros aproximadamente.

Mapas
Veja mapa da Praia Real no Google Maps
"Ande" pelas ruas da Praia Real com o Street View do Google

Surf na Praia Real
As ondas da Praia Real geralmente são irregulares com tamanho médio de meio metro no verão e um metro e meio no inverno, podendo chegar a mais de 3 metros durante ressacas. O fundo do tipo beach-break faz com que as ondas da Praia Real nunca quebrem no mesmo lugar, já que o fundo de areia se move constantemente devido às ondulações e correntes marítmas. De forma geral, as melhores ondas quebram na divisão da área de banho da Praia Real com a área de pesca da Praia Estrela do Mar. Há uma presença quase que definitiva de uma corrente de retorno na divisão da área de banho com a área de pesca da Praia Real, sendo utilizada pelos surfistas para passar a arrebentação com mais facilidade. Atualmente há somente 3 surfistas locais na Praia. Durante o inverno o surf é extremamente perigoso devido a grande quantidade de redes de pesca de calão, amarradas por um cabo que é preso na areia. Atualmente já são 49 surfistas mortos por redes de pesca no litoral do RS, fazendo com que o estado seja o local mais perigoso do planeta para a prática do surf, já que as redes matam mais do que tubarões, ondas grandes ou que os fundos de corais. Além disso, as redes calão são extremamente predatórias, muitas vezes matando tartarugas, pinguins, lobos marinhos e golfinhos.

Ligações externasEditar