Abrir menu principal
Presidente Lucena
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Presidente Lucena
Bandeira
Brasão de armas de Presidente Lucena
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Terra da chimia colonial"
Gentílico presidente lucenense
Localização
Localização de Presidente Lucena no Rio Grande do Sul
Localização de Presidente Lucena no Rio Grande do Sul
Presidente Lucena está localizado em: Brasil
Presidente Lucena
Localização de Presidente Lucena no Brasil
Mapa de Presidente Lucena
Coordenadas 29° 31' 08" S 51° 10' 40" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Municípios limítrofes Ivoti, Picada Café, Morro Reuter, Lindolfo Collor e São José do Hortêncio
Distância até a capital Não disponível
História
Fundação 20 de março de 1992 (27 anos)
Administração
Prefeito(a) Gilmar Führ (PSDB)
Características geográficas
Área total [1] 49,628 km²
População total (est. IBGE/2019[2]) 2 901 hab.
Densidade 58,45 hab./km²
Clima Subtropical (Cfa)
Altitude 75 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [3]) 0,82 muito alto
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 34 569,114 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 13 911,11
www.presidentelucena.rs.gov.br (Prefeitura)
www.camarapresidentelucena.rs.gov.br (Câmara)

Presidente Lucena é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Localiza-se a uma latitude 29º31'10" sul e a uma longitude 51º10'41" oeste, estando a uma altitude de 75 metros. Sua população estimada em 2019 é de 2.901 habitantes.

Possui uma área de 49,628 km².

HistóriaEditar

A história de Presidente Lucena começa por volta de 1750, quando então a estrada Presidente Lucena começa a ser paulatinamente aberta pelos tropeiros, que tocavam o gado do Rio Grande do Sul para São Paulo. Em 25 de julho de 1824, chegaram os primeiros imigrantes alemães, provenientes da região do Hunsrück, na Real Feitoria do Linho Cânhamo, hoje São Leopoldo. A partir de 1826, após a chegada de mais mil imigrantes, se expandiram para a região ao norte de São Leopoldo, incluindo toda a atual área de Presidente Lucena.

As localidades de Linha Nova Baixa e Picada Schneider são as mais antigas do município. Em Linha Nova Baixa, o início da colonização se deu por volta de 1830, Picada Schneider surgiu em meados de 1845, quando a família de Peter Schneider se instalou na localidade. A localidade de Nova Vila, antes chamada Nova Alemanha, foi colonizada depois de 1850, sendo a família de Guilherme Exner a pioneira.[5] O local da sede do município, começou a ser povoada no final do século XIX e inicio do século XX. O pioneiro do distrito vem da região de São Sebastião do Caí,conhecido como Pedro Rammi e sua família. Eles fixam residência no meio da mata virgem, mais precisamente onde hoje está instalada a Sociedade Esportiva Soberano.

Em 1885, o Governo Provincial do Rio Grande do Sul ordenou a realização de estudos para a construção de uma estrada ligando o município de São Leopoldo à Colônia de Nova Petrópolis. Já em 1888 a picada, que posteriormente receberia o nome de Estrada Presidente Lucena, estava totalmente aberta, ela foi feita tendo como base na antiga rota deixada pelos tropeiros, utilizada para o escoamento do gado. Durante a administração do Cel. Guilherme Gaelzer Neto, intendente de São Leopoldo de 1902 a 1916, a estrada recebeu importantes melhorias e em 1913 foi concluída a sua abertura, deixando-a em condições para o tráfego de automóveis em toda sua extensão de 57 quilômetros. Foi o próprio Gaelzer a primeira pessoa a passar de automóvel pela Estrada Presidente Lucena.

EconomiaEditar

AgropecuáriaEditar

É a atividade econômica mais antiga do município e conserva muitas características da época de colonização, como pequenas propriedades rurais e policultura. Porém, a entrada de novas tecnologias agrícolas, como rotação de culturas, adubação, irrigação, entre outras, tem aumentado a produtividade e as lavouras vem deixando de serem de subsistência para se tornarem comerciais.

A agricultura do município é bem diversificada, destacam-se o cultivo de hortifrutigranjeiros, milho, cana-de-açúcar e o plantio de acácia-negra para extração do tanino e produção de lenha. Na pecuária, destacam-se os bovinos, sendo relevante a produção leiteira, os suínos e a avicultura de corte.

No município existem aproximadamente 410 propriedades rurais, com uma área média de 10 hectares. Por volta de 700 trabalhadores são empregados no setor primário, sendo grande parte associada ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ivoti, com extensão de base em Presidente Lucena.

IndústriaEditar

Mesmo sendo um município agrícola, a indústria é a principal atividade econômica do município. Destacam-se o abate de aves, a indústria calçadista, a produção de artefatos de cimento, indústrias de chimia colonial, indústrias de malhas, móveis, artefatos de madeira, metalurgia, beneficiamento de frutas, cachaça e rapadura. As principais indústrias são: Granja Pinheiros, Luz da Lua, Malhas Ellis, Iaraline Malhas, Schneider Artefatos de Cimento, T. R. Schneider & Cia. e Doces Petry.

Comércio e serviçosEditar

Em Presidente Lucena há um comércio consolidado, com opções e alternativas em diversas áreas, como mercados, padarias, açougues, restaurantes, lancherias, lojas de confecções, calçados e material de construção, floriculturas, farmácias, agropecuária, posto de combustíveis, etc… Na área de prestações de serviços; os profissionais autônomos na construção civil, escritório de contabilidade, a cooperativa de crédito Sicredi e oficinas mecânicas são as principais atividades.

TurismoEditar

Presidente Lucena faz parte da Rota Romântica. As principais atrações turísticas do município são o núcleo histórico de Picada Schneider, a ponte férrea em Linha Nova Baixa, sobre o Rio Cadeia, e o Morro do Pedro numa altitude de 595 metros, de onde é possível avistar cidades do Vale dos Sinos.

As igrejas e casas em construídas em uma técnica denominada enxaimel, que preserva características germânicas do início da colonização. Além disso, 90% da população fala o dialeto hunsriqueano riograndense, o que garante a preservação da história e cultura dos colonizadores. O novo Centro Administrativo, seguindo o mesmo estilo de arquitetura, também tornou-se uma atração. Além disso, uma deliciosa gastronomia colonial alemã é mais um convite para quem quer conhecer o município.

Festa Tradicional

A festa mais tradicional da cidade é a Schmierfest, comemorada no segundo final de semana de novembro, a cada dois anos. Lá, o principal produto da cidade é colocado em visibilidade aos turistas: a famosa chimia de cana de açúcar, que dá nome à festa.

EsporteEditar

A cidade tem no seu calendário um vasto repertório de modalidades esportivas disputadas, porém de seus esportes o mais famoso e praticado continua sendo o Futsal, onde se estima por ano que mais de 300 pessoas jogam em equipes divididas pelas localidades municipais, outra atividade muito estimulada e desenvolvida na cidade são os jogos de carta, como a canastra.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. «Estimativa populacional de 2019». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 5 de novembro de 2019 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  5. «História : Prefeitura de Presidente Lucena». www.presidentelucena.rs.gov.br. Consultado em 1 de agosto de 2016 

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar