Abrir menu principal

Primeira-dama do Brasil

Esposa do Presidente da República Federativa do Brasil

Primeira-dama do Brasil é o título da anfitriã do Palácio da Alvorada, tradicionalmente a esposa do presidente do Brasil. Embora o papel da primeira-dama nunca tenha sido definido oficialmente, ela figura proeminentemente na vida política e social da nação.[1] Michelle Bolsonaro é a atual primeira-dama do Brasil, como esposa do 38.º Presidente, Jair Bolsonaro.

Primeira-dama do Brasil
Estilo Dona (formal)
Residência Palácio da Alvorada
Duração Coincidente com o período de exercício do presidente.
Criado em 15 de novembro de 1889
Primeiro titular Mariana da Fonseca

Mariana da Fonseca, esposa de Deodoro da Fonseca, o primeiro presidente do Brasil (1889–1891), é considerada a primeira primeira-dama do Brasil.

O papel da primeira-dama mudou consideravelmente.[1] Ele passou a incluir o envolvimento em campanhas políticas, causas sociais e representação do presidente em ocasiões oficiais e cerimoniais. Além disso, ao longo dos anos, as primeiras-damas exerceram influência em vários setores, desde a moda até a opinião pública sobre políticas.

Há quatro ex-primeiras-damas vivas: Maria Thereza Goulart, viúva de João Goulart; Marly Sarney, esposa de José Sarney; Rosane Malta; ex-esposa de Fernando Collor e Marcela Temer, esposa de Michel Temer.

Índice

HistóriaEditar

O título foi inspirado pelo modelo norte-americano e, teoricamente, seu papel é desempenhar aquilo que seu marido, o presidente, não consegue por falta de tempo, liderando, por exemplo, campanhas de caridade e de voluntariado ou participando delas, a fim de ajudar os menos favorecidos.

O diário de Getúlio Vargas, que cita mais de 1300 pessoas, menciona uma mulher misteriosa alcunhada de bem-amada, luz balsâmica e encanto da minha vida, por quem declarou estar apaixonado em abril de 1937. A mulher é supostamente a paranaense Aimée Sotto Mayor Sá. Independente de quem fora realmente a bem-amada, o relacionamento durou até maio de 1938 e causou uma crise doméstica entre Getúlio e Darcy Vargas.[2]

Três filhas de presidentes assumiram o papel de primeira-dama enquanto seus pais foram viúvos. Catita e Marieta Alves, filhas de Rodrigues Alves e Antonietta Castello Branco, filha de Humberto Castello Branco.

A única ex-primeira-dama que concorreu a cargos públicos foi Rosane Malta em 2018.[3] A primeira-dama mais jovem do país foi Maria Thereza Goulart, com 21 anos à época da posse.[4] A mais velha foi Ruth Cardoso com 64 anos. Nair de Teffé foi a que permaneceu por mais tempo na condição de ex-primeira-dama, totalizando um período de 67 anos. Darcy Vargas foi quem ocupou por mais tempo a função, durante 18 anos, contrapondo-se a Graciema da Luz, que durou menos tempo, por 3 dias. De todas as primeiras-damas, a que teve mais filhos foi Guilhermina Penna, num total de doze. Já Mariana da Fonseca e Rosane Malta não tiveram filhos.

Em 2019, Michelle Bolsonaro se tornou a primeira primeira-dama brasileira a discursar no parlatório do Palácio do Planalto durante uma posse presidencial. Ela que faz parte do Ministério de Surdos e Mudos da Igreja Batista Atitude, na qual atuou como intérprete de Libras nos cultos, quebrou protocolo discursando em Língua Brasileira de Sinais.[5][6][7][8]

Por questão de respeito, as primeiras-damas brasileiras são chamadas normalmente de Donas.

Galeria de casais presidenciaisEditar

Esposas que não se tornaram primeiras-damasEditar

  • Alice Prestes, esposa de Júlio Prestes, não se tornou oficialmente primeira-dama, visto que seu marido foi impedido de tomar posse, mas ele deve constar como ex-presidente por força da Lei.
  • Mariquita Aleixo, esposa de Pedro Aleixo, não se tornou oficialmente primeira-dama, visto que seu marido foi impedido de tomar posse, mas ele deve constar como ex-presidente por força da Lei.
  • Risoleta Neves, esposa de Tancredo Neves, não se tornou oficialmente primeira-dama, visto que seu marido morreu antes de tomar posse, mas ele deve constar como ex-presidente por força da Lei.

Esposas que foram primeiras-damas de Estados brasileirosEditar

Trabalhos sociaisEditar

 
Marcela Temer no Global Child Forum.

Provavelmente, as primeiras-damas brasileiras que melhor praticaram tais atos foram:

Estilo das primeiras-damasEditar

Dentre as trinta e sete primeiras-damas, algumas chamaram atenção pelo estilo e elegância. Considerada pela Revista People a primeira-dama mais bela do país e uma das 10 mais bonitas do mundo, Maria Thereza Goulart tornou-se um ícone da moda brasileira no início dos anos 60. Glamourosa, atraiu o interesse dos jornais e o imaginário dos brasileiros que se inspiravam nas suas mais belas peças de roupas.[11][12][13]

Ao se tornar primeira-dama, Marcela Temer também atraiu atenção nacional e tornou-se referência da moda. No desfile de 7 de setembro de 2016, apareceu com um vestido branco simples e com um decote discreto.[14] Em menos de 24 horas, o vestido já estava esgotado na loja virtual da estilista brasiliense Luisa Farani.[15] Com um estilo clássico e romântico, o mesmo vestido que usou no seu primeiro ato oficial como primeira-dama, repetiu no seu último ato oficial como primeira-dama, sendo bastante elogiada e associada a britânica Catarina, Duquesa de Cambridge.[16][17][18]

Michelle Bolsonaro tem seu estilo considerado clássico e elegante. A primeira-dama recebeu a maior parte da atenção na posse de seu marido como Presidente da República, usando um modelito considerado simples, mas que durou 20 dias para ser confeccionado. O modelo rosé ombro a ombro com comprimento mídi — inspirado na ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Jacqueline Kennedy e na princesa de Mônaco, Grace Kelly —, gerou vários comentários positivos.[19] No dia a dia seu look é sempre casual, usando basicamente calça jeans, camisetas de malha, mostrando mais sua personalidade. Gosta de peças clássicas, discretas e sem decote, tendo a cor preta como favorita, fato que a fez escolher um vestido na mesma cor com mangas redadas para o coquetel no Itamaraty na noite da posse.[20] Sua estilista é a paulistana Marie Lafayette, que veste a primeira-dama em todos os eventos oficiais.[21] Em um evento realizado pelo Palácio do Planalto em abril de 2019, Michelle surgiu com um tubinho branco e colar de pérolas, gerando comparações a Diana, Princesa de Gales.[22][23]

ListaEditar

 Ver artigo principal: Lista de primeiras-damas do Brasil

Ex-primeiras-damas vivasEditar

Até o presente momento, quatro ex-primeiras-damas estão vivas. Em ordem de serviço são:

A mais recente ex-primeira-dama a falecer foi Marisa Letícia, em 3 de fevereiro de 2017, aos 66 anos. O maior número de ex-primeiras-damas vivas foram doze, entre 15 de abril de 1964 e 17 de julho de 1965, quando Nair de Teffé, Francisca Ribeiro, Clélia Bernardes, Darcy Vargas, Luzia Linhares, Jandira Café, Graciema da Luz, Beatriz Ramos, Sarah Kubitschek, Eloá Quadros, Sylvia Mazzilli e Maria Thereza Goulart estavam todas vivas; e entre 15 de março de 1967 e 24 de junho de 1968, quando Nair de Teffé, Clélia Bernardes, Darcy Vargas, Luzia Linhares, Jandira Café, Graciema da Luz, Beatriz Ramos, Sarah Kubitschek, Eloá Quadros, Sylvia Mazzilli, Maria Thereza Goulart e Antonietta Castello Branco estavam todas vivas.[carece de fontes?]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Mesquita, Lígia (3 de janeiro de 2019). «De onde vem o papel da primeira-dama - e a tradição de trabalho social» (em inglês) 
  2. «A vida sexual no Estado Novo». Consultado em 29 de outubro de 2018. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2008 
  3. «Família Collor protagoniza disputa política com barracos e picuinhas dignas de reality». Extra Online. 19 de agosto de 2018. Consultado em 3 de janeiro de 2019 
  4. «Maria Thereza Goulart, viúva de Jango, lança biografia». O Globo. 10 de abril de 2019. Consultado em 24 de maio de 2019 
  5. «Michelle Bolsonaro faz discurso em Libras no parlatório do Palácio do Planalto». G1. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  6. Magesk, Laila (2 de janeiro de 2019). «Discurso de Michelle Bolsonaro em Libras reforça importância da língua». Gazeta Online. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  7. «Michelle Bolsonaro pegou todos de surpresa e fez até ministros chorarem». GaúchaZH. 1 de janeiro de 2019. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  8. Mendonça, Heloísa (2 de janeiro de 2019). «Discurso inédito de Michelle Bolsonaro na posse abre portas para protagonismo no Governo». EL PAÍS. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  9. «Último Segundo». Consultado em 29 de outubro de 2018. Arquivado do original em 3 de agosto de 2008 
  10. «Relembre 10 ações sociais da primeira-dama desde a posse». pleno.news. Consultado em 28 de abril de 2019 
  11. «Maria Teresa Goulart, primeira dama do país e da moda brasileira - Fashion Bubbles - Moda e o Novo na Cultura». Fashion Bubbles - Moda e o Novo na Cultura. 20 de julho de 2007 
  12. Dia, O (15 de março de 2014). «Eterna dama». O Dia - _legado_Brasil 
  13. «Exposição no MuBA reúne 23 croquis do estilista Dener - Cultura - Estadão». Estadão 
  14. «Vestido de Marcela Temer no 7 de Setembro some das lojas | VEJA Gente». VEJA.com 
  15. «Marcela Temer usa look de quase R$ 1,2 mil em parada de 7 de Setembro» 
  16. «Redes exaltam discurso de primeira-dama e vestido repetido de Marcela Temer». noticias.uol.com.br. Consultado em 7 de abril de 2019 
  17. «Marcela Temer repete vestido de 618 reais na posse de Bolsonaro | Pop! Pop! Pop!». VEJA SÃO PAULO. Consultado em 7 de abril de 2019 
  18. «Marcela Temer repete vestido na posse de Jair Bolsonaro». O Globo. 1 de janeiro de 2019. Consultado em 7 de abril de 2019 
  19. Donna, Revista (2 de janeiro de 2019). «O estilo de Michelle Bolsonaro: veja os detalhes do look usado pela primeira-dama na posse». Revista Versar. Consultado em 7 de abril de 2019 
  20. «Qual é o estilo da nossa primeira-dama, Michelle Bolsonaro?». pleno.news. Consultado em 7 de abril de 2019 
  21. «Qual é o estilo da nossa primeira-dama, Michelle Bolsonaro?». pleno.news. Consultado em 7 de abril de 2019 
  22. «Michelle Bolsonaro é comparada a Princesa Diana ao usar figurino bem parecido». Extra Online. 6 de abril de 2019. Consultado em 7 de abril de 2019 
  23. «Michelle Bolsonaro usou vestido inspirado em look de Lady Di». O Globo. 6 de abril de 2019. Consultado em 7 de abril de 2019