Abrir menu principal
Primeira Guerra Anglo-Afegã
Parte da(o) Grande Jogo
Remnants of an army2.jpg
Remnants of an Army por Elizabeth Butler representando William Brydon que foi o único britânico a completar a retirada catastrófica de Cabul.
Data 1839–1842
Local Afeganistão
Desfecho Retirada britânica do Afeganistão.[1][2][3]
Combatentes
Flag of Afghanistan (1919–1921).svg Emirado do Afeganistão  Reino Unido
Líderes e comandantes
Flag of Afghanistan (1919–1921).svg Dost Mohammad Khan (prisioneiro de guerra)
William Hay Macnaghten 
John Keane
Sir Willoughby Cotton
William Elphinstone (prisioneiro de guerra)
George Pollock
Vítimas
deconhecidos 4500 mortos[3]
Vítimas
Civis afegãos = Desconhecidos
britânicos (indianos) = 12.000 civis mortos[3]

A Primeira Guerra Anglo-Afegã, que ocorreu entre 1839 e 1842, foi um dos primeiros grandes conflitos durante o Grande Jogo no século XIX, uma competição pelo poder e influência na Ásia Central entre o Reino Unido e a Rússia, e também marcou um dos piores reveses infligidos aos britânicos na região desde a consolidação da Companhia Britânica das Índias Orientais na Índia.[4]

Diante aos temores britânicos de que a esfera de influência russa prorrogasse para a fronteira indiana, o governador-geral da Índia, George Eden, conde de Auckland, apresentou ao Dost Mohammad um ultimato, pedindo a expulsão de uma delegação russa em Cabul. Rejeitado o pedido britânico, em Março de 1838, o exército britânico da Companhia Britânica das Índias Orientais invadiu o Afeganistão, desencadeando a primeira guerra anglo-afegã. Ao encontrar uma oposição insubsistente, os invasores capturaram Candaar, em Abril de 1839 e Ghazni em Julho. Quando Cabul caiu em agosto, Shuja Shah, o neto de Ahmad Shah, um antigo rei afegão, foi instalado no trono do Afeganistão, em vez de Dost Muhammad, já que o mesmo entregou-se para os britânicos.

Em 2 de novembro de 1841, Akbar Khan, filho de Dost Muhammad, liderou uma revolta com sucesso contra Shah Shuja e as guarnições indiano-afegãs no país. Uma expedição punitiva anglo-indiana reforçou guarnições por um curto período, mas em Dezembro de 1842, os britânicos tiveram de deixar definitivamente o país. Dost Muhammad, em seguida, foi libertado de sua prisão e recuperou o seu trono.

As relações entre o Afeganistão e os britânicos continuaram tensas até 1855, quando Dost Muhammad que conduziu um acordo de paz com o governador-geral da Índia. No entanto, em 1878, os britânicos voltariam a invadir o Afeganistão na Segunda Guerra Anglo-Afegã.

Referências

  1. L.W. Adamec/J.A. Norris, ANGLO-AFGHAN WARS, in Encycloædia Iranica, online ed., 2010
  2. J.A. Norris, ANGLO-AFGHAN RELATIONS Arquivado em 8 de dezembro de 2010, no Wayback Machine., in Encycloædia Iranica, online ed., 2010
  3. a b c Baxter, Craig (2001). «1». In: Federal Research Division, Library of Congress. The First Anglo-Afghan War. Afghanistan : a country study. Baton Rouge, LA: Claitor’s Pub. Division. ISBN 1579807445. Consultado em 23 de setembro de 2011 
  4. Barfield, Thomas (2010). Afghanistan: A Cultural and Political History. [S.l.]: Princeton University Press. p. 110. ISBN 0691145687. Consultado em 22 de agosto de 2010 

BibliografiaEditar

  • Fremont-Barnes, Gregory, The Anglo-Afghan Wars 1839-1919, Essential Histories, vol. 40. Osprey Publishing: 2009. ISBN 9781846034466.
  • Fowler, Corinne, (2007) Chasing Tales: travel writing, journalism and the history of British ideas about Afghanistan, Rodopi: Amsterdam.
  • Greenwood, Joseph, (1844) Narrative of the late Victorious Campaign in Affghanistan, under General Pollock: With recollections of seven years' service in India. London: H. Colburn
  • Hopkirk, Peter, (1992) The Great Game, New York, NY: Kodansha America, ISBN 1-56836-022-3
  • Kaye, Sir John, (1860) History of the First Afghan War, London.
  • Macrory, Patrick, (2002) Retreat from Kabul: The Catastrophic British Defeat in Afghanistan, 1842. Guilford, CT: The Lyons Press. ISBN 978-1-59921-177-0
  • Perry, James M., (1996), Arrogant Armies: Great Military Disasters and the Generals Behind Them. New York:Wiley. ISBN 9780471119760
  Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.