O Pestinha

filme de 1990 dirigido por Dennis Dugan
(Redirecionado de Problem Child)

O Pestinha[3][4] (no original: Problem Child) é um filme de comédia estadunidense de 1990. Estrelado por John Ritter, Amy Yasbeck, Gilbert Gottfried, Jack Warden, Michael Richards e Michael Oliver. Foi dirigido por Dennis Dugan. O filme foi o primeiro de muitos outros filmes produzidos por Robert Simonds.

O Pestinha
Problem Child
Pôster promocional.
 Estados Unidos
1990 •  cor •  80 min 
Direção Dennis Dugan
Produção Robert Simonds
Produção executiva Ron Howard
Brian Grazer
Roteiro Scott Alexander
Larry Karaszewski
Narração Michael Oliver
Elenco John Ritter
Jack Warden
Michael Oliver
Gilbert Gottfried
Amy Yasbeck
Michael Richards
Género comédia
Música Miles Goodman
Cinematografia Peter Lyons Collister
Edição Tom Finan
Daniel P. Hanley
Mike Hill
Companhia(s) produtora(s) Imagine Entertainment
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 27 de julho de 1990
Idioma inglês
Orçamento US$ 10 milhões[1]
Receita US$ 72.270.891[2]
Cronologia
Problem Child 2 (1991)

Apesar de receber resenhas geralmente negativas dos críticos, O Pestinha se tornou um sucesso de bilheteria, arrecadando setenta e dois milhões de dólares mundialmente contra um orçamento de dez milhões. Foi seguido por duas sequências: Problem Child 2 em 1991 e Problem Child 3 em 1995 (sendo esta última no formato de um telefilme).

EnredoEditar

O filme começa com uma mulher deixando um berço na varanda de uma casa; o bebê, chamado Júnior, urina sobre a mulher ricaça que o pega no colo. De lá, ele é repetidamente descartado em várias casas ao longo de muitos anos por tutores que se cansaram de seu comportamento destrutivo, que inclui a demolição de uma casa móvel com uma escavadeira em retaliação por seus brinquedos favoritos a ser pisados, até que ele, eventualmente, é depositado em um orfanato católico, onde continua a causar estragos nas freiras rígidas.

Ben Healy é um marido agradável, mas atarefado que trabalha para seu pai, Big Ben, um negociante de artigos esportivos tirânico que está concorrendo a prefeito. Recentemente, ele descobriu que seu pai pretende vender sua loja e terreno para uma empresa japonesa, em vez de deixá-la para ele. Quando pergunta o motivo, Big Ben revela que é porque seu filho "teimosamente se recusa a seguir seu exemplo", pois prefere agir com honestidade e ética em vez de explorar as pessoas em proveito próprio. Ben gostaria de ter um filho, mas sua esposa, Flo Healy, tem sido incapaz de conceber. Ben se aproxima do inescrupuloso agente de adoção Igor Peabody com seu dilema e este os apresenta a um belo menino de sete anos de idade chamado Júnior.

No entanto, Júnior não é uma criança modelo; aparentemente mesquinho e incorrigível, ele deixa um rastro de destruição por qualquer lugar que passa, fazendo até mesmo amizade por correspondência com Martin Beck, um notório assassino em série chamado de "assassino da gravata borboleta". Júnior incendeia seu quarto e joga o gato da família em Big Ben, que acaba caindo da escada. Júnior mexe-se uma viagem de acampamento com os vizinhos e urina no fogo do acampamento e manipula uma brincadeira feita pelo pai das crianças, Roy. Ele faz Ben acreditar que um urso está atacando o acampamento quando é realmente Roy em uma roupa de urso que é atingido com uma frigideira. Ouvindo o riso de Júnior, Ben descobre que o garoto é responsável por fazê-lo bater em Roy. No dia seguinte, na festa de aniversário de Lucy, esta e seus amigos esnobes o tratam com crueldade e o impedem de assistir ao show de mágica. Vendo o filho chateado, Ben lhe dá o seu bem mais precioso: uma ameixa seca que pertenceu a seu avô (ele pensou que se assemelhava a Roosevelt), dizendo-lhe que significa um vínculo entre duas pessoas. Júnior, porém, quer vingança, e liga um irrigador de grama no quarto de Lucy, cortando a trança de outra menina com uma tesoura, coloca um sapo em uma tigela de ponche, substitui os doces de um pote da festa por picles, joga os presentes na piscina e substitui as velas do bolo por fogos de artifício. Como resultado, Ben confisca a mesada de Júnior.

Finalmente, Júnior mostra seu método eficaz, mas antiético para ganhar em Little League, atacando os jogadores rivais com um taco de beisebol, após estes o provocarem. Ben, com dúvidas sérias sobre Júnior, decide levá-lo de volta para o orfanato. No entanto, ao ouvir que ele foi devolvido trinta vezes, ele decide continuar com ele e amá-lo, algo que ninguém jamais fez. No entanto, Júnior fica chateado por seus pais quererem mandá-lo de volta e, apesar de Ben negar, dirige o carro de Flo com seu pai adotivo em cima do teto até a loja de Big Ben, destruindo-a; a conta bancária de Ben é confiscada para pagar os prejuízos. Ele está à beira de bater no garoto até que Beck (acreditando que Júnior é o criminoso J.R.) chega à casa, posando como o tio de Júnior, e decide sequestrar o menino, junto com Flo, pedindo o resgate.

Enquanto Ben primeiro vê isso como boa viagem com sua esposa irritante e a dificuldade para cuidar de Júnior, ele logo percebe sinais de que Júnior não é o monstro que ele apareceu. Em sua gaveta tem guardado cuidadosamente embrulhado e por uma série de fotos que ele tirou, ele retrata Flo e Big Ben como monstros deformados com ambiente hostil, mas Ben representado como uma pessoa feliz em um fundo agradável, revelando que ele realmente valoriza-lo como uma figura paterna o tempo todo. Ben, percebendo que o comportamento de Júnior foi simplesmente uma resposta à maneira em que ele próprio havia sido tratado, e que foi simplesmente má sorte que ele tem lidado com muitas pessoas cruéis e egoístas em uma idade tão jovem, empreende uma missão de resgate para tirá-lo de volta de Beck.

Ele, então, confronta seu pai (que se prepara para fazer uma aparição na TV para sua campanha para prefeito) para emprestar-lhe o dinheiro do resgate. Quando ele se recusa insensivelmente, Ben ativa a câmera que coloca Big Ben, sem saber, ao vivo na TV, onde ele acaba revelando sua verdadeira natureza no noticiário. Depois, Ben rouba carro de seu vizinho Roy e vai resgatar Júnior.

Ben chega com Beck e Júnior no circo. Júnior é resgatado depois de escapar de Beck através de um ato do trapézio e chama Ben de "papai" pela primeira vez. Beck vai embora, mas com Healy agora em seu encalço. Após uma colisão, Flo (que foi posta em uma mala), é lançada no ar e pousa na traseira de um caminhão carregado com porcos da fazenda. Beck é preso, mas ao mesmo tempo sendo levado, ele pega uma arma do oficial e atira em Júnior, mas Ben protege Júnior e toma o tiro. Pensando que Ben está morto, Júnior pede desculpas por todas as coisas ruins que ele fez e diz que ele nunca vai ser impertinente novamente e ele o ama. Ben acorda e diz a Júnior que o ama, também, e percebe que a bala ricocheteou em sua ameixa seca de boa sorte que ele estava segurando em seu bolso. Júnior pergunta a Ben se ele realmente acreditava que ele ia parar de seu mau comportamento, mas Ben diz a Júnior que quer que ele seja ele mesmo. Júnior, em seguida, tira o laço e lança-lo em cima da ponte, talvez, como um sinal de que ele mudou suas maneiras de não ser igual a Martin, mas ser ele mesmo. Júnior é, então, levado para casa por seu novo pai. O filme termina com Flo no caminhão olhando para fora da mala, apenas para ver as partes íntimas de um boi, que por sua vez defeca.

Elenco e personagensEditar

  • John Ritter como Benjamin "Ben" Healy Jr.: Ele é uma pessoa carinhosa e quer ter um filho. Ele adota Júnior e cria laços com ele. Ele é odiado por sua esposa, vizinhos e seu pai.
  • Michael Oliver como Junior: O principal personagem e o brincalhão travesso no filme titular. Ele foi devolvido ao orfanato de 30 vezes mais que ele sempre causa problemas por onde passa. Júnior é muitas vezes cercado por pessoas egoístas e médias o que lhe dá a necessidade de puni-los com suas brincadeiras, tornando-se odiado por aqueles que o rodeiam. Ele tem uma mente inventiva e tortuosa, mas também é bom com eletricidade e máquinas. Júnior deseja ter uma família e ele finalmente encontra Ben, que ele desenvolve um vínculo com que Ben é o único que está sempre gentil com ele.
  • Jack Warden como Benjamin "Big Ben" Healy: O pai rico, mas egoísta e pão duro de Ben. Ele odeia Júnior, tendo o chamado de diabo quando de sua primeira reunião. Ele concorre para prefeito de Cold River, mas perdeu a eleição devido a insultar os cidadãos, e a mostrar os glúteos na TV (o resultado de Ben propositadamente ligar a câmera em Big Ben que recusou o apelo de Ben para resgatar Júnior).
  • Gilbert Gottfried como Sr. Igor Peabody: Ele trabalha com o orfanato e pensa que Júnior no início é um anjo, mas acontece que ele está errado e convence Ben e Flo em adotar Júnior. Mais tarde, ele revela que Júnior foi devolvido 30 vezes para o orfanato.
  • Amy Yasbeck como Florence "Flo" Healy: Ela é a esposa de Ben e odeia Júnior. A única razão pela qual ela queria adotar era para que ela pudesse ser convidada para festas e jantares dos vizinhos. Ela é muito egoísta e infiel a Ben e ela faz amor com Martin na cozinha.
  • Michael Richards como Martin "Assassino da Gravata Borboleta" Beck: Ele é um fugitivo perigoso e usa uma gravata borboleta e diz que ele é apenas mal compreendido por todos. Ele tem vontade de comer um lanche temático-palhaço chamado 'Pies Smiley' (Torta Surpresa), mesmo que ele (como Júnior) odeie palhaços. Serve como o antagonista do filme.
  • Peter Jurasik como Roy: Vizinho de Ben e de Flo. Ele acha que ele é um pai super devido a sua esposa estar grávida de seu sexto filho. Ele assustou as crianças com uma fantasia de urso e foi confundido com um urso de verdade por Ben e é atingido com uma frigideira.
  • Dennis Dugan como o pai de uma criança na loja (cameo)
  • Colby Kline como Lucy: Ela é a vizinha egoísta de 6 anos. Ela convida a contragosto Júnior para sua festa de aniversário, por insistência de sua mãe. Ela diz a Júnior que ele não tem permissão para assistir ao show de mágica em sua festa de aniversário para tocar seus presentes, mas Júnior se vinga arruinando sua festa na beira do rio.
  • Helena Humann como Madre Superiora: Ela é a líder das freiras no orfanato St. Brutus e é uma das principais vítimas de Junior no local, graças às brincadeiras ela sempre o impõe a fazer serviços domésticos no local. Cansada das diabruras do garoto, ela recorre ao Sr. Peabody para que ele transfira Junior de orfanato. Ela, as freiras e os órfãos comemoram com balões e aleluias, quando Junior sai do local adotado por Ben e Flo.

ProduçãoEditar

O filme foi filmado em locações no estado do Texas, de outubro a novembro de 1989. As cidades que foram usados ​​para as filmagens foram Dallas, Texas, Farmers Branch, Fort Worth, Irving, e Mesquite.

Os roteiristas Scott Alexander e Larry Karaszewski revelaram em um podcast apresentado por um dos atores do filme, Gilbert Gottfried, terem se inspirado por uma matéria do Los Angeles Times de 1988 sobre um casal que processava um centro de adoção por não avisarem que a criança que eles levaram tinha problemas mentais e tendências a violência, tendo sido rejeitada por inúmeros casais antes. Outros roteiristas tentaram adaptar a história como um filme de terror na linha de The Bad Seed ou The Omen, mas Alexander e Karaszewski acreditaram que podia inspirar uma comédia de humor negro parodiando uma tendência do fim da década de 1980, filmes sobre crianças ensinando adultos cínicos a amar, que incluíam Parenthood (cujo pôster é diretamente parodiado pelo de O Pestinha), Look Who's Talking, Mr. Mom, Kindergarten Cop e Three Men and a Baby[5]

O papel do Júnior heally foi oferecido para Macaulay Culkin depois do seu sucesso como Kevin macalister do esqueceram de mim, mais ele estava ocupado estudando o roteiro do filme anjo malvado e o personagem ficou com Michael Oliver.

RecepçãoEditar

ComercialEditar

O filme estreou em terceiro lugar nas bilheterias estadunidenses em 27 de julho de 1990.[6] Foi um sucesso comercial nas bilheterias, arrecadando US$ 54 milhões no mercado interno e US$ 72 milhões em todo o mundo ante um orçamento de US$ 10 milhões.

CríticaEditar

O Pestinha recebeu críticas negativas, sendo um dos filmes com 0% de aprovação no Rotten Tomatoes.[7] Os usuários do Internet Movie Database (IMDb) deram uma nota de 5.1 em 10.[8] Embora o filme tenha censura praticamente livre nos Estados Unidos, o filme ainda é fortemente censurado quando exibido na televisão devido às observações feitas sobre adoção, que os críticos viram como insensível.[9] O Pestinha não foi exibido para os críticos antes de seu lançamento.[10] No Brasil, é reconhecido como um dos filmes mais exibidos na Sessão da Tarde.[11]

Hal Hinson, escrevendo para o Washington Post, elogiou o fato do diretor Dugan ter um estilo cômico animado, imaginativo; estabelecendo suas piadas no momento certo, de modo que ainda há alguma surpresa nas falas de ímpeto quando elas vêm essencialmente, o problema que o crítico observa aqui é o mesmo que o problema em Gremlins 2, basicamente sobre "rasgando coisas para cima, e depois de um tempo você se cansar de ver variações sobre a mesma piada de um garoto bonito cometendo atrocidades horríveis."[12]

Gilbert Gottfried foi indicado para o prêmio Framboesa de Ouro de Pior Ator Coadjuvante para o filme.

LegadoEditar

SequênciasEditar

 Ver artigos principais: Problem Child 2 e Problem Child 3

A primeira sequência, já lançada no ano seguinte ao filme original, trouxe de volta o elenco original em seus papéis originais e se inicia onde o primeiro filme terminou. No entanto, foi dado um novo papel para Amy Yasbeck com uma nova dinâmica totalmente oposto à sua personagem do filme original. Esta sequência é também conhecida por incluir mais humor escatológico do que no primeiro filme.

O filme final, lançado em 1995 diretamente para televisão, Gottfried e Warden reprisam seus respectivos papéis como Sr. Peabody e Big Ben Healy. Eric Edwards também reprisa seu papel como Murph (ele também interpretou Bertha, irmã de Murph). No entanto, os papéis de Júnior e Ben Healy foram reformulados. Annie, Trixie, e LaWanda Dumore não aparecem neste filme, nem são mencionadas.

Série animadaEditar

O Pestinha também inspirou uma série televisiva de animação que foi ao ar em 1993. Gottfried foi o único membro do elenco original a dublar um personagem, fazendo dele o único membro do elenco envolvido em todos os três filmes, bem como o desenho animado (Jack Warden estava nos 3 filmes, mas não na série de TV).

Lançamento em vídeoEditar

O filme teve ainda mais sucesso comercial quando lançado em home video.[13] A versão VHS contém uma cena extra, pouco antes dos créditos finais, em que Júnior interrompe o filme, para dizer ao público que ele estará de volta no próximo verão para Problem Child 2. A versão VHS foi lançado em 31 de janeiro de 1991. O primeiro lançamento do DVD foi lançado pela GoodTimes Entertainment em 1 de maio de 2001. Problem Child e Problem Child 2 foram lançados juntos em DVD nos EUA em 2 de março de 2004, como um pacote chamado Problem Child Tantrum Pack. Estes filmes foram apresentados em fosco aberto em tela cheia.[14] No entanto, não há versão em vídeo apresentando as cenas excluídas mostradas nas versões da TV do filme.

O Pestinha foi re-lançado no DVD Family Comedy Pack Quadruple Feature (com outros filmes de comédia como Kindergarten Cop, Kicking & Screaming, e Major Payne) em widescreen anamórfico (sendo primeiro filme em widescreen na Região 1 do DVD) em 5 de agosto de 2008.[15]

Referências

  1. «Box office / business for Problem Child (1990)». IMDb. Consultado em 12 de maio de 2016 
  2. «Search Box Office Mojo». Consultado em 6 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2013 
  3. AdoroCinema (BRA)
  4. Cinema ptgate (POR)
  5. «Gilbert Gottfried's Amazing Colossal Podcast». Consultado em 29 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2014 
  6. «'Ghost' Hovers Behind No. 1 'Presumed Innocent' : WEEKEND BOX OFFICE». Los Angeles Times. 31 de julho de 1990. Consultado em 13 de janeiro de 2011 
  7. «Problem Child». Rotten Tomatoes. Consultado em 7 de dezembro de 2012 
  8. «Problem Child». Internet Movie Database. Consultado em 22 de janeiro de 2013 
  9. Mathews, Jack (11 de agosto de 1990). «The Problem With Universal's 'Problem Child'». The Los Angeles Times. Consultado em 13 de janeiro de 2011 
  10. Mathews, Jack (11 de agosto de 1990). «The Problem With Universal's 'Problem Child'». Los Angeles Times 
  11. Dez filmes clássicos da “Sessão da Tarde” escondidos no Netflix
  12. «‘Problem Child’ (PG)». The Washington Post. 28 de julho de 1990  C1 control character character in |título= at position 1 (ajuda)
  13. Hunt, Dennis (21 de fevereiro de 1991). «VIDEO RENTALS : Three New Players Enter the Top Five». The Los Angeles Times. Consultado em 11 de janeiro de 2011 
  14. Whiggles.com version 9
  15. «Family Comedy Pack Quadruple Feature, NEW NBC Universal Store Universal Studios New Releases, NBC Universal Store». Consultado em 21 de junho de 2014. Arquivado do original em 30 de setembro de 2011 

Ligações externasEditar