Projeção transversa de Mercator

A projeção transversa de Mercator é uma projeção cartográfica adaptada da projeção de Mercator. A versão transversa é muito utilizada em sistemas de projeção cartográfica nacionais e internacionais em todo o mundo, incluindo o sistema UTM. Quando considerada conjuntamente com um datum geodésico adequado, a projeção transversa de Mercator é de grande precisão em regiões cartografadas de pequena varição em longitude, ou seja, de pequena extensão leste-oeste.

Esquema de colocação do cilindro da projeção transversa de Mercator que originará o plano cartográfico com os pontos projetados

A projeção de Gauss-Krüger é a versão elipsoidal da projeção transversa de Mercator e semelhante a esta, excetuando que no caso da projeção de Gauss-Krüger, o cilintro toca a esfera ou elipsóide ao longo de um meridiano e não da linha do Equador. O resultado é uma projeção conforme que não mantém as direções. O meridiano central é colocado no centro da região a cartografar. Isto permite minimizar a distorção de todas as propriedades nessa região. A projeção de Gauss-Krüger é assim adequada para cartografia de territórios que se estendem na direção norte-sul.[1]

Referências

  1. ArcGIS Pro. «Gauss-Krüger». Consultado em 12 de junho de 2020 

BibliografiaEditar

  • J. P. Snyder, Map Projections: A Working Manual, USGS Professional Paper 1395 (1987), pp. 48–66.
  • Gaspar, Joaquim (2005) – Cartas e Projecções Cartográficas. 3.ª edição, actualizada e aumentada. Lisboa: Lidel Edições Técnicas.
  • Monmonier, Mark (2004) – Rhumb Lines and Map Wars. Chicago: The University of Chicago Press.
  • Snyder, John P. (1993) – Flattening the Earth: Two Thousand Years of Map Projections. The University of Chicago Press, Chicago and London.
  Este artigo sobre cartografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.