Panjabe

(Redirecionado de Punjabe)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Punjab (desambiguação).

Punjab,[1] Punjabe,[2] Panjabe,[3][4] Panjaba,[3] Penjabe,[3][5] Panjab[3][6] Pendjab[1] (panjabi: ਪੰਜਾਬ; híndi: पंजाब; urdu: پنجاب; persa: پنجاب, que significa "Terra dos Cinco Rios") é uma região do subcontinente indiano dividida entre a Índia e o Paquistão. Os "cinco rios" são o Jilum, Chenab, Rauí, Beás, Satle,[7] todos tributários do Indo. A etnia local, chamada panjabi, fala a língua panjabe e é majoritariamente hindu e sique (na Índia) e muçulmana (no Paquistão).

Área de língua panjabi, na Índia e no Paquistão
Mapa da província de Punjabe em 1909, com estados principescos indianos em amarelo.

Historicamente, a região do Panjabe compreendia vastos territórios a leste do Indo e a oeste do rio Yamuna. Foi um centro da civilização do vale do Indo e, a partir de c. de 1 500 a.C., o sítio de assentamentos arianos primitivos. A região, habitada por indo-arianos, foi governada por diferentes impérios e grupos étnicos, como os antigos gregos, persas, árabes, turcos, mogóis, afegãos, balúchis, siques e os britânicos. Em 1947, a área foi partilhada entre os Estados sucessores da Índia Britânica: Índia e Paquistão.

Após a partilha, a maior parte da região coube ao Paquistão, na forma da província do Punjabe, com capital em Laore. O Punjabe indiano, por sua vez, foi subdividido nos estados de Punjabe (com capital em Chandigarh), Haryana, Himachal Pradexe e Déli. O Panjabe paquistanês ocupa uma área de 205 344 km² e sua população é de 86 084 000 habitantes, enquanto que o território do estado indiano do Panjabe é de 50 362 km² e sua população, de 24 289 296 habitantes. A língua punjabi é falada por cerca de 90% da população do Panjabe paquistanês e por 92,2% da população do Panjabe indiano.

EtimologiaEditar

Apesar da profusão de formas vernáculas, sua origem etimológica é uma só, o topônimo persa پنجاب Pañjáb, recebido do sânscrito pañca ápah "cinco rios" (de pañca "cinco", e ápah "rio").[8] O seu gentílico é "panjabi" ou "punjabi', incorporado à língua portuguesa em 1899.[8]

Notas

  1. a b Houaiss, verbete "panjabi".
  2. Gradim, Anabela (2000). «9.7 Topónimos estrangeiros». Manual de Jornalismo. Covilhã: Universidade da Beira Interior. p. 167. ISBN 972-9209-74-X. Consultado em 27 de março de 2020 
  3. a b c d Machado, José Pedro (1993) [1984]. Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa. 3.º Volume (N–Z) 2.ª ed. Lisboa: Horizonte / Confluência. p. 1126. ISBN 972-24-0845-3 
  4. Correia, Paulo (Primavera de 2019). «Duxambé, Chechénia e os estados Xã e Chim» (PDF). Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 59): 5-14. ISSN 1830-7809. Consultado em 8 de julho de 2019 
  5. Paulo, Correia (Verão de 2020). «Toponímia da Índia — breve análise» (PDF). Bruxelas: a folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias. p. 4. ISSN 1830-7809. Consultado em 8 de outubro de 2020 
  6. Aurélio, verbete "panjabi".
  7. Formas vernáculas registradas em Machado, verbete "Panjabe".
  8. a b Houaiss, verbete "panjabi".