Que Rei Sou Eu?

telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo

Que Rei Sou Eu? é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 13 de fevereiro a 16 de setembro de 1989 em 185 capítulos.[1][2] Substituiu Bebê a Bordo e foi substituída por Top Model, sendo a 41ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Que Rei Sou Eu?
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 40 minutos
Criador(es) Cassiano Gabus Mendes
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Jorge Fernando
Elenco
Tema de abertura "Rap do Rei", Luni
Tema de encerramento "Rap do Rei", Luni
Composto por Luni
Exibição
Emissora original Rede Globo
Transmissão original 13 de fevereiro - 16 de setembro de 1989
Episódios 185
Cronologia
Bebê a Bordo
Top Model

Escrita por Cassiano Gabus Mendes, com a colaboração de Luís Carlos Fusco e Solange Castro Neves, teve direção de Jorge Fernando, Mário Márcio Bandarra, Fábio Sabag e Lucas Bueno.

Contou com Edson Celulari, Giulia Gam, Tato Gabus Mendes, Antônio Abujamra, Tereza Rachel, Daniel Filho, Marieta Severo, Cláudia Abreu, Natália do Vale e Jorge Dória nos papéis principais da trama.

EnredoEditar

O ano é 1786, três anos antes da Revolução Francesa. Após a morte do rei Petrus II, o trono do fictício reino de Avilan é assumido pela rainha Valentine, uma histérica que não estava preparada para o governo. No entanto, em seu testamento, o falecido rei revela haver deixado um filho bastardo, que teve com a camponesa Maria Fromet, e seria o herdeiro do trono.

A rainha Valentine é dominada pelos conselheiros reais: Crespy Aubriet, Gaston Marny, Bidet Lambert, Gerárd Laugier e o cruel conselheiro-chefe, Vanolli Berval, que, com seu jogo de cintura, comandam completamente a rainha. O único conselheiro honesto de Avilan é Bergeron Bouchet, que sofre com o assédio de Valentine. Ele é casado com a bela Madeleine, a única mulher do reino que sabe escrever, e tem ideais feministas. Madeleine é objeto do desejo de Ravengar, o bruxo da corte.

Na ausência do sucessor ao trono, os conselheiros reais coroam o mendigo Pichot como rei, como se fosse o verdadeiro filho de Petrus II. A armação é obra do misterioso Ravengar, o feiticeiro. Porém, há uma conspiração entre a classe pobre de Avilan, que busca derrubar o governo para instituir uma sociedade menos opressiva, já que o reino é corroído pela corrupção de seus governantes e injustiças sociais. Dentre eles está Loulou Lion, a dona de uma taberna que sabe a verdade sobre o filho do rei; e Corcoran, o bobo da corte, que é um rebelde infiltrado no palácio.

Mas o líder da revolução é Jean Pierre, que, ao descobrir que é o filho bastardo do rei, passa a lutar pela coroa que lhe pertence. Todavia, não só de heroísmo sobrevive Jean Pierre. Sua luta é entremeada por duas mulheres apaixonadas: a jovem idealista Aline e a nobre Suzanne, a bela esposa do conselheiro Vanolli Berval, que disputam o seu amor.

ProduçãoEditar

Em 1977, o autor Cassiano Gabus Mendes apresentou a história de Que Rei Sou Eu a Boni, à época diretor geral. A história foi recusada, pois como tratava de temas políticos, havia uma preocupação sobre a censura que o governo poderia impor. Além disso, uma novela com comédia escrachada no horário nobre poderia não ser bem sucedida.[3] Uma segunda tentativa foi feita em 1983, porém também não foi adiante.[3]

A história foi finalmente aceita em 1988, porém ainda havia problemas como o merchandising seria feito durante a novela. Cassiano então teve a ideia de fazer os personagens sonharem com os produtos modernos, que não existiam na época em que se passa a novela[3].

ElencoEditar

Ator Personagem
Edson Celulari Jean-Pierre
Giulia Gam Aline
Antônio Abujamra Mestre Ravengar
Tereza Rachel Rainha Valentine de Avillan
Daniel Filho Renê Bergeron Bouchet
Marieta Severo Madeleine Bouchet
Tato Gabus Mendes Pichot / Lucien Élan / Rei Petrus III
Natália do Valle Suzanne Vebert
Cláudia Abreu Princesa Juliette de Avillan
Jorge Dória Vanolli Berval
Stênio Garcia Corcoran
Ítala Nandi Loulou Lion
Aracy Balabanian Maria Fromet / Lenore Gaillard
Carlos Augusto Strazzer Crespy Aubriet
Oswaldo Loureiro Gaston Marny
Edney Giovenazzi François Gaillard
John Herbert Bidet Lambert
Laerte Morrone Gérard Laugier
Fábio Sabag Roger Vebert
Vera Holtz Fanny
Ísis de Oliveira Lucy Laugier
Mila Moreira Zmirá
Guilherme Leme Roland Barral
Zilka Salaberry Gaby Deleon
Marcelo Picchi Michel
Betty Gofman Princesa Ingrid
Cristina Prochaska Charlotte
Paulo César Grande Bertrand
Cinira Camargo Lily
Carla Daniel Cozette
Marcos Breda Pimpim
Yolanda Cardoso Miruska
Ivan Setta Godard
Heloísa Helena Cocote
Luiz Magnelli arauto Arnúbio
Desireé Vignolli Denise
José Carlos Sanches Balesteros
Totia Meirelles Monah
Soraya Ravenle Anete
Leonardo Franco Fernão
Cacá Barrete Vadi
Melise Maia Janine

ParticipaçõesEditar

Ator Personagem
Dercy Gonçalves Baronesa Lenilda Eknésia
Gianfrancesco Guarnieri Rei Petrus II
Carlos Kroeber Dom Curro de La Grana
André Mattos Soldado Lafon
Antônio Pedro Barão Von Lonchas
Eva Wilma Marquesa D'Anjou
Luís Gustavo Charles Miller
Roberto Dinamite Bobby
Ilka Soares Marquesa de Loredan
Paulo César Pereio soldado
Jorge Fernando soldado
Chico Anysio Taji Namas
Ítalo Rossi Marquês de Castilha
Catalina Bonaky Baronesa de La Rochelle
Francisco Dantas Barão de La Rochelle
Milton Gonçalves Barão Herr Whisky
Monique Lafond Marquesa
Tonico Pereira soldado
Emiliano Queiroz La Roche
Cazarré Marquês
Henriqueta Brieba nobre assaltada pelo Cavaleiro Mascarado
Lícia Magna nobre assaltada pelo Cavaleiro Mascarado
João Signorelli bandido Campot
Tuca Andrada ferreiro que prepara a máscara de ferro
Hilda Rebello aia da Rainha Valentine
Maria Cardoso aia da Rainha Valentine
Marcus Alvisi verdureiro Bergin
Roberto Dinamite Bobby Dynamite
Nádia Nardini Maria Fromet (jovem)
Carlos Kurt ferreiro Dupont
Lia Farrel cortesã
Toni Nardini soldado
José Carlos de Souza soldado
Anco Valle soldado
Ana Baird Nicole
Deborah Catallani Camile
Márcia Rêgo Monteiro moça da taberna
Alberto Baruque soldado
Sandro Rilho soldado

ReprisesEditar

Foi reexibida na Sessão Aventura de 23 de outubro a 29 de dezembro de 1989, em 50 capítulos.

Foi reprisada no Canal Viva de 7 de maio de 2012 a 18 de janeiro de 2013, substituindo Roque Santeiro e sendo substituída por Rainha da Sucata. [4][5]

Outras mídiasEditar

Em dezembro de 2013, a Globo Marcas lançou a novela em DVD.[6]

Foi disponibilizada na íntegra na plataforma de streaming Globoplay em 14 de março de 2022.[7]

Trilha sonoraEditar

 Ver artigo principal: Que Rei Sou Eu? (trilha sonora)

A gravadora Som Livre lançou duas trilhas sonoras da novela Que Rei Sou Eu?, uma nacional, lançada em março de 1989, e outra internacional, lançada junho daquele mesmo ano. A trilha nacional de Que Rei Sou Eu? foi lançada foi quase toda composta por canções especialmente criadas para a trama, as quais tornaram-se sucesso nas rádios Brasil afora.[8]

Referências

  1. «Que Rei Sou Eu?». Teledramaturgia 
  2. «Que Rei Sou Eu?». Memória Globo 
  3. a b c «Obra de Cassiano Gabus Mendes, Que Rei Sou Eu? foi vetada duas vezes pela Globo». Notícias da TV. 14 de fevereiro de 2021. Consultado em 27 de setembro de 2021 
  4. «Novela "Que Rei Sou Eu?" estreia no dia 7 de maio no canal Viva». UOL. 5 de abril de 2012. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  5. «Canal Viva reestréia novela "Que rei sou eu", exibida em 1989». F5. 7 de maio de 2012. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  6. «Novela "Que Rei Sou Eu?", de 1989, é lançada em DVD com tema ainda atual». Hoje em Dia. 24 de dezembro de 2013. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  7. Sousa, Camila (25 de fevereiro de 2022). «Confira o que chega ao catálogo do Globoplay em março». Jovem Nerd. Consultado em 28 de fevereiro de 2022 
  8. Evaldiano de Sousa (7 de junho de 2017). «Trilha Sonora Eterna - Que Rei Sou Eu? (1989)». e10blog. Consultado em 20 de fevereiro de 2022 

Ligações externasEditar