Abrir menu principal

Queirã

freguesia de Vouzela, Portugal
Portugal Portugal Queirã 
  Freguesia  
Igreja Paroquial de Queirã
Igreja Paroquial de Queirã
Localização no concelho de Vouzela
Localização no concelho de Vouzela
Queirã está localizado em: Portugal Continental
Queirã
Localização de Queirã em Portugal
Coordenadas 40° 41' 23" N 8° 03' 08" O
País Portugal Portugal
Concelho VZL.png Vouzela
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Susana Carla Marta do Outeiro (PS)
Área
- Total 24,01 km²
População (2011)
 - Total 1 432
    • Densidade 59,6 hab./km²
Orago Arcanjo São Miguel

Queirã é uma freguesia portuguesa do concelho de Vouzela, com 24,01 km² de área e 1 432 habitantes (2011). A sua densidade populacional é 59,6 hab/km².

Uma das maiores e mais progressivas freguesias de Vouzela, Queirã tem, por limites, a Norte, São Miguel do Mato, Figueiredo das Donas e Fataunços; a Sul, Boa Aldeia e Torredeita; a Nascente, Couto de Cima e Couto de Baixo; e a Poente, Ventosa e Fornelo do Monte.

É atravessada pela EN228, no sentido EW, a partir da Ponte de Ribamá e aí entronca a EN337 que passa por Vasconha rumo à A25 e ao IP3. Outras ligações rodoviárias proporcionam-lhe acesso rápido, a norte.

A altitude média é de 431 metros.

Actualmente é constituída pelos aglomerados populacionais: Queirã, Quintela, Igarei, Carvalhal do Estanho, Bejanca, Carregal, Loumão, Paço, Giesteira e Vasconha.

Está documentado que a fixação do homem, nestas paragens, é muito remota. Segundo o professor Moreira de Figueiredo, a exploração mineira no solo e subsolo de Carvalhal do Estanho, Queirã, Paço e Quintela é pré-romana e posterior. O labirinto de galerias subterrâneas que ingleses e alemães exploraram e espalharam, em profundidades, na extracção de enormíssimas quantidades industriais de estanho e volfrâmio, designadamente aquando da Primeira e Segunda Guerra Mundial, têm uma origem milenária.

Esta riquíssima região mineira foi servida pela estrada romana, integrada na extensa malha viária do Império Romano, que, de Viseu, seguia pela Serra do Castro, Silgueiros, Carvalhal do Estanho, Figueiredo das Donas, Ponte Pedrinha, Fataunços e Vouzela, entroncando, aqui, com outra também vinda de Viseu, passando por São Pedro do Sul, em direcção a Águeda, ligando à que vinha de Olissipo, Conímbriga, Cale, dirigindo-se à Bracara Augusta. Troços disseminados, um ou outro preservado, documentam o traçado viário. É de acrescentar que historiadores e investigadores depararam, aqui, também, com indícios da cultura castreja.

É de referir que foram encontrados diversos documentos históricos da ocupação de Roma, tais como peças de cerâmica, sepulturas e outros vestígios. Na Enciclopédia Luso-Brasileira pode ler-se que, em 1134, a "Vila" reguenga de Queirã foi doada por D. Afonso Henriques a Paio Veroiz. As Inquirições de D. Afonso III, de 1258, fazem menção de que Queirã era toda reguenga, isto é, os bens imóveis existentes eram pertença do rei.

Também rezam que, em meados do século XIII, agregava sete vilas rústicas, assim denominadas: Carregal, Carvalhal, Igarei, Loumão, Queirã, Quintela e Vasconha. Com outras paróquias, a seu tempo, contribuiu para a formação da Terra ou Julgado de Lafões, sendo 1852, a data em que passou a fazer parte do concelho de Vouzela.

Constata-se que a juventude, principalmente a masculina, está a fixar-se nesta sua terra, não só os que aqui trabalham mas também os que se empregam em Vouzela, Viseu e em outras localidades.

É seu padroeiro o Arcanjo São Miguel (como Campia, São Miguel do Mato e, em tempos recuados, também Fataunços).

Índice

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Queirã [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 927 1 847 1 709 1 793 1 713 1 842 2 042 2 229 2 280 2 096 1 691 1 656 1 690 1 702 1 432

Património culturalEditar

Festas Feiras e RomariasEditar

 
Minas da Bejanca.

Património históricoEditar

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes

Ligações externasEditar