Quijingue

município do Estado da Bahia, Brasil

Quijingue é um município no interior do estado da Bahia, localizado na região nordeste do país. Com uma área de aproximadamente 1.380,798 km², o município integra a microrregiões de Euclides da Cunha.[9]

Quijingue
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Quijingue
Bandeira
Brasão de armas de Quijingue
Brasão de armas
Hino
Gentílico quijinguense [1]
Localização
Localização de Quijingue na Bahia
Localização de Quijingue na Bahia
Localização de Quijingue na Bahia
Quijingue está localizado em: Brasil
Quijingue
Localização de Quijingue no Brasil
Mapa
Mapa de Quijingue
Coordenadas 10° 45' 10" S 39° 12' 36" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Euclides de Cunha, Tucano, Cansanção, Araci, Monte Santo e Banzaê
Distância até a capital 322 km
História
Fundação 3 de julho de 1917 (106 anos)
Emancipação 15 de março de 1962 (62 anos)
Administração
Prefeito(a) Weligton Cavalcante de Gois - "Nininho Gois" (PL, 2021 – 2024)
Vereadores 11 [2]
Características geográficas
Área total IBGE/2022[3] 1 380,798 km²
 • Área urbana  IBGE/2019[4] 5,77 km²
População total (Censo de 2022) [5] 25 272 hab.
 • Posição (BA: 117º· (NE: 433°· (BR: 1337º) (2022)[6]
Densidade 18,3 hab./km²
Clima Semiárido (Sertão)
Altitude 347 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 48830-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,544 baixo
PIB (IBGE/2020[8]) R$ 210 500,99 mil
 • Posição (BA: 180º· (BR: 2836°)
PIB per capita (IBGE/2020[8]) R$ 7 619,67
Sítio quijingue.ba.gov.br (Prefeitura)
cmquijingue.ba.gov.br (Câmara)

Em 1984, o município também atraiu olhares da comunidade científica devido à queda de um meteorito de 59 kg na Fazenda Lagoa do Braz em 1984. Considerado um verdadeiro patrimônio, atualmente uma fatia do aerólito está localizada no Museu Geológico da Bahia [10] e outras instituições nacionais e internacionais, sendo o único exemplar do tipo Palasito encontrado no Brasil. Além disso, em 2009, houve o primeiro registro fóssil do município pelo Grupo de Estudos Paleovertebrados (GEP).[11]

Etimologia

editar

Há duas versões sobre a origem do nome Quijingue. Alguns afirmam que vem de um termo indígena que significa “mata fechada”, enquanto Ramos (2008, p. 400) afirma que vem de um tambor africano, usado nas danças de batuque.[12][13]

História

editar

A cidade começou como uma povoação denominada “Fazenda Onça” na segunda metade do século XIX, em torno da fazenda Lagoa Grande. A área ganhou um grande fluxo de pessoas devido a festa de São João atraindo os moradores locais e dos arredores, permitindo o crescimento da localidade.[14]

Em 1890, com a passagem de Antônio Conselheiro, ela passou a chamar-se Triunfo e através da Lei Municipal nº.11 se tornou oficialmente distrito do município de Tucano em 30 de abril de 1917. Posteriormente foi elevado à categoria de município com nome de Quijingue, nome dado originalmente ao rio que banha a cidade, pela Lei Estadual em 15 de março de 1962.[13]

Por meio da Lei estadual nº 4040, de 14 de maio de 1982, o povoado de Algodões, pertencente a Quijingue, foi elevado à categoria de distrito, dentro do mesmo município.[15]

Geografia

editar

Quijingue situa-se na sub-região do sertão, nos hemisférios sul e ocidental. Apresenta clima semiárido e está situado totalmente no bioma Caatinga, classificando o município como pertencente ao Território do Sisal[16]. Geologicamente, o município está situado no Cráton do São Francisco, com rochas compostas principalmente de anfíbola hornblenda do Complexo Santa Luz com idades entre 2954 e 3152 milhões de anos, ressaltando a importância da área como um testemunho da formação dos primeiros continentes do planeta.[11]

Demografia

editar

Em 2022, a população de Quijingue, segundo o censo, era de 25.272 habitantes.[17]

Economia

editar

A agricultura familiar é a principal fonte de renda da região. A produção é voltada à agricultura de subsistência, à criação de pequenos animais como cabras, ovelhas e galinhas, apicultura e ao cultivo da pasta e palma, para alimentar os animais nas épocas de seca, entre outras. Em períodos mais chuvosos, há uma variedade maior de culturas como feijão e milho. Mesmo em períodos curtos, a chuva, possibilita também a produção de frutas como o caju, a manga e a pinha, além do extrativismo do umbu e do licuri.[18]

Infraestrutura

editar

Ao todo, o município tem 43 estabelecimentos de ensino fundamental e 2 de nível médio. [19]

Localidades e povoados

editar

Quijingue é um município com 1 distrito e diversas localidades e povoados. Abaixo, alguns deles:

  • Algodões (sede do distrito). O nome do povoado, que é sede do distrito de mesmo nome, é devido a uma plantação de algodão na casa de um antigo morador. Sua principal atividade econômica é o cultivo de cereais (feijão e milho), através da agricultura familiar. Dentre os festejos regionais, destaca-se a festa do seu santo padroeiro São Sebastião, que acontece sempre de 11 a 20 de janeiro, sendo o dia 20 o dia principal da festa religiosa, dia de São Sebastião. A festa profana acontece no próximo final de semana após a festa religiosa, e apesar de ser um distrito pequeno, já recebeu cantores e bandas como Calcinha Preta, Bonde do Brasil, Caviar com Rapadura, Edcity, Adelmo Casé, Samyra Show, Arreio de Ouro, Desejo de Menina, Igor Kannário, Psirico, Devinho Novais, Gatinha Manhosa e Tayrone.

Além desse, há outros povoados:

  • Boa Vista Meio
  • Boa Vista do Zézé
  • Capim Grosso
  • Capoeira
  • Claricé
  • Jurema
  • Lagoa da Barra
  • Lagoa da Caraíba
  • Lagoa da Ema
  • Lagoa do Fechado
  • Lagoa do Garrote
  • Lagoa do Junco
  • Lagoa do Olímpio
  • Lagoinha das Pedras
  • Lagoinha dos Cágados
  • Lavarinto
  • Maceté
  • Malhadinha
  • Ouricuri
  • Poço da Pedra
  • Poço Dantas
  • Poço Novo
  • Rio Grande
  • Sitio Salgado
  • Salgadinho
  • Sobara
  • Serra Branca
  • Serrote do Meio
  • Tanque do Rumo
  • Terra Branca
  • Lagoa da Pedra
  • Renascer
  • Tabua (local de nascimento do Luva de Pedreiro)[20]
  • Serrinha da Reforma Agrária
  • Lagoa do Cru
  • Lagoa do Mato
  • Casabu
  • Aroeira
  • Rio Vermelho
  • Queimada dos Crentes
  • Tatu
  • Lagoa do Capim Grosso
  • Pascoal
  • Zé do Beto
  • Lagoinha das Pedras
  • Riacho do Claricé
  • Poço da Pedra
  • Quijingue Velho
  • Muriçoca
  • Lagoa do Junco
  • Serrinha dos Crentes
  • Boqueirão
  • Ouricuri
  • Baraúnas
  • Araticum
  • Pedrento
  • Baixa da Luva
  • Sítio
  • Alto
  • Monte Cruzeiro
  • Lagoa do Ouricuri
  • Poço do Cavalo
  • Pedra D’água
  • Lagoa da Caraíba
  • Malhadinha
  • Santa Rita
  • Lagoa Vermelha
  • Lagoa Grande
  • Saco do Cedro
  • Inveja

Quijinguenses notáveis

editar

Em 2022, a cidade ganhou atenção nas redes sociais devido à popularidade do influenciador Iran de Santana Neves, mais conhecido como Luvas de Pedreiro, natural do povoado de Tabua, em Quijingue.[21]

Ver também

editar

Referências

  1. «Cidades e Estados». IBGE. Consultado em 18 de outubro de 2023 
  2. «Prefeito e vereadores de Quijingue tomam posse; veja lista de eleitos». g1. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  3. «Cidades e Estados». IBGE. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Meio Ambiente». Consultado em 19 de outubro de 2023 
  5. «Cidades e Estados». IBGE. 28 de junho de 2023. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  6. «População de Quijingue (BA) é de 25.272 pessoas, aponta o Censo do IBGE». g1. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  7. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 24 de agosto de 2013 
  8. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de outubro de 2023 
  9. «Quijingue (BA) | Cidades e Estados | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 27 de maio de 2024 
  10. «Museu» 
  11. a b «ResearchGATE». SciVee. 13 de janeiro de 2009. Consultado em 9 de junho de 2024 
  12. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :0
  13. a b Ramos, Ricardo Tupiniquim (2008). Toponímia dos municípios baianos: descrição, história e mudanças (PDF) (Tese de doutorado). Salvador: UFBA. p. 400. Cópia arquivada (PDF) em 3 de outubro de 2023 
  14. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/quijingue/historico. Consultado em 9 de junho de 2024  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  15. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :3
  16. Silva, Filipe Prado Macedo da (2016). «O Território do Sisal». http://www.ipea.gov.br. Consultado em 27 de maio de 2024 
  17. «Quijingue (BA) | Cidades e Estados | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 10 de junho de 2024 
  18. CAPDEVILA, Sofía Reyna. «REDE DE MULHERES PRODUTORAS DE QUIJINGUE- BA: FOMENTANDO A ECONOMIA SOLIDÁRIA E FEMINISTA COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL». www.bing.com. Consultado em 10 de junho de 2024 
  19. «Quijingue (BA) | Cidades e Estados | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 10 de junho de 2024 
  20. «Sucesso nas redes sociais, Luva de Pedreiro é contratado pela Amazon Prime». Revista Exame. 10 de abril de 2022. Consultado em 10 de outubro de 2023 
  21. iBahia (13 de abril de 2022). «Conheça Quijingue, cidade de Luva de Pedreiro e de meteorito raro». iBahia. Consultado em 10 de junho de 2024 

Ligações externas

editar
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Quijingue