Abrir menu principal
RTP3
Tipo Rede de televisão pública
País Portugal Portugal
Fundação 15 de outubro de 2001 (18 anos)
por RTP
Pertence a Rádio e Televisão de Portugal
Presidente Gonçalo Reis
Formato de vídeo 16:9 SDTV
Canais irmãos RTP1
RTP2
RTP Memória
RTP Açores
RTP Madeira
RTP África
RTP Internacional
RTP1 HD
Cobertura Portugal Portugal
Nome(s) anterior(es) NTV (2001-2004)
RTPN (2004-2011)
RTP Informação (2011-2015)
Página oficial http://rtp.pt/rtp3
Disponibilidade aberta e gratuita
TDT
6
Disponibilidade por satélite
MEO
6
NOS
6
Disponibilidade por cabo
MEO
6
NOS
6
NOWO
6
Vodafone
6

A RTP3 é um canal informativo da RTP – Rádio e Televisão de Portugal. Foi o primeiro canal de televisão temático do grupo de media público, tendo iniciado as suas emissões a 31 de maio de 2004, com o nome RTPN, passando em 2011 à designação RTP Informação. Possui a atual designação desde 5 de outubro de 2015. O embrião da RTP3 foi a NTV, criada a 15 de outubro de 2001 e com emissão a partir do Porto.

Trata-se de um canal de informação, dirigido à totalidade do território português (a Portugal Continental, ao arquipélago da Madeira e ao arquipélago dos Açores).

Desde o início das suas emissões até 31 de novembro de 2016, o canal apenas esteve disponível em plataformas pagas de cabo e satélite. A partir de 1 de dezembro de 2016, a RTP3 passou a estar disponível também em sinal aberto, na TDT.

Para além de Portugal, a RTP3 é disponibilizada na Espanha, na França, na Alemanha, na Holanda, no Luxemburgo e na Suíça.[1]

HistóriaEditar

2001 - 2004: NTVEditar

A NTV foi o segundo canal português com foco regional da televisão por cabo, tendo sido vocacionado para a região norte do país e sendo produzido a partir do Porto. Foi criada a partir de uma joint venture entre a PT Multimédia, a Lusomundo e a Radiotelevisão Portuguesa. As suas emissões iniciaram-se a 15 de outubro de 2001, assumindo-se como um canal de informação nas suas mais diferentes áreas.

2004 - 2011: RTPNEditar

Depois da compra da NTV (Porto TV, Informação e Multimédia S.A.) pela RTP em 2002, nasce a 31 de maio de 2004 o primeiro canal temático da RTP. A RTPN estreou programação própria de 24 horas por dia a 29 de setembro de 2008. Até então, a RTPN transmitia a emissão da Euronews durante a manhã. A partir de meados de 2009, a RTPN passou a estar disponível fora de Portugal, através dos operadores de TV cabo em Angola e Moçambique.

2011 - 2015: RTP InformaçãoEditar

A partir de 19 de setembro de 2011, a RTPN foi relançada como RTP Informação. Segundo o então Diretor de Informação da RTP, Nuno Santos, em entrevista em maio do mesmo ano, os planos da estação pública eram que o canal noticioso da Rádio e Televisão de Portugal se tornasse na marca de informação mais forte em Portugal na televisão por cabo "até ao final de 2012" (o que não veio a verificar-se, ficando o canal sempre atrás da SIC Notícias).[2]

2016 - presente: RTP3 e entrada na TDTEditar

A 10 de julho de 2015, o diretor de informação da RTP, Paulo Dentinho, anunciou que o canal informativo da estação pública iria mudar de nome.[3] A 15 de setembro de 2015, foi confirmado por Daniel Deusdado, diretor de programas da RTP, que a RTP3 arrancaria a 5 de outubro de 2015, estreando uma nova identidade e imagem,[4] o que se veio a confirmar.

A 23 de junho de 2016, o governo português aprovou o alargamento da TDT para 4 novos canais. Até agora, apensa dois desses 4 espaços de emissão foram alargados, sendo ambos ocupados por canais da RTP, a RTP3 e a RTP Memória, que à meia-noite do dia 1 de dezembro de 2016 passaram, tal como previsto, a emitir na 6ª e 7ª posição da TDT, respetivamente.[5] Foi acordado que a RTP3 e a RTP Memória, ao entrarem na TDT, não poderiam ter publicidade. Desse modo não prejudicariam comercialmente os canais privados (SIC e TVI). Embora nas plataformas de TV paga os dois canais temáticos da RTP continuem com publicidade, na TDT os espaços publicitários são substituídos por divulgação cultural.

Perfil do canalEditar

A informação ocupa a maior parte do espaço da grelha, tendo a informação regional uma forte presença. Para além dos espaços noticiosos, a RTP3 transmite magazines e debates informativos sobre questões da atualidade, dando a conhecer protagonistas menos mediatizados e representativos do todo nacional. Quantos aos programas, pretendem ser baseados na descoberta e no conhecimento, sendo dedicado a um público mais exigente e numa linha jovem de entretenimento com enfoque na sociedade e no desporto.

Evolução do logótipoEditar

Sistema de classificação

A RTP, a SIC a e TVI utilizam uma sinalização de emissão que foi criada a 20/02/2012, visando proporcionar aos consumidores de televisão um guia de escolha de programação adequada à sua idade e, aos educadores, uma orientação sobre o visionamento de programas. A presente versão do documento está em vigor desde 1 de julho de 2014. [6]

  Nível 1 - TODOS | Programas destinados a todos os públicos.   Nível 2 - 10AP | Programas destinados a espectadores com 10 ou mais anos de idade, sendo recomendável o aconselhamento por parte dos pais em caso de assistência por espectadores com menos de 10 anos de idade.   Nível 3 - 12AP | Programas destinados a espectadores com 12 ou mais anos de idade, sendo recomendável o aconselhamento por parte dos pais em caso de assistência por espectadores com menos de 12 anos de idade.   Nível 4 - 16 | Programas destinados a espectadores com 16 ou mais anos de idade. O conteúdo destes programas pode revelar-se suscetível de influir de modo negativo na formação da personalidade de crianças e adolescentes.


Referências

  1. Pereira, João (9 de julho de 2017). «RTP3 chega a França em pacote lusófono». A Televisão. Consultado em 9 de julho de 2017 
  2. RTPN muda de nome e imagem
  3. «Adeus RTP Informação. Olá RTP3». Consultado em 10 de julho de 2015. Arquivado do original em 14 de julho de 2015 
  4. «RTP Informação acaba em outubro. Vem aí a RTP3» 
  5. «RTP 3 e RTP Memória na TDT». RTP. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  6. RTP; SIC. «Nova Sinalização de Emissão» (PDF). Consultado em 6 de Setembro de 2018 

Ligações externasEditar