Abrir menu principal

Raimundo Batista Aragão

Raimundo Batista Aragão
Nome nativo Raimundo Batista Aragão
Nascimento 31 de agosto de 1921
Viçosa do Ceará
Morte 15 de janeiro de 2003 (81 anos)
Fortaleza
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista, escritor, político

Raimundo Batista Aragão (Viçosa do Ceará, 31 de agosto de 1921Fortaleza, 15 de janeiro de 2003) foi um historiador, escritor e jornalista brasileiro.[1][2]

BiografiaEditar

Nasceu no sítio Riacho d’Areia - zona rural - distrito de General Tibúrcio. Filho de: Florência Batista de Aragão e José Aragão Filho Exerceu diversos cargos públicos, além de ter sido eleito vereador em Sobral, na década de 1940. Fundou em 1991 a Barraca do Escritor Cearense, hoje pertencente à Fundação Demócrito Rocha.[3]

Maçom, foi fundador das lojas Néctar e Luz e União. Foi presidente da Associação Cearense de Jornalistas do Interior (Aceji).[4] Fundou a Cooperativa dos Escritores Cearenses e o Sindicato dos Correspondentes de Jornais e Revistas do Interior.

Era cronista do jornal Correio do Ceará.

ObraEditar

Escreveu 33 livros, entre os quais se destacam:

  • Barnabé (crônicas),
  • Pedra Verde,
  • Bravos da Missão,
  • Escravidão e Abolicionismo,
  • Maçonaria no Ceará: Raízes e Evolução,
  • Sombras do Asfalto (romances),
  • Violência e Terrorismo (ensaio),
  • Um casal de férias (contos),
  • História do Ceará em 05 volumes.[5]

Referências

  1. Raimundo Batista Aragão. O Nordeste.com - Enciclopédia Nordeste
  2. Portal da História do Ceará
  3. Portal da História do Ceará
  4. Sobre a ACEJI. Associação Cearense de Jornalistas do Interior
  5. Panorama do Conto Cearense - Parte III Arquivado em 3 de janeiro de 2015, no Wayback Machine.. Portal Cronópios, 27 de maio de 2006

Ligações externasEditar