Rainha-viúva

(Redirecionado de Rainha viúva)

Uma rainha-viúva é um título ou status geralmente detido pela viúva de um rei.[1] Seu significado completo fica claro nas duas palavras que o compõem: rainha indica alguém que serviu como rainha consorte (ou seja, esposa de um rei), enquanto viúva indica uma mulher que detém o título de seu falecido marido (uma rainha que governa em seu próprio direito em vez de devido ao casamento com um rei é uma rainha reinante). Uma rainha-mãe é uma ex-rainha, muitas vezes uma rainha-viúva, que é a mãe do monarca reinante. Em um império, usa-se o título de imperatriz-viúva,[2] assim como num principado, que denomina-se princesa-viúva.

Atualmente existem quatro rainhas-viúvas: Kesang Choden do Butão (que é a única rainha-avó viva em todo o mundo)[3], Norodom Monineath do Camboja (que também é rainha-mãe)[4], Lisa Najeeb Halaby (Noor Al'Hussein) da Jordânia[5] e Sirikit da Tailândia (que também é rainha-mãe).[6] A rainha Ratna do Nepal era rainha-viúva até a abolição da monarquia nepalesa em 2008.

História

editar

Uma rainha-viúva tem uma importante posição real (seja ou não a mãe do soberano reinante), mas normalmente não tem nenhum direito de suceder um rei como monarca após sua morte, a menos que ela seja a próxima na linha de sucessão ao trono (uma possibilidade seria se o rei e a rainha também fossem primos e sem filhos, o rei não tivesse outros irmãos e ela em sua outra posição como prima dele também fosse sua herdeira presuntiva).

A rainha-viúva continua a desfrutar do título, estilo e precedência de uma rainha consorte, mas não é mais chamada simplesmente de rainha. Um novo rei reinante teria (na ascensão ou eventualmente) uma esposa que seria a nova rainha consorte e, portanto, a rainha; e, claro, uma rainha reinante também seria chamada de rainha. Muitas ex-rainhas consortes não usam formalmente a palavra "viúva" como parte de seus títulos. Pode haver mais de uma rainha-viúva a qualquer momento. O Rei de Armas principal da Jarreteira na proclamação dos estilos e títulos da rainha Isabel, a rainha-mãe em seu funeral em 9 de abril de 2002 ilustra seu duplo status como rainha viúva e rainha mãe:

Assim, aprouve a Deus Todo-Poderoso para tirar desta vida transitória à Sua Divina Misericórdia a falecida Altíssima, Mais Poderosa e a Mais Excelente princesa Isabel, a rainha-viúva e rainha-mãe, Senhora da Mais Nobre Ordem da Jarreteira, Senhora da Mais Antiga e Nobre Ordem do Cardo-Selvagem, Senhora da Ordem Imperial da Coroa da Índia, Grã-Mestre e Dama da Grande Cruz da Real Ordem Vitoriana sobre quem havia sido conferida a Premiação da Ordem Vitoriana, Dama da Grande Cruz da Mais Excelente Ordem do Império Britânico, Dama da Grande Cruz da Venerável Ordem do Hospital de São João, viúva de Sua Majestade o Rei Jorge VI e Mãe de Sua Majestade Mais Excelente Isabel II, pela Graça de Deus Rainha do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte e de seus outros Reinos e Territórios, Chefe da Comunidade Britânica, Defensora da Fé, soberana da mais nobre Ordem da Jarreteira, a quem Deus pode preservar e abençoar com uma longa vida, a saúde e a honra e toda a felicidade do mundo.

Distinção da rainha-mãe

editar
 
Isabel, a rainha-viúva e rainha-mãe do Reino Unido.

Uma rainha-mãe é uma ex-rainha consorte, muitas vezes uma rainha-viúva, que é a mãe do atual monarca. Nem todas as rainhas-viúvas são rainhas-mães; elas podem ter uma relação que não seja mãe do monarca reinante, como tia ou avó. Por exemplo, Maria da Escócia, era rainha-viúva da França após a morte de seu marido Francisco II, de quem ela não teve filhos.[7] Da mesma forma, Adelaide de Saxe-Meiningen tornou-se rainha-viúva depois que seu marido Guilherme IV foi sucedido por sua sobrinha Vitória.[8][9]

Nem toda mãe de um monarca reinante é a rainha-mãe ou uma rainha-viúva. Um desses casos é o da duquesa Vitória de Saxe-Coburgo-Saalfeld, mãe da rainha Vitória do Reino Unido, que não foi rainha-viúva e nem rainha-mãe, porque seu marido Eduardo, Duque de Kent e Strathearn, nunca havia sido rei. Da mesma forma, embora fossem mães de monarcas, Augusta de Saxe-Gota e Srinagarindra da Tailândia não foram denominadas rainhas-viúvas porque seus respectivos maridos, Frederico, Príncipe de Gales e Mahidol Adulyadej, Príncipe de Songkhla, nunca foram reis. Em vez disso, Augusta detinha o título de Princesa-viúva de Gales[10] (um precedente foi a mãe de Henrique VII da Inglaterra, Lady Margarida Beaufort, intitulada "Minha Senhora, a Mãe do Rei")[11]; Srinagarindra, entretanto, recebeu o título de Princesa-mãe.[12]

Como há apenas um monarca, só pode haver uma rainha-mãe. É possível que haja uma rainha-mãe e uma ou mais rainhas-viúvas vivas a qualquer momento. Esta situação ocorreu nos reinos da Commonwealth no período entre a ascensão da rainha Isabel II em 6 de fevereiro de 1952 e a morte de sua avó paterna em 24 de março de 1953. Por pouco mais de um ano, três rainhas estavam vivas:

  • Rainha Isabel II, a monarca reinante (rainha reinante);
  • Rainha Isabel, a rainha-mãe, a viúva do falecido rei Jorge VI e a mãe da rainha reinante. A rainha Isabel, a ex-rainha consorte, adotou especificamente a denominação de rainha-mãe para se distinguir de sua filha, a rainha Isabel II. Ela supostamente detestava ser chamada de rainha-viúva e sentiu que haveria confusão se ela fosse conhecida simplesmente por seu nome, como haviam sido suas duas predecessoras imediatas, a rainha Maria e a rainha Alexandra;
  • Rainha Maria, viúva do rei Jorge V, mãe do ex-rei Eduardo VIII (o então duque de Windsor) e do falecido rei Jorge VI. A rainha Maria foi a rainha-mãe desde a morte de seu marido em 1936 até a ascensão de sua neta, a rainha Isabel II, em 1952. Ela continuou a ser intitulada e denominada Sua Majestade, a Rainha Maria.

Rainhas-viúvas e imperatrizes-viúvas

editar

Houve várias ex-rainhas consortes que nunca foram rainhas-mães. As seguintes rainhas eram viúvas entre as datas indicadas, sejam rainhas-mães ou não:

Europa

editar

Inglaterra

editar

Inglaterra e Irlanda

editar

Escócia

editar

Inglaterra, Irlanda e Escócia

editar

Reino Unido

editar
 
Amélia de Leuchtenberg, imperatriz-viúva do Brasil.
  • Adelaide de Saxe-Meiningen: 20 de junho de 1837 a 2 de dezembro de 1849, esposa de Guilherme IV.
  • Alexandra da Dinamarca: 6 de maio de 1910 a 20 de novembro de 1925, esposa de Eduardo VII, rainha-mãe de Jorge V.
  • Maria de Teck: 20 de janeiro de 1936 a 24 de março de 1953, esposa de Jorge V, rainha-mãe de Eduardo VIII do Reino Unido e Jorge VI do Reino Unido até a morte deste último em 6 de fevereiro de 1952.
  • Isabel Bowes-Lyon: 6 de fevereiro de 1952 a 30 de março de 2002, esposa de Jorge VI e rainha-mãe de Isabel II - denominada Rainha Isabel, a rainha-mãe.

Ásia Ocidental

editar

Jordânia

editar

América do Sul

editar

Brasil

editar

Ver também

editar

Referências

  1. Susan (11 de dezembro de 2018). «Four of a Kind: Queen Consort, Queen Dowager, Queen Mother, Queen Regnant». Unofficial Royalty (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  2. Pathé, British. «Royalty: Funeral Of The Dowager Empress Of Russia». www.britishpathe.com (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  3. «What makes Kalimpong a Royal Affair – Elgin Hotels & Resorts | Luxury Boutique Heritage Hotels in India – Darjeeling, Kalimpong, Gangtok, Pelling, Kolkata and Scotland, UK – Inverurie» (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  4. «Biography of Queen Mother Norodom Monineath Sihanouk - Khmer Times» (em inglês). 17 de junho de 2021. Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  5. Arab, The New (18 de junho de 2019). «Jordan's Queen Noor expresses sadness over Morsi's death». https://www.newarab.com/ (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  6. «AU Celebration of H.M. Queen Sirikit The Queen Mother's Birthday - Assumption University of Thailand». www.au.edu. Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  7. Ridgway, Author: Claire (25 de junho de 2022). «June 25 - Death of Mary Tudor, Dowager Queen of France and Henry VIII's sister - The Tudor Society». www.tudorsociety.com (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  8. «To her most Gracious Majesty Adelaide, the Queen Dowager, this map of Adelaide, South Australia, shewing the nature and extent of every building of the city, as surveyed and laid down by G.S. Kingston, Esqre. is by special permission dedicated by Her Majesty's very obedient servants, George S. Kingston & Edward Stephens, the proprietors, through their agents, Edward J. Wheeler & Co., London [cartographic material]». Trove (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  9. «Franz Xaver Winterhalter (1805-73) - Adelaide, Queen Dowager, October 1849.». www.rct.uk (em inglês). Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  10. Her Royal Highness AUGUSTA Princess Dowager of WALES. (em English). [S.l.: s.n.] 
  11. «Margaret Beaufort 'My Lady the King's Mother' - Centre for Lifelong Learning, University of York». www.york.ac.uk. Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  12. «» The Princess of Humanity». thaiembdc.org. Consultado em 15 de dezembro de 2022