Ralf van Bühren

professor académico alemão

Ralf van Bühren (nascido em 3 de fevereiro de 1962) é um historiador de arte alemão, teólogo e historiador da Igreja, que leciona na Pontifícia Universidade de Santa Cruz, em Roma. Suas publicações se especializam na História da Arte Cristã e Arquitetura em geral, bem como na retórica e comunicação visual da arte moderna, no espaço litúrgico após o Concílio de Trento e o Concílio Vaticano II, no Turismo Religioso e sobre a preocupação pastoral dos artistas contemporâneos em particular.

Ralf van Bühren
Nascimento 3 de fevereiro de 1962
Bad Kreuznach
Cidadania Alemanha
Alma mater
Ocupação historiador da arte, historiador da religião, historiador, editor literário, professor universitário
Empregador Pontifícia Universidade da Santa Cruz
Religião Igreja Católica

Carreira e trabalho acadêmicoEditar

Van Bühren nasceu em Bad Kreuznach. No Max-Planck-Gymnasium em Trier, ele terminou o ensino médio em 1982. Entre 1984 e 1991, van Bühren estudou História da Arte na Universidade de Trier e na Universidade Ludwig Maximilian de Munique. Em Munique, em 1988, ele se converteu à Igreja Católica Romana.[1]

Em 1994, ele recebeu um doutorado em história da arte na Universidade de Colônia. A dissertação foi publicada em 1998 como As obras de misericórdia na arte dos séculos XII-XVIII. Mudanças iconográficas causadas pela recepção moderna da retórica. Explica a teoria da arte e a retórica como origens de um modo de representação persuasivo no início da arte moderna.[2]

Entre 1992 e 1995, van Bühren trabalhou como assistente pedagógico no Museumsdienst Köln[3] no Museu Wallraf-Richartz e no Museu Ludwig em Colônia, no serviço de processamento de dados do Bildarchiv Foto Marburg, e como colaborador freelancer no Domforum Köln no Catedral de Colônia e as igrejas românicas de Colônia.

Em 2006, van Bühren recebeu o doutorado em Teologia na Pontifícia Universidade da Santa Cruz, em Roma. A dissertação que ele publicou em 2008 na série Konziliengeschichte[4] (editada por Walter Brandmüller) como Arte e Igreja no século XX. A recepção do Concílio Vaticano II. O prólogo foi escrito por Friedhelm Hofmann, bispo de Wurtzburgo e, na época, membro da Pontifícia Comissão para os Bens Culturais da Igreja, bem como da Comissão de Ciência e Cultura da Conferência Episcopal Alemã.

Desde 2006, van Bühren ensina História da Arte como Professor Associado da Pontifícia Universidade da Santa Cruz, em Roma. O foco de sua pesquisa e de suas palestras na Escola de Comunicações da Igreja é em Arte e Arquitetura como Meios de Comunicação, na Escola de Teologia em Arte Litúrgica da Antiguidade à História Atual e Cristã. Em muitas universidades, essas disciplinas não se classificam entre os cursos exigidos no programa de ensino dos estudos de teologia católica, embora o Concílio Vaticano II tenha reivindicado a consideração da arte.[5] A Universidade de Santa Croce tenta combater esse déficit dentro da educação teológica atual.[6]

Em 1 de julho de 2014, van Bühren foi nomeado consultor do Pontifício Conselho da Cultura.[7]

Desde 2014, ele é membro do Conselho Editorial da revista Church, Communication and Culture, editada pela Escola de Comunicações de Santa Cruz e publicada pela Routledge (Taylor & Francis Group). Recentemente, os estudos de comunicação de van Bühren explicam a importância da história da arte para o turismo religioso, o jornalismo cultural, os correspondentes religiosos e as relações com a mídia da Igreja.[8]

Suas palestras atuais incluem cursos de Christian Art and Architecture in Rome. From Antiquity to the Present (em inglês), aberto a estudantes de outras universidades internacionais.[9] Esses cursos intercalam sessões em sala de aula com visitas ao local.

Bibliografia parcialEditar

  • Tourism, Religious Identity and Cultural Heritage, edição especial editada em conjunto com Lorenzo Cantoni e Silvia De Ascaniis, em Church, Communication and Culture 3 (2018), pág. 195-418
  • Caravaggio’s ‘Seven Works of Mercy’ in Naples. The relevance of art history to cultural journalism, em Church, Communication and Culture 2 (2017), pág. 63-87
  • Contemporary Popes and Artists. Paradigms of Communication after the Second Vatican Council (1962−1965), em: Comunicação da Igreja. Faces, People, Stories. Proceedings of the 8th Professional Seminar for Church Communications Offices, de 16 a 18 de abril de 2012 na Pontifícia Universidade de Santa Cruz, em Roma, editado por Alfonso Bailly-Baillière e Jorge Milàn Fitera, Roma 2014, pág. 227–234 - Download do texto completo (arquivo PDF)
  • Los Papas y los artistas modernos. La renovación de la actividad pastoral con los artistas después del Concilio Vaticano II (1962 a 1965), San José (Costa Rica): Ediciones Promesa 2012, ISBN 978-9968-41-216-2, resumo em inglês
  • Papst Benedikt XVI. im Dialog mit Künstlern. Zur pastoralen Bedeutung des Künstlertreffens in der Sixtinischen Kapelle alt 21. November 2009 im Kontext der modernen Kirchengeschichte, em: Annales theologici 25, 2011, pág. 305–315 - Download do texto completo (arquivo PDF)
  • Moderner Kirchenbau als Bedeutungsarchitektur. Die Lichtkonzeption Dominikus Böhms (1880–1955) als Ausdruck einer mystagogischen Raumidee, em: »Liturgie als Bauherr«? Moderne Sakralarchitektur und ihre Ausstattung zwischen Funktion und Form, ed. por Hans Körner e Jürgen Wiener, Essen: Klartext Verlag 2010, pág. 241-256, ISBN 978-3-8375-0356-2
  • Spiritualität des Irdischen. Die weltanschauliche Botschaft im Werk von Joseph Beuys (1921–1986), em: Sakralität und Moderne, ed. por Hanna-Barbara Gerl-Falkovitz, Dorfen (Munique): Hawel Verlag 2010, pp.   197-230, ISBN 978-3-9810376-5-4
  • Paul VI. und die Kunst. Die Bedeutung des Montini-Pontifikates für die Erneuerung der Künstlerpastoral nach dem Zweiten Vatikanischen Konzil, em: Forum Katholische Theologie 24, 2008, pág. 266-290
  • Kunst und Kirche, 20. Jahrhundert. Die Rezeption des Zweiten Vatikanischen Konzils (Konziliengeschichte, Reihe B: Untersuchungen), Paderborn: Verlag Ferdinand Schöningh 2008, ISBN 978-3-506-76388-4, resumo e comentários em inglês
  • Die Werke der Barmherzigkeit in der Kunst des 12.–18. Jahrhunderts. Zum Wandel eines Bildmotivs vor dem Hintergrund neuzeitlicher Rhetorikrezeption (Studien zur Kunstgeschichte, vol. 115), Hildesheim / Zurique / Nova Iorque: Georg Olms Verlag 1998, ISBN 3-487-10319-2, resumo em inglês

Referências

  1. «Arquivo paroquial da igreja paroquial católica Heilig Blut em Munique-Bogenhausen». Cópia arquivada em 10 de maio de 2011 
  2. O resumo da editora alemã Georg Olms.
  3. «Museumsdienst Köln». Consultado em 20 de fevereiro de 2020 
  4. Lista bibliográfica de todo o projeto Konziliengeschichte ('História dos Conselhos') na página inicial da Universidade de Bamberg e a revista Annuarium Historiae Conciliorum (há também uma breve visão geral do projeto de pesquisa Konziliengeschichte).
  5. Constitution Sacrosanctum Concilium, 4 de dezembro de 1963, no. 129; cf. Karl Lehmann, Die Welt im Spiegel der Kunst als Herausforderung für Kirche und Theologie, em: Religion aus Malerei? Kunst der Gegenwart als theologische Aufgabe, ed. por Reinhard Hoeps, Paderborn 2005, pág. 15-28 (here p. 26); Ralf van Bühren, Kunst und Kirche im 20. Jahrhundert. Die Rezeption des Zweiten Vatikanischen Konzils, Paderborn 2008, pág. 249, 367-372, 526-532.
  6. Bühren, Ralf van (21 de julho de 2011). «Weltkirche und Universalität. Neue Projekte an der Päpstlichen Universität vom Heiligen Kreuz in Rom» (PDF). Cópia arquivada (PDF) em 4 de março de 2016 
  7. «Consultors». www.cultura.va. Consultado em 20 de fevereiro de 2020 
  8. Ralf van Bühren, Caravaggio’s ‘Seven Works of Mercy’ in Naples. The relevance of art history to cultural journalism 2017.
  9. Religious studies at Santa Croce, «site pessoal»  na Pontifícia Universidade Santa Croce, Roma.

Ligações externasEditar