Abrir menu principal
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:

Rede Fuso era o nome dado ao sinal diferenciado da Rede Globo e, consequentemente, atribuído ao sinal de outras emissoras para os estados com fuso horário diferente de Brasília.[1] Criado em 7 de abril de 2008, depois de inúmeras pressões do Ministério da Justiça que pedia para que todas as emissoras cumpram as novas regras do Sistema de Classificação Indicativa Brasileiro (Classind).[2] Esses sinais são gerados a partir da matriz e geradora da Rede Globo no Rio de Janeiro.[3] Após a queda da vinculação horária da classificação indicativa de programas em 2016, e o fim do horário de verão no Brasil a partir de 2019, a Rede Fuso deixou de existir.

AntecedentesEditar

Antes da criação da Rede Fuso, as afiliadas nos estados que têm horário diferente em relação ao horário de Brasília seguiam a rede apenas a partir do meio-dia, horário oficial. Isso devia-se pela necessidade de transmitir o telejornal matinal local em horários plausíveis, e não às madrugadas (o que ocorreria caso essa adaptação feita durante as manhãs de segunda a sexta não existisse).

Em 2007, a programação dessas emissoras era em simultâneo com a rede até o início do Bom Dia Praça, à época levado às 6h30 (às 5h30 em Roraima, Amazonas (exceto o sudoeste do estado), Rondônia, oeste do Pará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul com o fuso UTC-4 e às 4h30 no Acre e sudoeste do Amazonas com o fuso UTC-5); nesse horário, era reapresentado o Telecurso 2000 (levado ao ar originalmente às 5h30 no horário de Brasília (4h30 ou 3h30). Após a reapresentação, era transmitido ao vivo o Bom Dia Brasil às 7h15 (6h15 ou 5h15) e o Bom Dia Praça era transmitido após, às 8h (7h ou 6h), atrasando a grade de programação da rede em 45 minutos. Para que essas emissoras voltassem a ficar em simultâneo com a rede, o Mais Você, Globo Notícia, Sítio do Picapau Amarelo e TV Xuxa, que à época começavam depois do Bom Dia Praça, a partir das 8h45 (7h45 ou 6h45), eram gravados e compactados, para que voltasse à transmissão em rede às 12h15 (11h15 ou 10h15), quando era veiculada a primeira edição do Praça TV.[4] Aos sábados e domingos, a programação era completamente em simultâneo com a rede, sem alterações no início da manhã.[5]

Já durante o horário de verão, o Amapá, leste do Pará, Tocantins e o Nordeste ficavam com uma hora a menos em relação ao horário de Brasília. As afiliadas atuantes nesses estados gravavam a programação da manhã e transmitiam com uma hora de atraso em relação a rede, mas sem alterações na ordem (nesses estados, o Bom Dia Praça era antes, e não depois do Bom Dia Brasil, sendo este último, juntamente com o restante da programação matinal gravados. Para que esses estados seguissem a rede, o TV Xuxa perdia uma hora de duração, indo ao ar a primeira edição do Praça TV às 11h15.[carece de fontes?]

As afiliadas atuantes em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, que mesmo em vigência do horário de verão, continuavam com uma hora a menos em relação a rede, não faziam alterações em sua programação.[4][5] As afiliadas atuantes em Roraima, Amazonas, Rondônia e no oeste do Pará, regiões estas que passavam a ter duas horas a menos em relação à Brasília, adiantavam a sua programação habitual em uma hora, com o Bom Dia Praça começando às 6h, e seguindo a rede a partir das 10h15.[carece de fontes?] As afiliadas atuantes no sudoeste do Amazonas e do Acre, regiões estas que passavam a ter três horas a menos em relação à Brasília, adiantavam a sua programação habitual em uma hora, com o Bom Dia Praça começando às 5h, e seguindo a rede a partir das 9h15.

HistóriaEditar

2008–2009: ImplantaçãoEditar

Em 1º de abril de 2008, a Folha Online e Folha de S. Paulo publicaram a declaração do secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Jr., sobre os horários, que o Ministério da Justiça deu prazo[6] até o dia anterior, através da portaria 1.220/07 (que estabelece a classificação indicativa, com o cumprimento a diferenças de fuso horário no país),[7] para as emissoras se adequarem às novas regras da classificação indicativa respeitando os fusos horários nacionais, sem "hipótese de uma nova prorrogação".[6] No dia 7 de abril de 2008, a portaria entrou em vigor,[7] fazendo com que as emissoras de parte da região Norte, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul designassem a hora local de cada localidade para a definição da faixa etária: um programa para maiores de 12 anos só pode ir ao ar após as 20h; de 14 anos, às 21h; de 16, às 22h; e de 18, às 23h. Já os programas livres a todos os públicos e para maiores de 10 anos poderão ir ao ar a qualquer horário.[7]

Na noite do mesmo dia em que entrou em vigor a portaria, a Central Globo de Comunicação (CGCOM) divulgou nota, na qual anunciou que no dia seguinte, todas as suas afiliadas situadas em sete Estados com fuso horário diferente de Brasília tiveram sua programação atrasada em uma ou duas horas, em relação à programação nacional, denominada Rede Fuso, com a programação diferente da do horário de Brasília, que estava de uma hora à duas horas à frente.[8][9][10] Passou a funcionar de segunda a sábado, com exceção dos domingos, nos quais comumente, toda a programação tem classificação "livre para todos os públicos" ou "não recomendado para menores de 10 anos".[8][10][9]

O jornalístico Bom Dia Praça passou a ser exibido após o Bom Dia Brasil, às 7h; o Globo Esporte indo ao ar após a TV Globinho, às 11h45, o Jornal Hoje após o GE, às 12h15, a primeira edição do Praça TV indo ao ar após o JH às 12h45, o Vídeo Show após a 1ª edição do Praça TV, às 13h15; e a "novela das sete" da época, Beleza Pura, após o Jornal Nacional às 20h. Os jogos do futebol exibidos às quartas-feiras passaram a ser exibidos gravados, já que coincidiam com o horário da "novela das oito"; passou-se a haver um filme depois da novela, no Cinema Especial e, em seguida o compacto da partida sucedido pelo Jornal da Globo.[8][10][9] No Acre, a TV Acre, afiliada da Globo em Rio Branco que nessa época possuía duas horas de atraso em relação à Brasília, teria sua programação pré-gravada e exibida em horário local para as repetidoras no Estado.[8][10][9]

De abril até junho, os jogos de futebol não eram ao vivo nesse sinal. Na época, entrava a "novela das oito" às 21h, por volta das 21h45 entrava o Cinema Especial com um filme, e após, entrava um compacto com os melhores momentos do jogo de futebol do dia. Essa medida gerou muitos protestos e reclamações de telespectadores à época.[carece de fontes?]

Em junho, com a estreia de A Favorita, trama classificada como "não recomendada para menores de doze anos" (esta que sucedia Duas Caras, classificada como "não recomendada para menores de 14 anos"), houve a possibilidade da Rede Globo transmitir os jogos de futebol ao vivo novamente. No entanto, a novela das sete (à época, Beleza Pura) passou a ser a prejudicada, com capítulos que chegavam a 30 minutos e capítulos mais longos com as cenas cortadas nas quintas-feiras e sextas-feiras seguintes.

2010–2011: Alterações no período eleitoralEditar

De 17 de outubro de 2010 a 20 de fevereiro de 2011, as emissoras da Região Nordeste e os Estados do Amapá, Pará (por completo, já que em 2008 o oeste do Estado passa a adotar o mesmo horário de Brasília) e Tocantins passam a integrar a Rede Fuso, por conta da vigência do Horário Brasileiro de Verão no Centro-Sul do Brasil nesse período.

No período de 17 de agosto a 30 de setembro de 2010 e de 8 de outubro a 29 de outubro de 2010, períodos da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão relativas aos 1º e 2º turnos das eleições, o canal suspendeu as transmissões da Rede Fuso em todo o território nacional, fazendo com que os estados que têm uma hora a menos em relação à Brasília assistissem à programação em tempo real. Com a vigência do horário brasileiro de verão em 17 de outubro, pelo menos para os municípios com uma hora a menos em relação à Brasília, a programação foi mantida rigorosamente uma hora mais cedo como antigamente em função da propaganda eleitoral gratuita ainda estar passando, mas só até 29 de outubro.

Na madrugada do dia 30 de outubro de 2010, a emissora reiniciou as transmissões da Rede Fuso em todo o território nacional para os Estados do Norte, Nordeste, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

2016–2019: Queda da vinculação horária, fim do horário de verão e da Rede FusoEditar

Em 1º de setembro de 2016, o Supremo Tribunal Federal decidiu derrubar a regra de classificação indicativa que vinculava a classificação aos horários da programação.[11] Desta forma, as emissoras de televisão ficaram livres para agendar seus programas em qualquer horário independente da classificação indicativa. A partir daí, começou a ser discutido o possível fim do delay de programação em algumas regiões do país.

Em 17 de fevereiro de 2017, um dia antes do término do horário de verão de 2016-2017, as afiliadas da Rede Globo nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Roraima e Acre divulgaram em suas redes sociais e telejornais alterações que passariam a valer a partir de 19 de fevereiro, que incluíam programas transmitidos uma hora mais cedo, e programação em tempo real junto ao horário de Brasília.[12] Desta forma, durante a maior parte do ano (com exceção do estado do Acre), a Rede Fuso deixou valer para os demais estados após quase 10 anos da sua criação. No entanto, durante o Horário de Verão, as emissoras nos estados do Nordeste e do Norte continuaram a gravar a programação para exibir com delay de uma hora (uma vez que a Globo deixou de manter o respectivo sinal diferenciado para as afiliadas), enquanto os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul continuaram a seguir a rede em tempo real normalmente.

Em 25 de abril de 2019, o presidente da república Jair Bolsonaro assinou um decreto que colocou fim ao horário de verão, em vigor no Brasil desde 1931 – e ininterruptamente desde 1985 –, alegando, dentre outros motivos, pouca efetividade na economia energética, além de estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afetava o relógio biológico das pessoas.[13] Com isso, somado o fato da inexistência de vinculação horária desde 2017, a Rede Fuso perdeu a razão de continuar existindo mesmo nos estados que a aderiam apenas em uma parte do ano, especificamente, durante a vigência horário de verão, pouco mais de 11 anos depois do seu surgimento.

FuncionamentoEditar

Entre 2008 e 2017, os estados que recebiam permanentemente o sinal da Rede Fuso eram Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima (emissoras da Rede Amazônica), Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (emissoras da Rede Matogrossense de Televisão). Durante o período de vigência do Horário de Verão, as emissoras da Região Nordeste e dos estados do Pará, Amapá e Tocantins transmitiam o sinal da Rede Fuso. A partir de 2017, apenas o estado do Acre passou a receber de forma permanente o sinal da Rede Fuso, enquanto os outros assaram a acompanhar a programação novamente em tempo real. Porém na vigência do horário de verão, os estados do Norte e Nordeste voltavam a aderir a Rede Fuso.

Na prática, a Rede Fuso deixou de existir formalmente com o fim do horário de verão em 17 de fevereiro de 2019, respaldado pelo decreto presidencial de 25 de abril do mesmo ano. Desde então, por preferência da Rede Globo e da sua afiliada TV Acre em manter seus programas em horário acessível aos telespectadores do estado, que tem duas horas a menos em relação ao horário de Brasília, o Acre é o único lugar em que a programação é assistida com delay. O sudoeste do estado do Amazonas, que também está no mesmo fuso horário do Acre (UTC-5), no entanto, repete a programação da TV Amazonas, que é alinhada em tempo real com a rede.

A maior parte da grade de programação vai ao ar então com uma hora de atraso em relação ao horário de Brasília, sendo a exceção nos dias úteis e nos sábados, o Jornal Nacional, que é ao vivo. Para que isso ocorra, a emissora exibe o telejornal logo após a novela das seis, e em seguida, o Jornal do Acre 2.ª edição e a novela das sete, seguidos da grade normal. Nos domingos, apenas o Futebol na Globo é exibido ao vivo, tendo sua posição na grade invertida com a sessão de filmes Temperatura Máxima, que vai ao ar antes do Domingão do Faustão. As alterações variam de acordo com a conveniência da rede para outros transmissões em tempo real, como veremos a seguir.

Exceções para transmissões ao vivoEditar

Além das exceções do Jornal Nacional, das transmissões de futebol às quartas e da grade dominical, também ocorrem exceções em outras transmissões, algumas pela obrigatoriedade da transmissão em tempo real, como as exibições dos discursos em rede nacional do presidente da república ou de outros chefes de governo, a Propaganda Eleitoral Gratuita e o Horário Político obrigatório, o sorteio da Mega-Sena realizado em 31 de dezembro, entre outros. No caso desses eventos, que são previamente agendados, a emissora faz os ajustes necessários na grade de programação para que os mesmos sejam exibidos ao vivo. Eventos esportivos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, exigiriam muitas alterações na grade para serem exibidos ao vivo, razão pela qual a transmissão costuma ser em tempo real durante a época em que ocorrem.

A cobertura da queima de fogos na Véspera de Ano Novo (no caso, a dos estados que seguem o horário de Brasília) também conta com alterações na grade para possibilitar a sua transmissão ao vivo, sendo que no Acre, os telespectadores acompanham também o Réveillon das Cores, feito a partir de Manaus pela Rede Amazônica. Durante o carnaval, a transmissão dos desfiles das escolas de samba de São Paulo e Rio de Janeiro também é feita ao vivo. Porém, sua transmissão é iniciada com o desfile já em andamento na sexta, sábado e segunda de carnaval.

Em coberturas jornalísticas, dependendo da relevância do assunto tratado, o Plantão da Globo ou até mesmo os boletins jornalísticos são simultaneamente exibidos em todo o país, interrompendo a programação que está no ar em qualquer uma das regiões. Em raras ocasiões, os plantões jornalísticos podem vir a interromper um telejornal que ainda está dando a informação inicial para dar a atualizada. Exemplos como esse já ocorreram, quando o Jornal Hoje que ainda estava sendo exibido no fuso -1 foi interrompido por um Plantão atualizando as informações sobre os ataques terroristas em Paris em 9 de janeiro de 2015, e quando o Hora Um foi interrompido por dois boletins sobre os atentados de novembro em sua exibição para o fuso -1, em 18 de novembro do mesmo ano. Para evitar que situações como essas ocorressem, a Rede Globo passou a exibir, após as alterações na grade de programação da Rede Fuso em 2010-2011, uma edição ao vivo do Jornal Hoje para a Rede Fuso, repetindo as mesmas informações dadas na edição exibida nos estados com o horário de Brasília. A emissora aboliu essa prática a partir de 2013, porém, voltou a fazê-la em 2015 de maneira esporádica, de acordo com a necessidade de dar as informações em tempo real.

Transmissões de futebol às quartasEditar

Com o início da Rede Fuso em 2008, as transmissões de futebol durante as quartas-feiras acabaram sendo prejudicadas pela nova grade. Como a emissora exibia a novela das sete e logo em seguida a então novela das oito, os jogos acabavam sendo exibidos em compactos logo após o seu término, enquanto a emissora exibia um filme no Cinema Especial. Tal atitude acabou gerando reclamações dos telespectadores, o que levou a emissora a promover alterações na grade a partir de junho, com a estreia de A Favorita (que tinha classificação para maiores de 12 anos, enquanto sua antecessora, Duas Caras, tinha classificação para maiores de 14 anos). A novela das sete, que na época era Beleza Pura, passou a ter capítulos com cerca de 20 minutos, e o restante era compensado na quinta e sexta seguintes.

Após as alterações da grade da Rede Fuso que terminaram com a exibição de séries após a Sessão da Tarde, e posteriormente, com a troca de horário desta com o Vale a Pena Ver de Novo, as partidas de futebol das quartas terminaram sendo indiretamente afetadas. Embora não houvesse nenhuma alteração no sistema adotado para o horário nobre em junho de 2008, as transmissões de futebol na Rede Fuso começaram a ter início com o jogo já em andamento. Nas regiões com fuso -2, a partida também sofria um atraso adicional de mais 15 minutos, em razão de ainda ser exibido o Praça TV logo após o Jornal Nacional. Geralmente, assim que a transmissão tinha início na Rede Fuso, o narrador que transmitia a partida fazia uma pausa na locução e geralmente falava frases como "O Brasil inteiro se liga na Globo..." ou "Você que nos acompanha a partir de agora, seja muito bem-vindo...". Não foram raras as vezes em que eram anotados gols que os telespectadores das regiões que seguem o Horário de Brasília conseguiam ver e quem estava em outro fuso horário acabava perdendo. Por conta disso, os lances importantes do início da partida geralmente eram reprisados durante as pausas no jogo derivadas de faltas ou tiros de meta.

Com o horário de verão, os estados que entravam temporariamente no Fuso -1 passavam a acompanhar a grade da mesma forma descrita acima. Porém, os outros dois fusos sofriam alterações. No fuso -2, a transmissão já em andamento do futebol começava logo após a novela das sete, enquanto a novela das nove tinha início após a conclusão da partida, pouco depois das 22h locais. No fuso -3, a transmissão começava logo após o Jornal Nacional. O Praça TV era exibido no intervalo da partida, com uma duração de cinco minutos. A novela das sete ia ao ar logo após o fim da transmissão, por volta das 21h locais, seguida pela novela das nove.

Em 2016, após pressões dos telespectadores e dos clubes por conta do horário em que as partidas de quarta tinham início (22h), a Rede Globo passou a adotar a partir daquele ano um novo horário para as transmissões de futebol, que agora passariam a ter início às 21h45.[14] Dessa forma, além de solucionar parte dos problemas supracitados, as transmissões passariam a ser exibidas na íntegra em todos os fusos horários. Com isso, a grade da Rede Fuso sofreu novas alterações. No fuso -1, a novela das sete continuou tendo início após o Jornal Nacional, que agora passou a encerrar-se 20 minutos mais cedo. A novela das nove, por sua vez, passou a ter início logo após a conclusão da partida, pouco antes das 23h locais. No fuso -2, o Jornal do Acre é exibido logo após o Jornal Nacional, durando cerca de cinco minutos, e diferente do fuso -1, a novela das sete e a novela das nove eram exibidas após a conclusão da partida.

Com o horário de verão, o sistema continua o mesmo no fuso -1, mas sofre mudanças nos outros dois fusos. O fuso -2 começa a sofrer alterações na grade a partir do Praça TV 1.ª edição, que passa a se encerrar às 12h30 locais, fazendo com que sobrem 15 minutos de diferença para o Jornal Nacional gravado terminar antes das 19h45 locais, quando tem início a partida. A novela das sete, seguida da novela das nove, é exibida logo após a conclusão da partida. No fuso -3, o Praça TV 1ª edição também encerra 15 minutos mais cedo pelo mesmo motivo, com as partidas tendo início às 18h45 locais. O Praça TV 2.ª edição, no entanto, é exibido logo após a conclusão da partida, e em seguida a novela das sete e a novela das nove.

Em 2019, as partidas de quarta passaram para o horário das 21h30,[15] e neste ano, a Rede Fuso já vigorava fixamente apenas no estado do Acre. A grade então voltou a ter alterações, com o Jornal Nacional (em delay) tradicionalmente indo ao ar após a novela das seis, seguido do Jornal do Acre 2.ª edição, antes do futebol. Após a conclusão da partida, às 21h45 locais, prosseguia a grade com a novela das sete seguida da novela das nove, como é atualmente.

Outros programasEditar

Os demais programas que são normalmente exibidos ao vivo, mas que passam gravados, costumam aparecer com uma tarja com a inscrição "GRAVADO" cobrindo o "AO VIVO" da exibição original. O Big Brother Brasil, que usa o recurso da interatividade com o telespectador nas votações para o paredão, encerra suas votações no horário de Brasília. Em razão de ser exibido gravado, quando as votações são encerradas originalmente, é exibido um boletim durante o intervalo do programa que está sendo exibido para informar que a votação já terminou. Até 2014, eram exibidas também imagens ao vivo da casa por cerca de cinco minutos logo após o fim da transmissão.

Em outras redesEditar

No decorrer dos anos, as outras quatro principais redes de televisão do Brasil, SBT, RecordTV, Rede Bandeirantes e RedeTV!, foram obrigadas a tomar medidas para adequar sua programação em outros fusos horários, seguindo a mesma determinação do Ministério da Justiça.

SBTEditar

Fora do período do horário de verão, as afiliadas do SBT que não seguiam o Horário de Brasília tinham a opção de exibir programação local entre 21h e 22h ou exibir uma série em um sinal exclusivo gerado pelo SBT Pará para essas emissoras.[1]

Durante o período do horário de verão, as afiliadas do SBT seguiam o sinal do SBT Pará, cuja programação era exibida com 1 hora de atraso de segunda a sábado, com exceção do SBT Brasil, ou gravar a programação por conta própria. Até 2016, algumas afiliadas gravavam a programação por conta própria para exibir os programas do horário nobre em tempo real, exibindo uma série que a rede enviava para geração local entre 21h e 22h, quando a programação retornava ao delay de uma hora. Com as alterações na grade da emissora no período da tarde no início daquele ano, que impossibilitaram a gravação da programação, essa prática deixou de acontecer.

Com o fim da vinculação horária da classificação indicativa em 2016, além do horário de verão após o decreto presidencial, o SBT encerrou o delay do horário nobre nas afiliadas a partir de 2019. Todas as afiliadas passaram a ter a programação em tempo real, incluindo a TV Rio Branco do Acre, que nunca chegou a fazer delay na programação.

RecordTVEditar

A emissora possuiu um sinal no satélite onde toda a programação era exibida com uma hora de atraso de segunda a sábado. Esse mesmo sinal era utilizado durante o horário de verão pelas afiliadas que entram temporariamente na Rede Fuso.[1]

Antes de 2015, era comum que o Jornal da Record fosse exibido em tempo real para essas afiliadas, havendo uma alteração na duração do Cidade Alerta, que era encerrado uma hora mais cedo para as afiliadas inserirem seus telejornais locais, e após o Jornal da Record, era exibida uma série para a programação retornar ao delay de uma hora (algumas afiliadas usavam esse espaço para inserir uma faixa de programação local). Porém, após a reclassificação da novela Os Dez Mandamentos (de classificação para maiores de 10 anos para 12 anos), a Record deixou de exibir o telejornal uma hora mais cedo para que a telenovela começasse no seu horário habitual. As afiliadas que tinham faixa local no espaço da série que fazia o delay na programação passaram então a exibir em tempo real a programação da rede até as 18h45 (17h45 no fuso-2) locais, inserindo os seus telejornais locais mais cedo e logo em seguida a faixa nobre local antes da novela.

A Record acabou com a sua Rede Fuso para parte do Centro-Oeste e do Norte em 17 de junho de 2019, mesmo dia em que inaugurou a RecordTV Manaus, sua filial em Manaus, Amazonas. A programação das afiliadas então ficou alinhada com o horário de Brasília, com exceção apenas do estado do Acre, onde a TV Gazeta continuou fazendo delay de uma hora em relação a rede para alinhar a sua grade em horários acessíveis aos telespectadores locais.

Rede BandeirantesEditar

A emissora gera um sinal para as afiliadas com desenhos e séries para serem exibidos entre o Show da Fé e a faixa nobre da emissora, numa sessão denominada Show de Desenhos (durante o período do horário de verão, Verão Animado), de segunda à sábado. Mais recentemente, passaram a ser exibidas reprises de telenovelas. Aos domingos, em razão de alguns filmes da sessão Domingo no Cinema terem classificação variada, mesmo com a queda da vinculação, a rede exibe após o Terceiro Tempo uma série ou reprise de algum programa para retardar a programação.[1]

RedeTV!Editar

As emissoras afiliadas da RedeTV! eram liberadas de gravar a programação nacional e exibir com 1 hora de atraso, uma vez que a rede não possuía programas com classificação indicativa elevada.

Referências

  1. a b c d Gabriel Vaquer (6 de novembro de 2015). «"Rede Fuso" volta com o horário de verão; saiba o que é e porque é odiada». Na Telinha. UOL. Consultado em 2 de novembro de 2015 
  2. Gabriel Vaquer (27 de setembro de 2015). «Petição pede fim da "rede fuso" criada pela Globo no horário de verão». Na Telinha. UOL. Consultado em 2 de novembro de 2015 
  3. Dornelles, Beatriz (1 de janeiro de 2002). Mídia, imprensa e as novas tecnologias. [S.l.]: EDIPUCRS. ISBN 9788574303031 
  4. a b «Confira a programação da TV Centro América para amanhã». Reporter News. 26 de julho de 2006, 22h30min. Consultado em 26 de fevereiro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. a b «Confira a programação da TV Centro América para amanhã». Reporter News. 8 de setembro de 2006, 09h50min. Consultado em 16 de junho de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. a b «Emissoras de estados com fuso horário diferente do de Brasília terão que respeitar classificação». Folha Online. 1º de abril de 2008, 8h46min. Consultado em 30 de outubro de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. a b c «Respeito de TVs a diferenças de fuso horário entra em vigor». Folha Online. 7 de abril de 2008, 18h26min. Consultado em 30 de outubro de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  8. a b c d «Rede Globo anuncia adequação da grade ao fuso horário». Portal IMPRENSA. 8 de abril de 2008, 9h15min. Consultado em 30 de outubro de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  9. a b c d «TV Globo muda horário da programação em sete estados». Portal G1. 8 de abril de 2008. Consultado em 30 de outubro de 2010 
  10. a b c d «Globo anuncia adequação à regra de fuso com um dia de atraso». Folha Online. 7 de abril de 2008, 22h44. Consultado em 30 de outubro de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. «STF derruba vinculação horária à classificação indicativa». Veja. 1 de setembro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  12. «Rede Amazônica exibe telejornais 1h mais cedo a partir de segunda-feira». G1. 17 de fevereiro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  13. Verdélio, Andreia (25 de abril de 2019). «Bolsonaro extingue horário de verão». Agência Brasil. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  14. Falcheti; Vaquer, Fabrício; Gabriel (16 de janeiro de 2016). «Futebol na Globo começará mais cedo em 2016; entenda por quê». NaTelinha - UOL. Consultado em 25 de fevereiro de 2016 
  15. «Globo oficializa novo horário para o futebol às quartas-feiras: 21h30». O Tempo. 18 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de novembro de 2019 

Ver tambémEditar