Abrir menu principal

Redondo

município e vila de Portugal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Redondo (desambiguação).

Redondo é uma vila portuguesa, no Distrito de Évora, região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com 5 732 habitantes (2019).[2]

Redondo
Brasão de Redondo Bandeira de Redondo

Localização de Redondo
Gentílico Redondense Redondeiro/a (popular)
Área 369,51 km²
População 7 031 hab. (2011)
Densidade populacional 19  hab./km²
N.º de freguesias 2
Presidente da
câmara municipal
António Matos Recto (independente)
Fundação do município
(ou foral)
1250
Região (NUTS II) Alentejo
Sub-região (NUTS III) Alentejo Central
Distrito Évora
Província Alto Alentejo
Orago Nossa Senhora da Anunciação[1]
Feriado municipal Segunda-feira após o Domingo de Páscoa
Código postal 7170
Sítio oficial CM Redondo
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

É sede de um município com 369,51 km² de área[3] e 7 031 habitantes (2011),[4][5] subdividido em 2 freguesias.[6] O município é limitado a norte pelos municípios de Estremoz e de Borba, a leste por Vila Viçosa e pelo Alandroal, a sueste por Reguengos de Monsaraz e a oeste por Évora.

HistóriaEditar

 
Redondo

Sede de concelho, situada a 35 km de distância da capital de província, Évora. A zona que hoje compreende foi habitada desde os tempos mais remotos, como o comprovam os monumentos megalíticos existentes na região.

Origem e período medievalEditar

A criação do município de Redondo por D. Dinis em 1318 insere-se no contexto da guerra civil que então tinha lugar entre o monarca e o seu herdeiro D. Afonso, futuro Afonso IV. Como os municípios alinhavam maioritariamente pelo Infante contra o Rei, este desmembra dois grandes concelhos da região, Evoramonte e Monsaraz, e com uma parte de um e outra de outro, cria, ex-nihilo, o nóvel Concelho de Redondo.[7]

A elevação de terreno onde se situa o Castelo e onde começou o povoado, teria efetivamente um maciço rochoso, o renomado "penedo redondo", tão proeminente que o mesmo constituía na paisagem a delimitação territorial entre aqueles outros dois Concelhos atrás referidos. Dessa forma aparece referida aquela eminência rochosa na Carta de Foral de Monsaraz de 1276, dada por D. Afonso III[8]. Se tivesse havido algum Foral anterior ao de D. Dinis, o qual alterasse aquele, teria o primeiro que ser referido no segundo, o que não acontece de todo. O silêncio documental afirma a condição primeira e inicial do Foral dionisino.

A carta de Foral de D. Dinis ordena ainda a quem venha ocupar a nova povoação que lhe construa castelo, tomando como exemplo o primitivo Castelo do Alandroal[9].

Em 1381, no contexto das guerras fernandinas contra Castela, a povoação foi saqueada por um corpo auxiliar do exército inglês do conde de Cambridge- Edmundo, do comando do general Maa Borno[10].

O Foral de D. Dinis foi reformado, na Leitura Nova, por novo Foral, concedido por D. Manuel I em 20 de outubro de 1516[11].

Património da Coroa, foi a vila de Redondo doada, com todas as suas jurisdições, em 1465 pelo rei D. Afonso V a D. João de Bragança, Marquês de Montemor, que foi Senhor de Redondo até 1483[12], quando em virtude da conspiração encabeçada pelo 3º Duque de Bragança, D. Fernando II, irmão do Marquês, o Senhorio de Redondo retornou à Coroa, aliás como todos os bens de todos os membros da Casa de Bragança, que foi extinta pelo rei D. João II. Vasco Coutinho, por ter informado D. João II daquela conspiração, foi feito Conde de Borba. Já no reinado de D. Manuel I, e com a restauração da Casa de Bragança, de que Borba fazia parte, em 1500 D. Manuel I trocou a D. Vasco Coutinho, já então Capitão-Mor de Arzila, o senhorio de Borba pelo de Redondo, mantendo a sua condição condal.

No início do século XV, a vila de Redondo, em virtude das guerras com Castela, das epidemias de peste, e das principais vias, a chamada Estrada Real, não passarem diretamente na povoação, encontrava-se praticamente despovoada. Uma tentativa para alterar aquela situação ficou a dever-se a Catarina Pires Folgada, que em 1408 fundou uma albergaria [13], procurando atrair mercadores que pudessem estar e pernoitar em Redondo. No entanto, só a pedido dos procuradores da vila, nas Cortes de Santarém de 1418 D. João I, tornou desde então Redondo ponto obrigatório para viajantes de Évora, Vila Viçosa e Alandroal, em ambos os sentidos [14].

Em direcção à ModernidadeEditar

As expansão da vila deu-se a partir de 1463 uma vez que a cerca do castelo estava completamente povoada, foi decidida, por alvará régio, que a zona do arrabalde fosse habitada, ficando os moradores desta zona com os mesmos privilégios e liberdades que os moradores da cerca do castelo.

O concelho de Redondo, actualmente dividido em duas freguesias – Redondo e Montoito – abrange uma área de 371,44 km², deles fazem parte um conjunto de populações com dimensões significativas, entre as quais: Aldeias de Montoito, Falcoeiras, Santa Susana, Aldeia da Serra, Foros da Fonte Seca, Freixo e Vinhas.

Aqui vivem atualmente cerca de 7031, segundo o censo de 2011, um decréscimo face aos 7288 habitantes do censo de 2001.

O Feriado Municipal é a segunda-feira após o domingo de Páscoa.

PopulaçãoEditar

Número de habitantes [15]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
6 453 6 908 6 928 7 915 8 852 9 479 10 107 12 126 12 546 11 967 9 131 8 444 7 948 7 288 7 031

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [16]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 2 412 3 068 3 129 3 351 3 898 3 547 2 951 1 945 1 740 1 388 987 901
15-24 Anos 1 307 1 432 1 744 1 894 2 044 2 233 1 993 1 410 1 171 1 104 998 716
25-64 Anos 3 193 3 417 3 607 4 296 5 255 5 679 6 065 4 940 4 117 3 793 3 530 3 603
= ou > 65 Anos 374 473 504 540 706 893 958 1 050 1 416 1 663 1 773 1 811
> Id. desconh 8 30 66 12 11

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)


PolíticaEditar

Eleições autárquicasEditar

Data % V % V % V % V % V % V
APU/CDU PS PPD/PSD AD IND PSD-CDS
1976 47,01 3 24,75 1 21,17 1
1979 52,83 3 18,02 1 27,10 1
1982 48,94 3 24,97 1 AD 22,34 1
1985 54,04 3 29,17 2
1989 57,80 3 17,93 1 20,54 1
1993 61,13 4 19,23 1 11,46 -
1997 61,54 4 17,13 1 11,92 -
2001 48,40 3 20,54 1 27,48 1
2005 13,10 - 30,07 2 9,47 - 43,57 3
2009 9,32 - 25,28 1 8,92 - 53,88 4
2013 13,94 1 21,34 1 PSD-CDS 53,49 3 7,40 -
2017 21,78 1 17,90 1 36,01 2 21,46 1

Eleições legislativasEditar

Data %
PCP PS PSD CDS UDP APU/CDU AD FRS PRD PSN B.E. PAN PàF
1976 42,92 27,60 8,91 8,60 2,77
1979 APU 16,83 AD AD 2,12 46,58 26,56
1980 FRS 1,39 42,06 29,31 20,35
1983 25,84 17,43 4,34 0,94 45,80
1985 12,49 17,91 3,13 1,52 40,11 18,84
1987 CDU 14,86 26,60 2,65 1,11 37,70 10,22
1991 23,36 34,00 3,27 28,03 1,49 1,46
1995 42,48 17,53 5,61 0,93 27,69
1999 45,68 17,01 5,60 24,47 0,20 1,72
2002 38,19 26,18 5,91 22,98 2,45
2005 49,66 15,93 3,83 19,84 5,85
2009 35,97 17,56 7,72 18,33 14,15
2011 33,65 24,35 9,15 18,43 6,52 1,02
2015 41,23 PàF PàF 18,42 9,13 1,06 22,69

As freguesiasEditar

 
Freguesias do concelho de Redondo.

O concelho de Redondo está dividido em 2 freguesias:

PatrimónioEditar

A cerca militar da vila de Redondo, monumento nacional, foi fundada por D. Dinis presumivelmente em 1319. Apresenta uma configuração de eleipse irregular com muros de grossa alvenaria sem ameias mas com adarve parcialmente interrompido. Durante a Guerra da Restauração e ainda durante a Guerra da Sucessão de Espanha, determinou-se envolver a cerca numa profunda trincheira com estacaria de que não restam quaisquer vestígios[10].

Apresenta duas torres, uma meia torre ou reprega no lado Norte e quatro torrelas que ladeiam as duas portas.

  • Pelourinho
  • Paços do Concelho
  • Igreja de Nossa Senhora da Anunciação (Igreja Matriz)
  • Igreja e Convento de Nossa Senhora da Saúde
  • Igreja do Calvário
  • Igreja de S. Pedro
  • Igreja e Convento de S. António
  • Igreja da Misericórdia
  • Capela de Nossa Senhora dos Anjos
  • Capelas de Nosso Senhor dos Passos
  • Igreja de Nossa Senhora da Assunção (Montoito - Igreja Matriz)
  • Igreja do Espírito Santo (Montoito)
  • Igreja de Nossa Senhora do Monte Virgem (Aldeia da Serra)
  • Igreja e Convento de São Paulo (Serra D'Ossa)
  • Igreja de Santa Suzana (Santa Suzana)
  • Igreja de Nossa Senhora do Freixo (Freixo)
  • Capela de Nossa Senhora da Piedade
  • Igreja de São Miguel do Adaval
  • Igreja de São Bento do Zambujal
  • Monumentos Megalíticos
  • Vestígios Romanos
  • Museu do Vinho
  • Museu do Barro
  • Ecomuseu de Redondo
  • Oficina das Ruas Floridas

CulturaEditar

  • Ruas Floridas
  • Corso Carnavalesco
  • Feira de São Francisco
  • Procissões dos Passos, Corpo de Deus e Cerimónias da Semana Santa
  • Prémio Dr. Hernâni Cidade
  • Redondo "Há" Mesa

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Redondo

ReferênciasEditar

 
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde Dezembro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


  1. Arquivo Distrital de Évora:Paróquia de Redondo. http://digitarq.adevr.arquivos.pt/details?id=996702
  2. INE (2013). Anuário Estatístico da Região Alentejo 2012. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 30. ISBN 978-989-25-0214-4. ISSN 0872-5063. Consultado em 5 de maio de 2014 
  3. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013». Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013. Arquivado do original (XLS-ZIP) em 9 de dezembro de 2013 
  4. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Alentejo. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 99. ISBN 978-989-25-0182-6. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 
  5. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_ALENTEJO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013 
  6. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  7. Moreira, Isabel Alves, «Foral de Redondo, doado por D. Dinis em 1318 (transcrição do documento)», Callipole 16 (2008),CM Vila Viçosa, pp.15-18
  8. Gonçalves, José Pires, Monsaraz e o seu Termo, vol. II, pp.353-357
  9. Moreira, Isabel Alves, «Foral de Redondo, doado por D. Dinis em 1318 (transcrição do documento)», Callipole 16 (2008),CM Vila Viçosa, pp.15-18
  10. a b Espanca, Túlio (1978). Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Évora, zona Sul Volume I. Lisboa: Academia Nacional de Belas-Artes. 267 páginas 
  11. http://www.ehumanista.ucsb.edu/sites/secure.lsit.ucsb.edu.span.d7_eh/files/sitefiles/ehumanista/volume31/ehum31.ms.Pinto.fin.pdf
  12. Cunha, Mafalda Soares da, Linhagem, Parentesco e Poder:A Casa de Bragança (1384-1483), Lisboa, Fund.Casa de Bragança, 1990
  13. Moreira, Isabel e Calado, José, Testamento de Catarina Pires Folgada (1408), Santa Casa de Misericórdia de Redondo, 2010
  14. Rei, António, «Um toque da fortuna: Catarina Pires Folgada, tia do 1º Duque de Bragança. Ação e inserção social (séculos XIV-XV)» Callipole 21 (2014),CM Vila Viçosa,pp. 53-58
  15. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  16. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros