Reduto de São Joaquim de Fernando de Noronha

Reduto de São Joaquim de Fernando de Noronha
Placa indicativa do Forte de S. Joaquim do Sueste
Brazilian States.PNG
Construção João V de Portugal (1739)
Estilo Abaluartado
Conservação Mau
Aberto ao público Sim

O Reduto de São Joaquim, também referido como Fortim de São Joaquim ou Reduto do Sueste, localiza-se na ilha de Fernando de Noronha, no arquipélago de mesmo nome, no estado de Pernambuco, no Brasil.

Em posição dominante na baía do Sueste, integrava a defesa do setor sueste da ilha.

HistóriaEditar

Este reduto, erguido a partir de 1739, apresentava planta no formato de um polígono quadrangular regular, com três baterias, acessado por um pequeno revelim (GARRIDO, 1940:58). Foi guarnecido por um Sargento e treze praças, e artilhado com oito peças de ferro (BARRETTO, 1958:129).

Encontra-se indicado no mapa inglês da ilha de Fernando de Noronha (Londres, 1793. apud SECCHIN, 1991:10-11), com o simples nome de Forte, não sobre a ponta Sul como comumente indicado, mas sim sobre a praia, próximo à foz de um riacho, indicado como bom para aguada.

À época do Segundo Reinado (1840-1889), foi reparado em 1846 (BARRETTO, 1958:123).

GARRIDO (1940), dá-o como abandonado, restando apenas vestígios à época (1940) (op. cit., p. 58).

BibliografiaEditar

  • BARRETO, Aníbal (Cel.). Fortificações no Brasil (Resumo Histórico). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1958. 368 p.
  • GARRIDO, Carlos Miguez. Fortificações do Brasil. Separata do Vol. III dos Subsídios para a História Marítima do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Naval, 1940.
  • IRIA, Alberto. IV Colóquio Internacional de Estudos Luso-Brasileiros - Inventário geral da Cartografia Brasileira existente no Arquivo Histórico Ultramarino (Elementos para a publicação da Brasilae Monumenta Cartographica). Separata da Studia. Lisboa: nº 17, abr/1966. 116 p.
  • SECCHIN, Carlos. Arquipélago de Fernando de Noronha (2ª ed.). Rio de Janeiro: Cor/Ação Editora, 1991. 160 p. il. mapa.
  • SOUSA, Augusto Fausto de. Fortificações no Brazil. RIHGB. Rio de Janeiro: Tomo XLVIII, Parte II, 1885. p. 5-140.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar