Abrir menu principal
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2017). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Reinhold Stephanes
Participando de audiência pública no Senado sobre os questionamentos internacionais ao impacto, na produção de alimentos, dos biocombustíveis. Foto:Valter Campanato/ABr
Secretário de Gestão Pública do Paraná
Período 1º de janeiro de 2019
até atualidade
Governador Ratinho Júnior
Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil
Período 22 de março de 2007
até 31 de março de 2010
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor Luis Carlos Guedes Pinto
Sucessor Wagner Rossi
Ministro da Previdência e Assistência Social[1] do Brasil
Período 1 de janeiro de 1995
até 3 de abril de 1998
Presidente Fernando Henrique Cardoso
Antecessor Sérgio Cutolo dos Santos
Sucessor Waldeck Ornelas
Ministro do Trabalho e Previdência Social[2] do Brasil
Período 20 de janeiro de 1992
até 13 de abril de 1992
Presidente Fernando Collor de Mello
Antecessor Antônio Rogério Magri
Sucessor Antônio Britto
Deputado Federal pelo Paraná
Período 1º de janeiro de 2003
até 31 de janeiro de 2015
(2 mandato consecutivo)

19 de outubro de 2016
até 31 de dezembro de 2018

Secretário da Administração do Paraná
Período 21 de março de 2016
até 18 de outubro de 2016

2003
até 2004

Governador Beto Richa (2º)

Roberto Requião (1º)

Secretário de Planejamento do Paraná
Período 2004
até 2006
Governador Roberto Requião
Secretário de Agricultura do Paraná
Período 1979
até 1981
Governador Ney Braga
Dados pessoais
Nascimento 13 de agosto de 1939 (80 anos)
Porto União, SC, Brasil
Primeira-dama Cristina Angelica Batistuti Stephanes
Partido PSD
Profissão Economista
linkWP:PPO#Brasil

Reinhold Stephanes (Porto União, 13 de agosto de 1939) é um economista e político brasileiro filiado ao Partido Social Democrático (PSD).[3][4] Atualmente exerce o cargo de Secretário de Gestão Pública do Paraná, no governo de Ratinho Júnior.[5]

Vida pessoalEditar

Descendente de alemães,[6][7][8][9] Reinhold Stephanes é filho de Oswald Stephanes e Lili Schumann Poll Stephanes, pequenos produtores rurais do Paraná.[3][8] Seus pais migaram de Rio Negro para Santa Catarina e Reinhold nasceu na região de Porto União.[8] Fala a língua portuguesa e alemã.[8] Foi criado em União da Vitória, e com dez anos de idade mudou-se para Rio Negro e, aos doze anos, fixou residência em Curitiba, indo morar no internato da Escola Técnica de Curitiba.[8]

Aos dezoito anos ingressou no Exército, ficando lá por cinco anos, primeiro como soldado, depois como cabo.[8] Já em 1963 formou-se em economia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR)[4] e especializou-se em desenvolvimento econômico, pela CEPAL/ONU no mesmo ano. Em 1966 concluiu especialização em Administração Pública na Alemanha.[8]

É pai de Reinhold Stephanes Junior,[8] economista, ex-deputado estadual e que atualmente ocupa o mandato de deputado federal suplente pelo PSD.[10][11]

Vida públicaEditar

Stephanes iniciou sua vida pública em Curitiba na década de 1960.[4] Em 1963 foi assistente técnico em administração da Diretoria Central de Orçamento do governo do estado do Paraná.[3] Foi assessor econômico do Departamento de Fazenda da Prefeitura de Curitiba em 1964.[3] Já em 1965 foi supervisor de Planejamento Econômico e Social, do Gabinete do prefeito de Curitiba.[3] Foi também designado para trabalhar na equipe inicial de elaboração do Plano Diretor de Curitiba.

Em 1966 foi nomeado Secretário Municipal da Fazenda de Curitiba, cargo que ocupou até 1967 na gestão do prefeito Ivo Arzua Pereira.[4] Ainda na prefeitura de Curitiba, foi Inspetor-Geral de Finanças, de 1967 a 1970.[3][4]

Em Curitiba também atuou como professor universitário, sendo docente da Universidade Católica do Paraná, de 1966 a 1967.[3][4]

Stephanes trabalhou no Ministério da Agricultura durante oito anos, no início dos anos 1970. Foi Subsecretário de Planejamento e Orçamento e Secretário-Geral Substituto, do Ministério da Agricultura, entre 1970 e 1973.[5] Foi nomeado diretor do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), onde atuou de 1970 a 1973, durante o governo de Emílio Garrastazu Médici.[4][5]

Foi Secretário de Apoio, do Ministério da Educação (MEC), em 1974, na gestão de Ney Braga (1974-1978),[3][5] e Presidente do antigo Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) de 1974 a 1979, durante o governo de Ernesto Geisel.[4][5]

 
Reinhold Stephanes em 1975.

Foi secretário da Agricultura do Paraná entre 1979 e 1981, no governo de Ney Braga e atuou como coordenador da comissão de criação da EMBRAPA.[8] Foi ministro do Trabalho e Previdência Social (1992) e ministro da Previdência e Assistência Social (1995 - 1998).[4][8]

Foi nomeado Presidente do Banco do Estado do Paraná, ocupando a presidência do ano de 1999 a 2000. Foi Secretário Estadual da Administração e Previdência do Paraná, de 2003 a 2004, durante o governo de Roberto Requião. Foi Secretário de Estado do Planejamento e Coordenação Geral do Paraná, de 2004 a 2006, também no governo de Requião.[4]

Em 22 de março de 2007, foi nomeado Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do segundo Governo Lula.[4] Em 31 de março de 2010 deixou o Ministério para concorrer novamente ao cargo de Deputado federal,[12] tendo sido reeleito, pelo PMDB, com 95.147 votos.[13]

De 2013 a 2014 assumiu como Chefe da Casa Civil do Governo do Paraná, durante o governo de Beto Richa.[4] Ainda no governo Richa foi nomeado Secretário da Administração, ocupando o cargo de 21 de março de 2016 até 18 de outubro de 2016.[5]

Câmara dos DeputadosEditar

Foi deputado federal, nos períodos de 1979-1983, pela extinta Aliança Renovadora Nacional (ARENA), 1983-1987, pelo PDS, 1991-1995, pelo PFL; 1995-1999, também pelo PFL; 2005-2006, pelo PMDB, tendo sido reeleito para a legislatura 2007-2011, também pelo PMDB.

Na eleição de 2014, obteve 78.064 votos e não conseguiu se eleger para o terceiro mandato seguido. Assumiu o mandato como segundo suplente em 15 março de 2016, permaneceu por apenas 1 dia para assumir uma Secretária de Estado no governo Beto Richa.

Em 2016 foi denunciado pela participação no Escândalo das passagens aéreas, ocorrido quando era deputado federal em 2009.[14] Teria continuado usufruindo da cota de passagens aéreas de que tinha direito como deputado, depois de ser nomeado ministro, apesar do Ato 42 da Mesa da Casa, de 2000, afirmar que os deputados não podem utilizar a cota enquanto seus suplentes estiverem em exercício.[15]

Obras publicadasEditar

  • O programa de integração nacional e a colonização da Amazônia. Brasília: [s.n.], 1972.
  • Notas sobre a agricultura brasileira. Brasília: SUPLAN, 1973.
  • A previdência social urbana e o INPS. [S.I.: s.n.], 1976.
  • Política social e previdência social no Brasil. Rio de Janeiro: [s.n.], 1977.
  • Previdência social e distribuição de renda. Rio de Janeiro: [s.n.], 1978.
  • Agricultura paranaense. Curitiba: [s.n.], 1980.
  • A opção pela agricultura paranaense. Curitiba: [s.n.], 1981.
  • Previdência social: um problema gerencial. Rio de Janeiro: Lidador, 1984.
  • Previdência social: uma solução gerencial e estrutural. Porto Alegre: Síntese, 1993.
  • Reforma da previdência sem segredos. Rio de Janeiro: Record, 1998.

Referências

  1. Ministério da Previdência Social. «Cronologia dos Ministros da Previdência Social». Consultado em 20 de maio de 2008 
  2. Ministério do Trabalho e Emprego. «Museu Virtual». Consultado em 20 de maio de 2008 
  3. a b c d e f g h «Perfil de Reinhold Stephanes no portal do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». FGV - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 26 de julho de 2019 
  4. a b c d e f g h i j k l «Biografia de Reinhold Stephanes». Câmara dos Deputados. Consultado em 11 de julho de 2019 
  5. a b c d e f «Reinhold Stephanes assume Secretaria da Administração». Agência de Notícias do Paraná. 2 de janeiro de 2019. Consultado em 11 de julho de 2019 
  6. «Reinhold Stephanes Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa». Página Rural. 19 de novembro de 2007. Consultado em 24 de julho de 2019 
  7. «Câmara reúne alemães em sessão solene». Câmara Municipal de Curitiba. 24 de junho de 2005. Consultado em 24 de julho de 2019 
  8. a b c d e f g h i j José Wille (30 de outubro de 2018). «Reinhold Stephanes foi o paranaense mais chamado para cargos em Brasília». Paraná Portal. Consultado em 24 de julho de 2019 
  9. Celso Nascimento (24 de janeiro de 2010). «Reinhold Stephanes, o polêmico.». Gazeta do Povo. Consultado em 24 de julho de 2019 
  10. Manu Nunes (5 de fevereiro de 2019). «Stephanes Junior, do Paraná, toma posse na Câmara». PSD na Câmara. Consultado em 11 de julho de 2019 
  11. Fernando Tupan (18 de fevereiro de 2019). «Stephanes Junior assume vaga na Câmara Federal». Bem Paraná. Consultado em 11 de julho de 2019 
  12. O Globo Online; Chico de Gois e Luiza Damé (31 de março de 2010). «Lula dá posse a dez novos ministros. Dilma e mais nove deixam governo». Consultado em 31 de março de 2010 
  13. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Paraná». Consultado em 12 de outubro de 2010 
  14. «Procuradoria denuncia 443 por 'farra das passagens' na Câmara, diz site». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  15. «Ministros-deputados usam passagens da Câmara». Congresso em Foco - UOL 

Ligações externasEditar