Abrir menu principal

Reino de Badajoz (Coroa de Castela e Leão)

entidade territorial do Reino de Leão
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde fevereiro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para o reino muçulmano, veja Taifa de Badajoz.



Reino de Badajoz
Badalloz Regnum

Sub-reino de Leão e Castela

Flag of Almohad Dynasty.svg
1230 – 1371 Royal Banner of the Crown of Castille (Early Style).svg
Continente Europa
Região Península Ibérica
País Espanha
Capital Badajoz
Língua oficial Castelhano e latim
Outros idiomas Asturo-leonês e estremenho
Religião Catolicismo romano
Governo Monarquia
Período histórico Idade Média
 • 1230 Fundação
 • 1371 Dissolução

O Reino de Badajoz (em latim: Badalloz Regnum; em asturo-leonês: Badayoz; em estremenho: Baajós; em baixo-estremenho: Badajó), foi uma entidade territorial do Reino de Leão fundada após a reconquista pelos cristão da cidade de Badajoz pelo rei Afonso IX (r. 1188–1230) em 19 de março de 1230. Desde 24 de setembro do mesmo ano, passou para a Coroa de Leão e Castela sob Fernando III (r. 1217–1252) e continuou a existir até o século XIV, quando foi criada a província de Estremadura.

Constituía, na prática, um título real, sem reis privativos, agregado à coroa castelhano-leonesa, e posteriormente à monarquia hispânica. Esses reis foram, portanto, os reis de Badajoz (ainda que seu uso fosse perdendo vigência). Seus antecedentes se remontavam ao anterior Reino de Badalhouce (Taifa de Badajoz) dos muçulmanos[1].

Referências

  1. *Domené, Domingo: "Fueros y Privilegios del Badajoz Medieval", Revista de Estudios Extremeños, 2009, Tomo LXV, Número 1, pp. 101-142.