Abrir menu principal


Kingdom of Sikkim
Reino de Siquim
1642 – 1975 Flag of India.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Siquim
Mapa histórico de Siquim no nordeste da Índia
Continente Ásia
Região sul da Asia
Capital
Língua oficial siquimês , nepalês
Religião Mahayana
Governo Monarquia
Chogyal
 • 1642–1670 Phuntsog Namgyal (primeiro)
 • 1963–1975 Palden Thondup Namgyal (último)
História
 • 1642 Fundação
 • 1817 Tratado de Titalia assinado
 • 1835 Darjeeling cedido para Índia Britânica
 • 1975 Palden Thondup Namgyal forçado a abdicar
 • 16 de Maio de 1975 Fusão com a Índia
Atualmente parte de  Índia

Reino de Siquim foi uma monarquia hereditária existente de 1642 a 16 de maio de 1975 no Himalaia Oriental. Foi governado pelos reis Chogyal.

HistóriaEditar

Domínio nepalêsEditar

Em meados do século XVIII Siquim foi invadido pelo Nepal (então Reino Gorkha) e esteve sob o domínio Gorkha por mais de 25 anos. Entre 1785 e 1815, quase 100.000 nepaleses étnicos do leste e do centro do Nepal migraram para Siquim e se estabeleceram após prometer lealdade ao Chogyal. No entanto, com a chegada dos ingleses na vizinha Índia, Siquim aliou-se com eles uma vez que tinham um inimigo comum - o Nepal. Os nepaleses enfurecidos atacaram Siquim como vingança, invadindo a maior parte da região, incluindo o Terai. Isto levou a Companhia Britânica das Índias Orientais a atacar o Nepal em 1814, resultando na Guerra Anglo-Nepalesa. O Tratado de Sugauli entre o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda e o Nepal e o Tratado de Titalia entre Siquim e a Índia britânica retornou o território anexado pelos nepaleses a Siquim em 1817.

Protetorado anglo-indiano e fusão com a ÍndiaEditar

Nos termos do Tratado de Tumlong de 1861, Siquim tornou-se um protetorado britânico, e em seguida um protetorado indiano em 1950. Siquim foi fundido formalmente com a Índia em 1975 depois de um referendo sobre a monarquia e tornou-se um dos estados da Índia.

A fusão pró-Índia deveu-se à comunidade hindu nepalesa de Siquim. [2] A China e o Paquistão tinham vínculos com os Chogyal de Siquim o que levou à intervenção indiana. [3] Para solicitar assistência militar, um dispositivo de comunicação ligados ao Paquistão e a China estava disponível, no entanto, os Chogyal não o utilizaram. [4]

Cultura e religiãoEditar

Na cultura e na religião, Siquim estava ligada intimamente com o Tibete,[5] de onde seu primeiro rei migrou, e o Butão, com o qual compartilha fronteiras. A presença de uma grande população de etnia nepalesa, principalmente do Nepal oriental e central, conduz também a ligações culturais com o Nepal.

Referências

  1. HISTORY OF SIKKIM
  2. Larmer, Brook (março de 2008). «Bhutan's Enlightened Experiment». National Geographic. Bhutan. (print version) 
  3. «25 years after SIKKIM». Nepali Times (#35). 23–29 de março de 2001 
  4. Sharma, Sudheer (setembro de 2007). «The Pain of Losing a Nation. Story of Lhendup Dorji and Sikkim». United We Blog! 
  5. PEMA ABRAHAMS. «The Forgotten Kingdom». Foreign Policy 

Ligações externasEditar