Requeixo

localidade e antiga freguesia de Aveiro, Portugal
Disambig grey.svg Nota: Para o produto lácteo da Galiza, veja Requeixo (produto lácteo).

Requeixo foi uma freguesia portuguesa (atualmente unificada), do concelho de Aveiro, com 10,36 km² de área e 1 222 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 118 hab/km².

Portugal Requeixo 
  Freguesia portuguesa extinta  
Localização no Concelho de Aveiro
Localização no Concelho de Aveiro
Gentílico Requeixense
Localização
Requeixo está localizado em: Portugal Continental
Requeixo
Localização de Requeixo em Portugal Continental
Mapa de Requeixo
Coordenadas 40° 35' 34" N 8° 31' 52" O
município primitivo Aveiro
município (s) atual (is) Aveiro
Freguesia (s) atual (is) Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz
História
Fundação anterior a 1209
Extinção 28 de janeiro de 2013
Características geográficas
Área total 11,80 km²
População total (2011) 1 222 hab.
Densidade 103,6 hab./km²
Outras informações
Orago São Paio

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada às freguesias de Nossa Senhora de Fátima e Nariz, para formar uma nova freguesia denominada Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz com sede em Nossa Senhora de Fátima.[1]

Requeixo situa-se a sul da sede do concelho.

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Requeixo [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1.793 1.846 1.912 2.014 2.277 2.423 2.401 2.411 2.694 2.697 2.571 2.770 1.187 1.198 1.222
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 219 175 616 188 18,3% 14,6% 51,4% 15,7%
2011 196 129 662 235 16,0% 10,6% 54,2% 19,2%

HistóriaEditar

A sua origem longínqua e de não fácil determinação, porém, são conhecidas algumas referências que nos ajudam a desenhar a sua existência.

Em 1209, Requeixo e a sua igreja são referidos no relatório das Igrejas da Diocese de Coimbra; em 1494, El-Rei D. João II deu Requeixo e o julgado de Eixo a D. Diogo Lopes de Sousa, o Moço; em 1516 El-Rei D. Manuel I concedeu foral novo aos “concelhos e terra de Eixo e Requeixo”, o que atesta já por esta altura a importância desta última freguesia; em 1756, o Capelão Dr. Manuel Gonçalves fez o relatório do terramoto de 1755, que também se sentiu em Requeixo, mas não provocou algum dano.

De facto, Requeixo foi em tempos a maior Freguesia do Concelho de Aveiro e incluía no seu território os lugares de S. Paio, Lagoinha; Carregal, Sanguinheira, Mamodeiro, Fermentelos, o ramo de São Bento de Nariz com os lugares de Nariz, Cabeço da Eireira, Canissaia, Porto de Ílhavo, Verba, Vessada e Ramalheira e o ramo de São Bento da Póvoa do Valado com os lugares da Póvoa do Valado, Perajorge, Granja e Cavadinha.

.Em 1909 foi visitada pelo rei D.Manuel II no âmbito da preservação da monarquia em Portugal. Alojou-se na antiga junta da freguesia. Veio acompanhado de Rodrigues dos Santos e Carlos David 2 oficiais do exército português. Na sua curta estadia em Requeixo ajudou na reconstrução de 3 edifícios junto à pateira e doou uma bandeira à paróquia de Requeixo. É citada também na crónica de Fernão Lopes Requeixo no capítulo 1 como “pequena vila bonita e forte, resistiu à ocupação castelhana” [3]

Nos dias de hoje, Requeixo passou de maior a uma das mais pequenas Freguesias do concelho devido às desanexões efectuadas a partir do século XVIII. A cronologia das separações das Freguesias é a seguinte:

  • 1738 – El-Rei D. João V deu permissão para que o lugar de Fermentelos se separasse de Requeixo;
  • 1960 – Foi instituída a Paróquia Eclesiástica de Nossa Senhora de Fátima que se compunha pelos lugares da Póvoa do Valado, Mamodeiro e Perajorge, que em 1985 se transformaram na Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, ultima a ser desanexada.

Actualmente, Requeixo encontra-se situada num ponto mais elevado da encosta, mais seco e saudável, junto da Capela de Santo Amaro, diferente do local de origem, junto à Igreja de São Paio, padroeiro da localidade, e que terá sido abandonado devido ao medo das doenças provindas do espaço alagadiço da Pateira.

Hoje em dia, este volta a ser um lugar de repovoamento, fomentado também por algumas infra-estruturas que começam a aparecer.

TopónimoEditar

É inconclusiva a origem deste topónimo. No entanto, este também se encontra noutros concelhos, todos no Norte do país e com variações como Requeijo, Requeixo e Requeijô.

Também em Espanha existem uma série de designações semelhantes, tais como Requeixo, Requeijo, Requejo, Requeixolo, entre outros.

É precisamente partindo do galego que podemos sugerir um significado para esta palavra. Segundo o Dic. de Galego, requeixo significa “um sítio onde o terreno sofre um desnível e forma uma ladeira ou declive, para depois continuar em planura”.[4]

Se em português atribuíssemos o significado de “pequena encosta que termina em área plana”, não estávamos certamente muito longe da verdade, e tínhamos uma grande afinidade com o nosso Requeixo.

PatrimónioEditar

  • Igreja de São Paio (matriz)
  • Capelas de Santo Amaro, de Nossa Senhora das Necessidades (lugar do Carregal) e de Nossa Senhora da Alumieira (lugar da Taipa)
  • Cruzeiros no terreiro da igreja matriz, perto da capela de Santo Amaro e no lugar de Carregal
  • Casas seiscentistas
  • Ponte
  • Núcleo museológico de Santa Ana

Referências

  1. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  2. [Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes ]
  3. Antonio José, Marques da Silva (16 de janeiro de 2015). «The fable of the cod and the promised sea. About Portuguese traditions of bacalhau». UNESCO. Consultado em 3 de março de 2017 
  4. http://academia.gal/dicionario/-/termo/busca/requeixo

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.