Abrir menu principal
Retomada de Corumbá
Guerra do Paraguai
Combate do Alegre - Retomada de Corumbá.jpg
Combate do Alegre, após a retomada de Corumbá (Monumento aos Heróis de Laguna e Dourados, Urca, Rio de Janeiro - RJ).
Data 13 de junho de 1867
Local Corumbá, Império do Brasil
Desfecho Vitória brasileira
Beligerantes
Império do Brasil Paraguai Paraguai
Comandantes
coronel Antonio María Coelho Hermónegones Cabral
Forças
1 000 homens cerca da 300 homens
Baixas
35 150

Desde o início de 1865, na primeira fase da Guerra do Paraguai, Corumbá estava sob controle dos paraguaios. Porém no ano de 1867 o então presidente da província de Mato Grosso Couto Magalhães decidiu planejar uma operação para retomar Corumbá com tropas de Cuiabá.

Índice

AntecedentesEditar

A esta altura Corumbá era protegida por uma pequena guarnição paraguaia de 200[1] a 300[2] soldados, uma vez que as tropas foram desviadas para outros fronts. Por exemplo, em março de 1865 López chama o cel Barrios de volta para o Paraguai levando consigo a maioria das forças instaladas na província, deixando apenas algumas guarnições de segurança em pontos estratégicos do local. Um decreto paraguaio, expedido no dia 13 daquele mês, diz que o Paraguai já está senhor de Coimbra, Albuquerque, Corumbá e Cerro de Dourados (Coluna do Alto Paraguai). Seria inútil deixar aí mais gente do que necessária, quando a situação do momento aconselha o emprego no sul da República de todos os recursos militares.[3]

O ataqueEditar

Após os preparativos feitos em Cuiabá, parte para Corumbá o 1º Batalhão Provisório do Exército do Brasil com 1.000 homens sob o comando do coronel Antonio María Coelho no dia 15 de maio de 1867 em embarcações através do rio Cuiabá.[2] No dia 12 de junho as tropas desembarcam em uma região próxima da vila cerca de 25 km. Na madrugada do dia 13 de junho o coronel Coelho levanta acampamento e inicia a marcha até a cidade e ao se aproximar inicia os preparativos do ataque.[1]

Às 14:00 hrs inicia-se a batalha com as tropas brasileiras atacando de diversos pontos, pegando os paraguaios de surpresa. A batalha durou até as 18:00 hrs com vitória para o império. As baixas brasileiras somaram 36 entre mortos e feridos.[1] Do lado paraguaio foram cerca de 150 a maioria executada, incluindo o comandante Hermónegones Cabral, logo após o fim do combate. [2]

Esta vitória elevou o moral da população mato-grossense, e iniciou um período de expulsão dos invasores paraguaios que se concretizou em 1868.[1]

Referências

  1. a b c d «Retomada de Corumbá». Portal Mato Grosso. Consultado em 17 de janeiro de 2019 
  2. a b c Sousa 1885, p. 136.
  3. Borga 2015, p. 110.

BibliografiaEditar

  • Sousa, Augusto Fausto de (1885). Fortificações no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. ISSN 0101-4366 
  • Barreto, Aníbal (1958). Fortificações no Brasil (Resumo Histórico). Rio de Janeiro: BIBLIEX 
  • Borga, Ricardo Nunes (2015). QuestÕes Do Prata - Guerra da Tríplice Aliança, O conflito que mudou a América do Sul 2 ed. Rio de Janeiro: Clube de Autores