Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaRincossauro
O Hyperodapedon, um exemplo de rincossauro que possuia bico.
O Hyperodapedon, um exemplo de rincossauro que possuia bico.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Sauropsida
Subclasse: Diapsida
Infraclasse: Archosauromorpha
Ordem: Rhynchosauria
Osborn, 1903
Subgrupo

Os Rincossauros eram um grupo de répteis diapsida do Triássico relacionadas com os arcossauros.

Índice

DescriçãoEditar

 
Estauricossauro e Rincossauro. Turismo paleontológico feito pela Gold Tour Sul, em Canela.

Eles eram herbívoros e, às vezes abundante (em alguns locais são encontrados 40 a 60% dos espécimes coletados), com corpos atarracados e um bico poderoso. Sua característica mais marcante é a presença de um bico parecido com o de um papagaio em algumas espécies. Outras, por outro lado, não apresentavam bico.

As formas mais primitivas como Mesosuchus e Howesia tinham uma forma mais de lagarto, e tinham crânio bastante semelhante ao Younginia um antigo diapsida, exceto pelo bico e algumas outras funcionalidades.

Os mais avançados já tinham o crânio curto, largo e triângular, como o Hyperodapedon (= Scaphonyx), com uma região profunda do mordente, e os pré-maxilar estende para fora e para baixo para formar a parte superior bico. O crânio largo teria acomodado os músculos da mandíbula poderosa. Quando a mandíbula estava fechada, aperta-se firmemente na maxila (maxilar superior), como a lâmina de um canivete, isso permitia aos rincossauros cortar vegetais resistentes.

Os dentes eram incomuns, os da maxila e palato formavam placas de dentes largos.

As patas traseiras estavam equipadas com enormes garras, presumivelmente para desenterrar raizes e tubérculos.

Como muitos animais dessa época tinham uma distribuição mundial, sendo encontrado em toda a Pangeia.

Estes animais abundantes, reduziram drasticamente sua população no final do Carniano no Triássico, talvez como resultado da extinção da flora Dicroidium, dos quais provavelmente se alimentavam.

Os fósseis foram encontrados no Brasil, Argentina, África e Estados Unidos. Este fato prova a existência da Pangeia. Foi um dos animais mais abundades no período Triássico, mas seu numero reduziu muito no Jurássico e foram extintos no Cretáceo.

Em 1902 em Santa Maria, o Dr. Jango Fischer coletou o que seria o primeiro réptil terrestre fóssil da América do Sul, um rincossauro batizado por Woodward com o nome de Scaphonyx fischeri, o nome genérico dado em alusão à escavação ungueal característica e o específico, em homenagem a Jango Fischer, o descobridor dos restos.

ClassificaçãoEditar

TaxonomiaEditar

Genera
Género Espécies Idade Localização Unidade Notas Imagens

Ammorhynchus

A. navajoi

Anisiano

  USA(Arizona)

Formação Moenkopi

 
Hyperodapedon huxleyi (=Paradapedon)
 
Mesosuchus browni
 
Crânio do Rhynchosaurus articeps

Bentonyx

B. sidensis

Anisiano

  England

Formação Otter Sandstone

Fodonyx

F. spenceri

Anisiano

  England

Formação Otter Sandstone

Howesia

H. browni

Olenekiano Superior - Anisiano

  South Africa

Formação Burgersdorp

Hyperodapedon

H. gordoni

Carniano

  Scotland

Formação Lossiemouth Sandstone

Cinco espécies válidas são conhecidas, mais do que qualquer outro rincossauro.

H. huenei

Carniano

  Brazil

Formação Santa Maria

H. huxleyi

Carniano

  India

Formação Lower Maleri

H. mariensis

Carniano

  Brazil
  Argentina

Formação Santa Maria
Formação Ischigualasto

H. sanjuanensis

Carniano

  Argentina
  Brazil

Formação Ischigualasto
Formação Santa Maria

Isalorhynchus

I. genovefae

Carniano

  Madagascar

Formação Makay (Isalo II)

Mesodapedon

M. kuttyi

Anisiano

  India

Formação Yerrapalli

Mesosuchus

M. browni

Anisiano

  South Africa

Formação Burgersdorp

Otischalkia

O. elderae

Carniano superior

  USA(Texas)

Grupo Dockum

Rhynchosaurus

R. articeps

Anisiano - Ladiniano

  England

Formação Tarporley Siltstone

R. brodiei

Anisiano - Ladiniano

  England

Formação Bromsgrove Sandstone

Stenaulorhynchus

S. stockleyi

Anisiano

  Tanzania

Formação Manda

Supradapedon

S. stockleyi

Médio - Triássico Superior

  Tanzania

Distrito Tunduru

Teyumbaita

T. sulcognathus

Noriano Inferior

  Brazil

Formação Caturrita

T. sulcognathus é apenas um rincossauro do Noriano.

FilogeniaEditar

 
Crânio de um Rincossauro, exposto no Museu Educativo Gama D'Eça.
 
Ilustração da placa de dentes do Hyperodapedon.

Cladograma baseado na montagem de Langer (2000):[1]

Hyperodapedontinae

"Scaphonyx" sulcognathus


Hyperodapedon

H. huenei




H. mariensis



H. sanjuanensis




H. gordoni



H. huxleyi






Cladograma baseado na montagem de Hone e Benton (2008):[2]

Rhynchosauria

Mesosuchus




Howesia


Rhynchosauridae

Stenaulorhynchus



Rhynchosaurus

R. articeps



R. brodiei





Fodonyx




Ammorhynchus


Hyperodapedontinae

Mariante rhynchosaur



Teyumbaita



Hyperodapedon









Cladograma baseado em Langer (2010):[3]

Rhynchosauria

Mesosuchus




Howesia



Rhynchosauridae

Rhynchosaurus


Hyperodapedontidae


Mariante rhynchosaur



Stenaulorhynchus




Bentonyx




Fodonyx


Hyperodapedontinae

Isalorhynchus




Teyumbaita



Hyperodapedon









Notas e referências

  1. Max C. Langer and Cesar L. Schultz (2000). «A new species of the Late Triassic rhynchosaur Hyperodapedon from the Santa Maria Formation of south Brazil». Palaeontology. 43 (6): 633–652 
  2. David W. E. Hone and Michael J. Benton (2008). «A new genus of Rhynchosaur from the Middle Triassic of South-West England». Palaeontology. 51 (1): 95–115. doi:10.1111/j.1475-4983.2007.00739.x 
  3. Max C. Langer, Felipe C. Montefeltro, David E. Hone, Robin Whatley and Cesar L. Schultz (2010). «On Fodonyx spenceri and a new rhynchosaur from the Middle Triassic of Devon». Journal of Vertebrate Paleontology. 30 (6): 1884–1888. doi:10.1080/02724634.2010.521901 

Ligações externasEditar